Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Brasília

Moradora de rua que agrediu babá deverá ficar internada

Após tentar sequestrar uma criança, a mulher foi presa. A Justiça determinou a internação compulsória da moradora

Por Tereza Neuberger
[email protected]

A moradora de rua Maria Zilda Pinto Alves, de 49 anos, foi presa nesta quarta-feira (25) após tentar sequestrar uma criança de 1 ano e agredir a babá em um parquinho na Asa Sul. Nesta quinta-feira, a Justiça do Distrito Federal determinou internação compulsória da mulher por suspeita de problemas psiquiátricos.

Após informação do Centro de Atenção Psicossocial (CAPs) de Taguatinga de que a mulher tem problemas psiquiátricos e está em tratamento desde 2017, o Núcleo de Atendimento a Custódia (NAC) decidiu pela internação. Maria Zilda teve a liberdade provisória concedida e foi entregue à assistência social, responsável por acompanhá-la até o hospital psiquiátrico.

A Juíza do NAC considerou grave a ação da moradora de rua, porém levou em consideração o seu estado mental e julgou ser mais adequado que Maria Zilda fosse internada. “Na hipótese dos autos, a conduta da autuada é grave, todavia, considerando-se que a autuada claramente possui problemas de saúde, entendo que a manutenção de sua prisão não é a melhor opção para o quadro apresentado, principalmente, considerando-se a informação de que existe leito disponível em hospital psiquiátrico para o adequado tratamento da custodiada”, destacou a juíza.

Bem vestida a moradora de rua foi localizada pelas equipes da Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) cerca de 9 horas após a tentativa de sequestro de uma criança de 1 anos e 5 meses, na manhã da última quarta-feira (25) em um parquinho na na quadra 310 Sul.

Enquanto várias crianças se divertiam nos brinquedos do parquinho vigiadas pelas babás, a moradora de rua entrou no parquinho e estabeleceu contato com a criança de 1 ano que brincava no escorregador. No momento em que a babá da criança notou a aproximação tentou retirar a criança dos braços da moradora de rua. A transeunte então, resolveu partir para cima da babá e a agredi-la com tapas, socos e unhadas. A cuidadora não sofreu graves ferimentos, porém a moradora conseguiu fugir.

Na noite desta terça-feira (25) a moradora de rua foi localizada pelas equipes policiais no Núcleo Bandeirante caminhando pelas ruas com os mesmos trajes que usava no momento em que tentou levar a criança. De acordo com o delegado chefe-adjunto da 1ª DP Maurício Iacozzilli, a mulher já possuía cerca de 90 ocorrências policiais acumuladas durante 20 anos, sendo a maioria delas de menor teor ofensivo praticadas no Núcleo Bandeirante.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

As ocorrências envolvendo a moradora de rua indicaram que ela sempre se envolvia em confusão, de acordo com o delegado. “São inúmeras ocorrências por ameaça, lesão corporal,injúria, a maioria envolvendo outros moradores de rua. “ afirma, Iacozzilli.

Durante todo o período em que ficou sob custódia dos agentes da PCDF, Maria Zilda não parava de falar e chegou a dizer que “iriam roubar a bolsa dela”. Após a prisão a mulher foi submetida a exames no Instituto Médico Legal, para constatar as suas condições mentais.








Você pode gostar