Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Brasília

Melhorando o setor de eventos e a vida de ambulantes e moradores de rua

Cursos técnicos serão ofertados com o objetivo de melhorar a qualidade do serviço prestado em eventos e oportunizar população vulnerável de Brasília

Por Mayra Dias 11/05/2022 6h37
Foto: Reprodução/TV

“É a realização de um sonho. A única forma de diminuir o abismo social existente no Setor Comercial Sul é através da reinserção de quem se encontra mais vulnerável”, afirma Felipe Velloso, coordenador geral da plataforma Setor de Capacitação Social, iniciativa do Instituto Social e Cultural No Setor, e voltada para a profissionalização para grupos em vulnerabilidade econômica e social do centro de Brasília. O projeto, por sua vez, irá qualificar e reinserir essa população no mercado de trabalho da economia produtiva, ofertando cursos técnicos na área de eventos.

Conforme salienta Felipe, espera-se, com a plataforma, promover a geração de renda com enfoque territorial. A opção pelo setor de eventos, como comenta o responsável, acontece por ser um segmento de permanente atuação do No Setor e porque a perspectiva de movimentação do Setor Comercial Sul, região onde o projeto atua, nesse momento, é de crescimento. “Nosso objetivo é que, com o crescimento advindo da cultura, as pessoas nessas situações também sejam personagens e cresçam junto com esse processo”, pontua. “”É um momento para redução de danos, para empoderamento e, para alguns, a oportunidade de uma renda extra”, acrescentou.

Os cursos são presenciais e personalizados para dois grupos, para vendedores ambulantes e para a população em situação de rua, ambos do Setor Comercial Sul e região central de Brasília. Para Felipe Velloso, o projeto é reflexo da união do social com o cultural. “Temos que apostar que isso é só uma das múltiplas ações que podem ser ofertadas à população vulnerável, e para quem está na rua, pode ser definitivo para que encontre sua emancipação”, celebra, ressaltando a importância do Setor Comercial para a capital. “É uma semente que estamos plantando juntos. O Setor Comercial Sul é o polo criativo e cultural da cidade. Queremos que ele se torne um ponto turístico de encontro e celebração da capital”, enfatiza o coordenador.

A ementa da qualificação aos vendedores ambulantes foca no estímulo ao empreendedorismo voltado a pequenos negócios, como atendimento ao cliente, finanças para o pequeno negócio, modelo de negócio, comunicação social e marketing digital, e desenvolvimento de produtos. Com isso, o profissional amplia sua capacidade de identificar problemas e oportunidades, desenvolver soluções e investir recursos na criação de algo positivo para o seu negócio e para a sociedade.

Se tratando da população em situação de rua, a profissionalização proporciona, além do trabalho e renda em si, a inclusão social, a redução da pobreza, o combate à discriminação e a diminuição da vulnerabilidade dessas populações. “Escolhemos essas pessoas porque, quando trabalhamos no território do Setor Comercial Sul, é importante olhar para todos os agentes que estão ali, e tanto os ambulantes quanto as pessoas em situação de rua estão em maioria e em grande risco”, argumenta Felipe.

Para esse público, serão oferecidos cursos de cenografia, sistemas de sonorização, montagem e operação de eventos, limpeza e conservação de espaços culturais, e assistente de produção. Essa linha de aprendizado foi criada tendo como base ações anteriores do No Setor com a oferta de vagas de trabalho em eventos e festas, como no carnaval de 2020, em que 30 pessoas foram chamadas a ocupar vagas relativas aos cursos que, agora, serão oferecidos. “O investimento no setor de eventos é uma necessidade que o setor comercial apresenta. É um lugar que estava abandonado, pelas pessoas e pelo poder público”, elucida Felipe Velloso.

Otimista e realista, o gestor explica que o projeto nasce com a consciência sobre os desafios que o grupo vai enfrentar para, depois de os cursos realizados, introduzir a população vulnerável no mercado de trabalho. Para isso, confia na grande rede de parceiros do No Setor na área de eventos para gerar essas oportunidades.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O lançamento do projeto aconteceu na quarta-feira, dia (11) na Secretaria de Trabalho. O Setor de Capacitação Social é realizado pelo Instituto No Setor e tem fomento da Secretaria de Trabalho do Governo do Distrito Federal.








Você pode gostar