Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Brasília

Médico assinava falsas certidões de óbito para livrar a barra de criminosos

PCDF foi às ruas nesta sexta (5) para desarticular quadrilha especializada em vender as certidões para pessoas condenadas

Por Willian Matos 05/03/2021 8h10
policia civil pcdf Foto: Divulgação

A Polícia Civil (PCDF) realiza nesta sexta-feira (5) uma operação contra uma quadrilha especializada em fraudar certidões de óbito para reduzir pena de pessoas condenadas. Investigações apontam que o grupo criminoso, composto por um médico e uma funerária, cobrava R$ 10 mil para emitir os falsos documentos.

São cumpridos cinco mandados de prisão (quatro temporárias e uma preventiva) e oito mandados de busca e apreensão nas regiões de Ceilândia, Riacho Fundo, Recanto das Emas e Águas Lindas de Goiás-GO. A operação foi batizada de The Walking Dead.

O caso foi descoberto após um homem que possuía condenações que chegavam a 25 anos de prisão ser considerado morto e sepultado em um município de Goiás. Policiais foram ao cemitério e não encontraram o corpo do indivíduo.

A partir daí, iniciaram-se as investigações e, em janeiro deste ano, o homem foi preso. Ele havia “mudado de nome” e construído outra família, sem contar para os familiares o passado criminoso. Ao ser preso, o acusado confessou que conseguiu a certidão de óbito falsa com a quadrilha alvo da operação de hoje.

Os policiais descobriram que um médico envolvido no esquema ligava para uma funerária localizada em Águas Lindas. A empresa, também interligada aos criminosos, tocava os trâmites para o falso enterro em um cemitério de Cocalzinho-GO que não está sob a tutela da Prefeitura local.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A operação policial é realizada pela Coordenação de Repressão a Crimes Patrimoniais (Corpatri). O delegado André Luís Leite fala sobre a ação:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






Você pode gostar