Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Brasília

Ibaneis sanciona criação da Universidade do Distrito Federal

Instituição deve gerar 3,5 mil empregos através de concurso a partir de agosto. Governador quer unidades em Ceilândia e em Sobradinho ou Planaltina

Foto: Vítor Mendonça/Jornal de Brasília

Willian Matos e Vítor Mendonça
[email protected]

O governador Ibaneis Rocha sancionou nesta quarta-feira (28) o Projeto de Lei Complementar 34/2020, que autoriza a criação da Universidade do Distrito Federal (UnDF). Será a primeira universidade administrada pelo Governo do Distrito Federal (GDF) e a segunda de ensino superior pública da capital, juntando-se à Universidade de Brasília (UnB).

Ibaneis, que fez sua primeira aparição pública como governador depois das férias e após ser internado no último fim de semana, fez projeções a partir da criação da UnDF. O chefe do Executivo local prometeu empregar 3,5 mil pessoas na instituição através de concurso público a ser publicado já no mês de agosto.

O campus principal da UnDF será no Lago Norte, em um prédio concedido pela Terracap. Ibaneis prevê que a instituição esteja em completo funcionamento dentro de cinco anos, com outros prédios em regiões do DF a serem escolhidas pela reitoria da universidade. “Espero que um na Ceilândia, pelo menos, e outro na região norte, ou em Planaltina e Sobradinho”, disse o governador.

O projeto da UnDF é antigo e vinha sendo adiado por décadas. Para Ibaneis, as gestões anteriores adiaram a criação da instituição para não criarem despesa. “Isso não é despesa, é investimento. Quando se trata de educação, você não está fazendo despesas, está gerando riqueza. E é essa riqueza que eu quero para a população do Distrito Federal, em especial para aqueles mais pobres”, declarou o governador, que disse ainda que a Câmara Legislativa (CLDF) deve destinar, nos próximos anos, R$ 200 milhões à universidade.

Homenagem a Jorge Amaury

A solenidade de hoje homenageou ainda Jorge Amaury, professor de Direito processual na graduação, mestrado e doutorado da Faculdade de Direito da Universidade de Brasília (UnB). Amaury faleceu no início do mês passado, vítima da covid-19. A UnDF levará o nome dele, que, segundo Ibaneis, “transformou a vida de muitas pessoas” no DF. O governador trabalhou ao lado do docente na OAB-DF.

Governador Ibaneis Rocha sanciona a criação da UnDF. Foto: Vítor Mendonça/Jornal de Brasília

Estiveram presentes na cerimônia de sanção o deputado federal Júlio César (PROS), a deputada distrital Arlete Sampaio (PT) e o deputado distrital Claudio Abrantes (PDT). “O DF enfim caminha para sanar uma situação que o deixava no final da fila do desenvolvimento, da educação. Hoje, praticamente todas as Unidades Federativas possuem universidades estaduais”, disse Abrantes. Os secretários de Economia, André Clemente, e de Educação, Hélvia Paranaguá, também acompanharam a sanção.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






Você pode gostar