Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Brasília

Governador anuncia vacinação de adolescentes de 13 anos

Pessoas desta faixa etária poderão ir aos postos de vacinação a partir desta sexta (17)

Por Willian Matos 16/09/2021 12h30
Drive-thru vacina idosos acima de 80 anos. Foto: Vítor Mendonça/Jornal de Brasília Foto: Vítor Mendonça/Jornal de Brasília

O governador Ibaneis Rocha anunciou que, a partir desta sexta-feira (16), adolescentes de 13 anos sem comorbidades poderão se vacinar contra a covid-19.

“Nós estamos bem próximos de fechar todo o ciclo dos nossos jovens vacinados no âmbito do Distrito Federal, dando mais segurança principalmente no que diz respeito à variante Delta que está chegando por aí”, declarou o governador. “Preparem os braços”, finalizou.

O anúncio veio horas após Ibaneis afirmar que manterá a vacinação de menores de idade mesmo com o Ministério da Saúde orientando a suspensão da imunização deste grupo. A orientação da pasta foi publicada na noite de quinta (15); o governador disse que a Secretaria de Saúde do DF fará uma análise a respeito e que, até os resultados desta análise, a imunização está mantida.

No Distrito Federal, a vacinação de adolescentes vem sendo ampliada conforme a chegada de mais vacinas da Pfizer — o único imunizante permitido para menores de idade até o momento. Quanto ao grupo geral, a capital já ultrapassou 1 milhão de pessoas vacinadas com as duas doses ou dose única. O número representa cerca de 1/3 da população local totalmente imunizada contra o novo coronavírus.

A vacinação para adolescentes com comorbidades não foi suspensa pelo Ministério e está mantida sem previsão de suspensão ou medida similar. No DF, este grupo já está se vacinando há cerca de um mês mediante agendamento no site da Secretaria de Saúde.

Por que a suspensão?

A decisão do Ministério da Saúde de suspender a vacinação de adolescentes sem comorbidades consta em nota informativa publicada na noite de quarta-feira (12). A pasta elenca seis razões para a medida.

Uma das razões, segundo o Ministério é o fato de a Organização Mundial de Saúde (OMS) não recomendar a imunização de crianças e adolescentes. A pasta alega também que “a maioria dos adolescentes sem comorbidades acometidos pela covid-19 apresentam evolução benigna” e são assintomáticos ou têm sintomas leves.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Ainda de acordo com o Ministério, “os benefícios da vacinação em adolescentes sem comorbidades ainda não estão claramente definidos”. A pasta também leva em consideração a redução na média móvel de casos e óbitos por covid-19 no Brasil após a aceleração da vacinação de adultos nos últimos meses.








Você pode gostar