Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Brasília

GDF procura desestimular a escolha por vacinas

Vacina da Pfizer não está disponível em postos de Drive Thru, a ordem é evitar a escolha por qualquer dos imunizantes disponíveis

Por Catarina Lima 10/05/2021 6h23
Foto: Lúcio Bernardo Jr/ Agência Brasília

Pessoas que dependem de agendamento para se vacinar, mas que não compareçam ao local de vacinação na data marcada, só poderão ser imunizadas em postos de Drive Thru. A iniciativa, segundo o Chefe da Casa Civil do governo do Distrito Federal, Gustavo Rocha, é evitar a escolha por qualquer dos imunizantes disponíveis, em especial o da farmacêutica norte-americana Pfizer, uma vez que devido a necessidade de ser mantido em temperaturas muito baixas, o mesmo não está disponível em postos de Drive Thru. A informação foi dada ontem, durante entrevista coletiva para tratar de ações do GDF no combate à covid-19.

Outro anúncio feito pelo chefe de gabinete Gustavo Rocha durante a entrevista é que pela primeira vez, desde o início do ano, quando houve um recrudescimento da pandemia, está zerada a lista de espera para pacientes com covid. Segundo Rocha, existiam ontem 96 leitos vagos e oito pessoas dependendo de resultado de exames para que fossem internadas ou não.

Decisão sobre eventos na sexta-feira

Mesmo com aumento da taxa de transmissão de 0,86 para 0,96 entre a semana passada e ontem, até a próxima sexta-feira o governador Ibaneis Rocha deverá decidir sobre a retomada da realização de eventos na cidade. O chefe da Casa Civil disse, ainda, que não está decidido quais os eventos serão liberados e nem o percentual de público permitido. “O governador decidirá com base na taxa de transmissão, número de casos e ocupação de leitos”, explicou Gustavo Rocha. Questionado sobre a existência de pressão de grupos econômicos para a liberação de eventos, Rocha disse que a preservação da vida é o que mais pesará na decisão do governador.

Para exemplificar a importância da vacinação Rocha destacou que na faixa etária acima de 80 anos, houve uma queda de 7% nas internações depois do início da vacinação. No grupo de 75 a 79 anos, a queda nas internações após a imunização foi de 19%. Somando-se os dois grupos a redução nas internações atingiu 26%. “Por isso não importa qual seja a vacina, o importante é se vacinar. Só assim poderemos retornar à normalidade”, frisou.

O chefe da Casa Civil aproveitou a entrevista coletiva de ontem para fazer mais um apelo à população para que se vacine, em especial às pessoas com idade entre 60 e 61 anos, que até a semana passada apenas 36,6% haviam sido vacinadas. “Em caso de mudança na pandemia, o governador pode voltar com as restrições. É preciso o apoio da população para que as aberturas se tornem constantes.

Novas doses

Esta semana chega em Brasília um novo lote de 14.040 doses do imunizante da Pfizer, que de acordo com determinação do Ministério da Saúde serão todas destinadas para a primeira dose da imunização no DF. O primeiro lote de 5.800 das vacinas da Pfizer que já estão sendo utilizadas na primeira dose de pessoas com comorbidades.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






Você pode gostar