Brasília

Covid: hospitais do DF com 98% de ocupação nas UTIs

Até o momento da publicação desta reportagem, 340 pessoas aguardam leito de UTI na capital

Por Guilherme Gomes 08/04/2021 8h37
Paciente em tratamento na Unidade Especial de tratamento contra Covid-19 instalada no ginásio de esportes de Santo André. Foto: MIGUEL SCHINCARIOL / AFP

A taxa de ocupação dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para adultos com Covid está em 98,48% nos hospitais públicos do Distrito Federal. De acordo com a última atualização do InfoSaúde-DF, feita às 8h10 desta quinta-feira (8), sete leitos estão vagos, mas apenas seis são para pacientes adultos.

Na rede privada de saúde o índice é menor, mas segue preocupante. Os hospitais particulares do DF estão com a taxa de ocupação dos leitos de UTI para adultos em 98,35%. Isso porque sete leitos estão vagos. Até o momento da publicação desta reportagem, 340 pessoas aguardam leito de UTI na capital.

Vacinação na capital

Nas últimas 24h foram 4.014 vacinados da primeira dose e 3.175 da segunda dose. Os dados do último boletim informativo revela o número de 317.777 vacinados da primeira dose e mais 90.389 pessoas que levaram a segunda dose.

Já foram recebidas 474.190 doses da vacina CoronaVac, que é produzida pelo Instituto Butantan em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac. Além das 90.250 mil doses da vacina Covishield, desenvolvida pela universidade inglesa de Oxford, com a farmacêutica sueco-britânica AstraZeneca

Covid-19 no DF

O Distrito Federal (DF) registrou, nas últimas 24 horas, 1.139 novos diagnósticos de Covid-19. Desde o início da pandemia, 353.206 pessoas já foram infectados na capital e, até quarta-feira (7), 12.512 casos estavam ativos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Nas últimas 24 horas foram registrados 83 óbitos na capital candanga, sendo que 16 mortes aconteceram de terça para quarta-feira. As regiões administrativas com mais casos confirmados são Ceilândia (38.265), Plano Piloto (33.798) e Taguatinga (28.324).

Do total de 353.206 mil casos, 6.532 (1,8%) faleceram em decorrência de complicações causadas pelo vírus e 334.162 (94,6%) estão recuperados.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






Você pode gostar