Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Brasília

Covid: Grupos vacinados no DF tem queda no número de internações

Com a abertura do hospital do Gama, o número de leitos vagos subiu para 96 com apenas oito pessoas esperando o resultado de exame de covid

Por Geovanna Bispo 10/05/2021 3h22

Na tarde desta segunda-feira (10), o secretário da Casa Civil, Gustavo Rocha; e a secretária adjunta de Assistência à Saúde, Dra. Raquel Bevilaqua, concederam uma entrevista coletiva, no Salão Branco do Palácio do Buriti, para atualizar as informações referentes as ações do GDF no combate à covid-19.

No evento, Gustavo Rocha afirmou que, dos grupos de vacinados contra covid-19 no Distrito Federal, quase todos apresentaram queda no número de internações. O único nicho que apresentou aumento foi de idosos de 64 e 65 anos.

Rocha ainda informou que a ocupação de leitos de UTI para coronavírus está em 78% de ocupação. Com a abertura do hospital de campanha do Gama, na última sexta-feira (07), o número de leitos vagos subiu para 96, com apenas oito pessoas esperando o resultado de exame de covid para serem encaminhados para as vagas.

Rocha também explicou que a taxa de contaminação está em 0,96. Em um momento mais crítico da pandemia, o indicador chegou a marcar 1,38. Vale lembrar que o número deve ficar abaixo de 1. “Essa oscilação está dentro do esperado”, explicou o secretário. Segundo ele, hoje existem 7.978 casos ativos de covid no DF.

Aulas

Neste final de semana, o governador Ibaneis Rocha (MDB) afirmou que tem expectativa de que as aulas presenciais de escolas públicas voltem em junho deste ano. Mesmo que a fala de Ibaneis dê a entender que o retorno será independente da vacinação de professores, a secretária espera que a imunização ocorra com pelo menos a primeira dose aplicada em todos os profissionais para a volta. Para isso, é necessário que o Ministério da Saúde os inclua no grupo de imunização e mande a vacina para o GDF.

Vacinas

Na última coletiva na quinta-feira passada (06), os secretários informaram que a procura para vacinas de idosos entre 61 e 60 teve queda, porém, que neste final de semana, houve aumento perceptível.

Rocha e Bevilaqua ainda fizeram um apelo para que a população não escolha qual vacina tomar, já que, todas as vacinas disponibilizadas são seguras e recomendadas. “Não a há vacina melhor que a outra”, finalizou a Dra. Bevilaqua.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Eventos

Durante a coletiva, Rocha ainda falou sobre o estudo que a secretária tem feito para que Ibaneis Rocha libere, ainda nesta sexta-feira (14), a realização de eventos com 25% da capacidade de público. “Estamos considerando tudo”, disse o secretário.

Na última semana, Ibaneis ampliou o horário de funcionamento do comércio e reduziu o toque de recolher, ficando em vigor de meia-noite às 5h.

Pfizer

Os imunizantes da Pfizer/BioNTech começaram a ser aplicados também nesta segunda-feira (10). A vacina, que chegou há uma semana na capital, será voltada às pessoas com comorbidades.

Mesmo só tendo 5,8 mil doses da vacina da Pfizer, o Ministério da Saúde deve distribuir ainda hoje mais 1,1 milhão de doses.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A Secretaria abriu o agendamento na última segunda (3), e nas primeiras horas, foram 65.315 pessoas cadastradas. Como as doses não serão suficientes, os primeiros contemplados serão aqueles que têm entre 55 e 59 anos.






Você pode gostar