Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Brasília

Codeplan traça o perfil dos moradores da área metropolitana do DF

A PMAD foi realizada entre 2019 e 2020, mais especificamente no mês de março, quando os 1º casos de covid-19 começaram a aparecer no DF

Por Ivana Sant’Anna

A Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan) divulgou, nesta quinta (29/07), a 4a edição da Pesquisa Metropolitana por Amostra de Domicílio (PMAD). Com o levantamento foi possível traçar um perfil dos 12.710 moradores de 12 cidades que circundam o DF: Águas Lindas de Goiás, Alexânia, Cidade Ocidental, Cocalzinho de Goiás, Cristalina, Formosa, Luziânia, Novo Gama, Padre Bernardo, Planaltina de Goiás, Santo Antônio do Descoberto e Valparaíso de Goiás.

Pelos dados, pode-se conhecer mais as características socioeconômicas dos municípios e como se estabelecem as relações de acesso, serviço e consumo entre o estado de Goiás e o Distrito Federal para assim, segundo a Companhia, fazer o planejamento de políticas públicas que melhorem a vida do cidadão.

Segundo o presidente da Codeplan, Jean Lima, o levantamento veio em um momento crucial. “ Na ausência do Censo do IBGE,suspenso pelo Governo Federal, a pesquisa nos revelou dados importantes sobre as características da população de cidades do entorno que trabalham, consomem e utilizam serviços do Distrito Federal”, ressaltou.

A PMAD foi realizada entre 2019 e 2020, mais especificamente no mês de março, quando os primeiros casos do novo coronavírus começaram a aparecer no DF e em todo o Brasil. Mesmo com o prejuízo de contato com a população em função do isolamento e do medo da Covid-19, o levantamento mostrou que a maior concentração populacional está em Águas Lindas de Goiás (24,11%), seguida de Valparaíso de Goiás (15,83%) e Luziânia (14,74%) .

A análise mostrou também que, nesses municípios, é maior a concentração de homens entre 20 e 24 anos (9,50%) e de mulheres da mesma faixa etária (9,40%). A população do entorno é majoritariamente negra, representando 83% da amostra estudada, e solteira (49,93%).

Escolaridade e Emprego

O levantamento traz um recorte de baixa escolaridade no entorno. Pela pesquisa com pessoas de 25 anos ou mais, 39,57%, concluíram o ensino fundamental; 30,98 %, o médio e apenas 2,07% têm ensino superior completo. Apenas 9% dos estudantes frequentam escolas no DF, ou seja, a maioria estuda próxima à residência.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Em relação às pessoas de 15 a 29 anos, faixa economicamente ativa, a PMAD mostrou que 48,44% dos homens trabalham contra 36,07% de mulheres que têm ocupação. A pesquisa revelou ainda que 54,86% das pessoas com 14 anos ou mais têm um trabalho e que mais da metade delas (61,64%) têm carteira assinada e trabalham no setor privado (51,29%). No total,36,1% trabalham no DF e apenas 28,54%, no plano piloto.

Em relação à renda domiciliar mensal, a PMAD registrou uma média de R$ 2.551,89 e a renda per capta ficou em R$790,31. Apenas 38,02% das pessoas recebem mais de 2 até 5 salários mínimos.

O levantamento trouxe ainda dados relacionados à utilização dos serviços de saúde. Apenas 17,7% já utilizaram o serviço de saúde do DF e mais da metade das pessoas do entorno não têm plano de saúde (89,73%).

Sobre o consumo, a pesquisa mostrou que menos de 5% das pessoas compram ou consomem alimentos no Distrito Federal. O percentual cresce um pouco quando a análise é relacionada a compras: mais de 16% das pessoas compram roupas e calçados no DF; 18,75% vêm ao DF adquirir eletrodomésticos. Pela pesquisa, Águas Lindas de Goiás é a cidade que mais compra e consome serviços dentro do próprio município.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Quando a análise é sobre mobilidade urbana, o levantamento mostrou que quase a metade das pessoas andam de ônibus (47,9%). Para ir ao trabalho, o percentual daqueles que utilizam ônibus aumenta: 59,94%. Já para ir à escola, 57,23% das pessoas vão a pé.

Saneamento Básico

O percentual de residências com coleta de lixo convencional é de 86,81% e 17,83% tem coleta seletiva de lixo. Porém, apenas 9,24% descartam seus resíduos em locais impróprios, e 21,79% dão outro destino ao lixo.

Ainda pela PMAD, 96,04% dos domicílios são ligados à rede geral de abastecimento de água. Poços ou cisternas abastecem 13,96% das residências  e poços artesianos são responsáveis pelo abastecimento de 2,43% dos domicílios.

As cidades do entorno ainda não tem uma infraestrutura sólida: 68,41% não são atendidas por redes de águas pluviais. O percentual de domicílios ligados à rede geral de esgotamento sanitário é de menos da metade: 46,8%. As fossas sépticas são utilizadas por 52,8% dos domicílios e a rudimentar por 17,07% das famílias.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A PMAD é realizada por uma equipe multidisciplinar, que envolve responsáveis pelo planejamento, execução e tratamento estatístico dos dados da Pesquisa; e especialistas na análise dos dados, cruzamento de informações e elaboração dos relatórios de resultados.






Você pode gostar