Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Brasília

CNC prevê aumento nas vendas de varejo para o segundo semestre

Por Lucas Neiva 22/07/2021 8h49
Foto: Tânia Rêgo /Agência Brasil

Pesquisas apontam tanto para satisfação do setor varejista quanto para aumento na intenção de consumo

Duas pesquisas de mercado no Distrito Federal apontam para uma tendência de aumento nas vendas para o setor varejista no segundo semestre de 2020. De um lado, um levantamento da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) aponta para alta na intenção de consumo em Brasília. Do outro, uma pesquisa do mesmo instituto indica otimismo dos comerciantes para as vendas do segundo semestre.

A pesquisa relativa à confiança do setor no comércio do DF indica a terceira alta consecutiva no Índice de Confiança do Empresário do Comércio (Icec) na capital, alcançando 110,4 pontos no mês de julho. As duas pesquisas anteriores, realizadas em julho do ano passado e abril de 2021, apresentaram índices de 69,8 pontos seguidos de 96,7. Esse aumento no índice demonstra também que os empresários em Brasília já estão crentes na retomada da economia, que entrou em crise graças à pandemia.

De acordo com o presidente da Fecomércio-DF, José Aparecido Freire, o aumento da confiança local não veio por acaso. “Essa alta nós acreditamos que seja em relação ao que o Governo do Distrito Federal fez: a flexibilização dos horários de funcionamento; o Pró-Economia, que gerou benefícios para vários setores do DF, a vacinação que avançou bastante nos últimos meses e também o Pronampe, que é um empréstimo feito às pequenas e microempresas à longo prazo para que elas possam se recuperar”, afirma.

José Freire acrescenta que o segundo semestre costuma ser de alta expectativa no comércio por conta das festividades desse período. “Temos em agosto o dia dos pais; em outubro temos o dia das crianças e o melhor mês de vendas, que é dezembro, no natal”, explica. Para 2021, o otimismo dos vendedores coincide com a vontade dos consumidores.

Desde a segunda onda de infecções da pandemia da covid-19 no último mês de março, o índice de Intenção de Consumo das Famílias no DF apresentou quedas constantes, partindo de 70,7 pontos no mês de fevereiro para 62,3 pontos no mês de junho. Porém, a última pesquisa realizada pela CNC revelou uma nova alta, passando para 62,9 pontos.

O sistema de contagem de pontos da CNC leva em consideração uma escala em que valores acima de 100 indicam satisfação e abaixo de 100 indicam insatisfação. Apesar da última pesquisa apresentar uma pontuação abaixo de 100, a pesquisa leva em consideração que desde o início da pandemia o DF não apresentou mais nenhum resultado acima de 100. Já a nível nacional, esta marca não é atingida desde abril de 2015.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






Você pode gostar