Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Brasília

Cerca de 500 pernoites garantidas às pessoas em situação de rua

Chamada de Ação Contra o Frio, a iniciativa estava prevista para ocorrer ao longo do fim de semana, mas acabou se estendendo até esta quarta-feira (25)

Foto: Ádamo Dan/Sedes

A chegada do frio ao Distrito Federal traz consigo a preocupação latente com quem não pode se proteger das baixas temperaturas. Desde o início da semana, o movimento nos espaços públicos abertos pelo Governo do Distrito Federal (GDF) para pernoite da população em situação de rua diminuiu consideravelmente, graças ao aumento da temperatura.

Chamada de Ação Contra o Frio, a iniciativa estava prevista para ocorrer ao longo do fim de semana, mas acabou se estendendo até esta quarta-feira (25). “Foi fundamental. Passei muito frio na semana passada. Aqui, fiquei protegida, me alimentei e ganhei cobertor e algumas roupas de frio”, conta Elidiane Lima, 39 anos.

Em situação de rua por conta de questões familiares, ela aproveitou os pernoites para estudar e planejar o futuro. “Eu vou fazer a prova do TJ neste fim de semana. Eu precisava ter me concentrado mais, mas aproveitei para rever algumas matérias aqui”, destaca a candidata a uma das vagas no Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT), agendada para domingo (29).

“Agora é tocar a vida e buscar, a cada dia, coisas melhores. Tenho consciência que aqui foi temporário e eu preciso evoluir”, conta um mineiro de 27 anos, que prefere não se identificar.

“Tivemos que agir rapidamente para abrigar temporariamente essas pessoas. Seguimos monitorando a situação para ações futuras”, destaca a secretária de Desenvolvimento Social, Mayara Noronha Rocha.

Serviços

Ao longo do período de atividades foram servidas 600 refeições, entre lanche da noite e café da manhã, sem falar na alimentação preparada por grupos da sociedade civil, que ajudaram a aquecer as noites frias. A população doou mais de 500 quilos de roupas, que estão sendo entregues às pessoas que buscaram o abrigo.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Na manhã desta quarta-feira, equipes do Serviço Especializado de Abordagem Social (Seas) estiveram nos locais para apresentar os serviços socioassistenciais e encaminhar aqueles que quiserem ir para unidades permanentes de acolhimento, mas poucos aceitaram.

A Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejus) também enviou servidores para ofertar possíveis encaminhamentos para a comunidades terapêuticas, lembrando se tratar de um ato voluntário do cidadão.

A secretária de Desenvolvimento Social enalteceu a união de esforços das pastas do GDF e população em geral. “Só deu certo por causa dessa união de esforços: governo, população e organizações da sociedade civil. Todos juntos por uma mesma causa. Nosso sincero e profundo agradecimento a cada servidor e cidadão que tornou essa ação possível”, finaliza Mayara Noronha Rocha.

*Com informações da Agência Brasília

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE








Você pode gostar