Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Brasília

Casos de dengue crescem 30%

Região norte é a que apresenta maior incidência, com 103 contaminados entre fevereiro e março

Por Lucas Neiva 11/03/2021 6h29

Entre os dias 22 de fevereiro e 1º de março, datas do penúltimo e último boletim epidemiológico da dengue no DF, os casos prováveis da doença aumentaram de 1.044 a 1.361, representando em uma semana um aumento de 30 pontos percentuais. A região norte do DF é a que apresenta maior incidência, com 103 novos casos ao longo desse período.

Apesar de representar um aumento considerável na quantidade de contaminações por dengue, esse número ainda representa uma queda acentuada em comparação com o mesmo período do ano anterior. Ao longo de todo o ano de 2020, foram registrados aproximadamente 47,5 mil casos prováveis de dengue no DF, com 4.839 ocorrendo no período de janeiro a março, representando em 2021 uma queda de mais de 71%.

Imunidade de rebanho

O boletim da Secretaria de Saúde (SES) associa a queda em comparação ao ano anterior a uma possível imunidade de rebanho. “O DF teve dois anos epidêmicos consecutivos (2019 e 2020) que podem ter causado uma imunidade de rebanho,que tem um grande impacto na circulação viral e no risco de infecção humana, uma vez que, limita a eficiência da transmissão ou a conduz a uma extinção temporária, e favorecendo esse decréscimo”, relata o documento.

Essa possível imunidade, por outro lado, não é para sempre e não representa alívio a longo prazo. “Se um paciente é infectado pela dengue pela segunda vez em um espaço de tempo menor do que cinco anos, a probabilidade de desenvolvimento de uma dengue grave é muito alta. É a forma que nós chamamos de dengue hemorrágica”, explica Walter Ramalho, pesquisador da dengue no Núcleo de Medicina Tropical da Universidade de Brasília (UnB).

Atenção da população

Desde 2020 que a SES mantém uma política intensa de inspeção domiciliar em busca de criadouros do mosquito Aedes Aegypti, e relata por meio de sua assessoria de comunicação que os quintais das casas continuam sendo o principal foco de procriação do mosquito. “Por isso, não se pode descuidar da atenção a pequenos reservatórios, como vasos de plantas, calhas entupidas, garrafas, entre outros”, alerta.
O aumento de casos no último mês preocupa inclusive o governador Ibaneis Rocha. Na reunião com prefeitos dos municípios do entorno realizada no final de fevereiro para organizar a cooperação no combate à covid-19, o governador destacou a necessidade de também traçar uma estratégia conjunta de combate à dengue, pois a doença também possui impacto sobre a carga de pacientes nos hospitais do DF e Goiás.






Você pode gostar