Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Brasília

Câncer de próstata: se descoberto cedo, chance de cura é de até 90%

Preconceito é o principal inimigo dos homens de mais de 40 anos, devido ao fato de a doença ser silenciosa no estágio inicial

Por Willian Matos 11/11/2019 11h50

Da redação
[email protected]

No mês de novembro, marcado pela campanha Novembro Azul, o tema “câncer de próstata” marca os noticiários. É o segundo câncer que mais mata os homens no Brasil e, por isso, a importância de se abordar o tema.

O câncer de próstata é uma doença silenciosa em seu estágio inicial, dando sinais apenas quando avançada. Este fator, aliado ao preconceito e resistência masculina em buscar prevenção e realizar exames, pode ser fatal. “Ainda existe resistência da população masculina em buscar a prevenção. É preciso a conscientização e o apoio da família para os cuidados da saúde do homem”, orienta o subsecretário de Atenção Integral à Saúde, Ricardo Tavares.

Por isso, a realização de exames de rotina é tão importante para os grupos de risco – homens a partir de 50 anos de idade ou aos 45 anos, se houver casos na família. “Todos, especialmente a partir dos 40 anos, devem procurar uma Unidade Básica de Saúde (UBS) para uma avaliação e realizar exames laboratoriais, para que casos de câncer sejam diagnosticados precocemente e tenham possibilidade de cura”, afirma Tavares.

Foto: Matheus Oliveira/Arquivo-SES​

90% de chance de cura

Para realizar o diagnóstico do câncer de próstata são necessários, inicialmente, dois exames: o de sangue (PSA) e o digital da próstata. “Ambos os exames são simples de serem realizados e amplamente disponíveis na rede pública de saúde. O exame da próstata (toque retal) dura apenas dez segundos e é realizado de maneira indolor”, frisa o urologista Fernando Fróes. Segundo o especialista, o importante é o diagnóstico precoce da doença, quando descoberta na fase inicial, a chance de cura é superior a 90%.

Em caso de suspeita de câncer de próstata, o paciente é encaminhado para avaliação com urologista da rede pública de saúde. O atendimento ocorre nos seguintes hospitais: Asa Norte, Sobradinho, Taguatinga, Ceilândia, Gama, Santa Maria, Região Leste (antigo Paranoá) e Base. Essas unidades também fazem cirurgias de retirada do câncer de próstata.

Quando em quadro avançado, a doença pode apresentar sintomas como dificuldade para urinar decorrente da compressão do tumor sobre o canal urinário, além de dores ósseas em pacientes que já possuam tumores espalhados.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Novembro azul

Durante o mês de novembro, diversas atividades de conscientização e prevenção são realizadas em todo o país. Na Secretaria de Saúde do DF, haverá ações para reduzir a fila de diagnóstico e tratamento cirúrgico de doenças malignas e benignas da próstata, além de outras ações de conscientização sobre a saúde do homem nos hospitais de Base, Taguatinga e Asa Norte, e atividades pontuais regionalizadas em outras unidades.

“Estão previstas 15 cirurgias de câncer de próstata, no Hospital de Base, para reduzir em até 60% a fila do procedimento. Teremos, também, mutirão de vasectomia no Hospital Regional da Asa Norte”, conta Fernando Fróes. 

No HRT, estão previstas 45 cirurgias urológicas, tanto de doenças benignas quanto malignas. As operações acontecerão às terças e quartas-feiras em pacientes que aguardam na fila desde 2016.

Com informações da Agência Brasília

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE








Você pode gostar