Brasília

Atendimento será dobrado no Hvep

As unidades modulares vão ampliar o número de instalações. O serviço vai passar de 900 para 2,1 mil consultas/mês

Tony Oliveira/Agência Brasília

O Hospital Veterinário Público (Hvep) vai iniciar 2021 com uma grande ampliação que resultará na duplicação do número de antedimentos públicos realizados até então. No começo do mês de março, o local vai passar por mudanças e a estimativa é que 2,1 mil consultas sejam feitas por mês.

Cinco módulos pré-fabricados, tipo contêineres, serão adaptados ao lado da sede para abrigar o centro cirúrgico do hospital. Este, inclusive, vai passar a realizar também cirurgias ortopédicas. Já as senhas distribuídas para o atendimento, vão passar de 50 para 100 por dia. O número de funcionários, entre veterinários, assistentes e apoio, será aumentado em 25 %, passando de 34 para 55 funcionários (contando com veterinários, auxiliar veterinário, recepcionista, apoio, técnico de radiologia, etc.).

Localizado no Parque Lago do Cortado, em Taguatinga, o Hvep oferece serviços gratuitos e de excelência no tratamento de animais de pequeno porte. “O Hvep é uma referência em Brasília no atendimento aos animais. Por determinação do governador Ibaneis, vamos implementar essas melhorias e, nesse primeiro momento, dobrar a capacidade de atendimento”, revela o secretário de Meio Ambiente, Sarney Filho. “Mas, ainda há espaço para crescer mais”, assegura.

O investimento feito pelo GDF no hospital é de R$ 235 mil a mais por mês no termo de colaboração de gestão do hospital, firmado com a Associação Nacional de Clínicos Veterinários de Pequenos Animais (Anclivepa). No total, cerca de R$ 2,8 milhões por ano serão destinados às melhorias na unidade. Os gestores, no entanto, já vislumbram o aumento da estrutura para atender a mais animais da capital.

“A médio prazo, estamos trabalhando para incrementar o espaço físico com a construção de prédios anexos na área do parque. A procura vem aumentando muito e existe a necessidade”, explica o presidente do Brasília Ambiental, Cláudio Trinchão. O órgão é responsável por administrar o local em parceria com a Anclivepa.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Segundo o balanço do ano de 2020, o hospital realizou cerca de 1.000 cirurgias e cerca de 11 mil exames de imagem. Trinchão explica que a ampliação dos serviços e das unidades estão sendo estudados e negociados desde dezembro.

Outra novidade para os usuários também está prestes a chegar: a marcação de consultas pelo Agenda-DF, a plataforma de agendamento pela internet do Governo do Distrito Federal. A expectativa do Brasília Ambiental é dividir as senhas presenciais com as marcações on-line, também a partir de março.

Cura no Hvep

Para quem já precisou dos cuidados do Hvep com seu bicho de estimação, o retorno é positivo. A cadela Rany, uma pequena husky siberiana, chegou ao local com cinomose, uma espécie de infecção viral. Passou por tratamento intensivo e esta semana já estava no retorno da consulta, sã e salva.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Foi a primeira vez das donas Anna Teresa Oliveira, atendente, e Sarah Pelicer, estudante, no hospital. “Gostamos muito, os veterinários são muito atenciosos. Graças a Deus, saímos daqui com ela salva”, conta Anna, 22 anos. “Esse serviço é essencial. Então acho que aumentando a estrutura, vai poder atender a muito mais gente”, emenda.

Sarah explica que, depois de passar por uma clínica particular, a cadela se curou no Hvep. “Foi um amigo que nos indicou vir aqui. E, realmente, valeu a pena ter vindo. Agora, segue a vida”, comemora a estudante de 19 anos.

Política ambiental

Na visão do secretário-geral do Brasília Ambiental, Thulio Moraes, apostar no crescimento do hospital veterinário é fundamental, mas não somente por conta do atendimento à comunidade.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“Além de ser uma política social, em que se oferece um serviço totalmente gratuito e feito por profissionais experientes, é também uma política de meio ambiente”, pondera. “O hospital atua no o controle de reprodução e da sanidade de cães e gatos de todo o Distrito Federal”, complementa Moraes.

As informações são da Agência Brasília






Você pode gostar