Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Brasília

Ação conjunta atende pessoas em situação de rua no Setor Comercial Sul

O objetivo é prestar atendimento nas áreas de saúde, moradia, emissão de documentos, como carteira de trabalho digital, e colocação no mercado de trabalho

Por Catarina Lima 24/08/2020 6h42
Foto: Agência Brasil

Uma ação conjunta das secretarias de Trabalho, Saúde, Segurança Pública, Mulher, Defesa civil, Desenvolvimento Social e Justiça, estará de hoje até o dia 4 de setembro numa tenda montada no Setor Comercial Sul para atender às cerca de 300 pessoas em situação de rua que vivem no local. O objetivo do projeto é prestar atendimento nas áreas de saúde, moradia, emissão de documentos, como carteira de trabalho digital, e colocação no mercado de trabalho. O local é um dos preferidos para a população em situação de rua por estar situado na zona central de Brasília.

A Secretaria de Segurança está dando apoio logístico ao trabalho, realizou mapeamento de desordens sociais, bem como vistorias de caráter preventivo, para verificar possíveis riscos estruturais de edificações, instalações elétricas e centrais de gás. Também realizou a distribuição de cestas básicas e cobertores a pessoas que estão nas ruas, mas que possuem endereço fixo.

O planejamento da operação foi elaborado em reuniões organizadas no Centro Integrado de Operações de Brasília (Ciob) que envolveu, além dos órgãos públicos, membros da comunidade local, comerciantes, produtores culturais e representantes dos Conselhos de Segurança (Consegs) de Brasília e da Área Central. A Subsecretaria de Operações Integradas (Sopi) coordena as ações de segurança pública. A Subsecretaria de Inteligência (SI) realizou mapeamento estratégico do local.

A Subsecretaria de Prevenção à Criminalidade (Suprec) também está presente na operação, auxiliando as abordagens sociais. Além disso, a subpasta é responsável por articular com representantes da sociedade civil (movimentos sociais, organizações culturais e comércio local) e órgãos de governo, parcerias em ações de prevenção e cultura de paz para a região.

Para o secretário de Segurança Pública, delegado Anderson Torres, a atuação integrada é importante para mostrar que o governo está presente na revitalização de um espaço histórico da capital do país. “Instalamos a Cidade da Segurança Pública, com uma série de serviços. Nosso objetivo é atuar preventivamente, mostrando para empresários e frequentadores que o SCS é um local seguro. Em 2020, por exemplo, não foi registrado homicídio no local, aponta Torres”, aponta Torres.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Já a Secretaria de Saúde, além de realizar o exame de covid-19, será responsável pela abordagem das pessoas que vivem em situação de rua, juntamente com a Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes). De acordo com a Secretaria de Trabalho, já no primeiro dia da ação foi grande o interesse das pessoas que vivem no Setor Comercial pelo projeto. A Setrab acredita que será possível atender – emitir carteira e inserir no mercado de trabalho – 80% do público alvo. Durante a pandemia de covid-19 alguns dos moradores do SCS que não tinham documentos conseguiram fazer carteiras de identidade e CPF com a ajuda de Organizações Não Governamentais (ONG). De posse dos documentos foi possível se inserir no programa de ajuda emergencial do GDF de R$ 400 reais.

Desde o início da pandemia do novo coronavírus, com a redução da circulação de pessoas no no SCS, os moradores do local contam com ajuda de voluntários que doam alimentos e produtos de higiene pessoal. Antes mesmo do projeto conjunto, a Secretaria de Desenvolvimento Social que já distribuía marmitas em vários pontos do local e fez a reforma dos banheiros públicos, em parceria com o empresariado local. Os moradores do Setor Comercial, como os de outras localidades, receberam da Sedes durante três meses 2.400 refeições diárias. Os alimentos eram preparados em restaurantes comunitários e levados ás pessoas.

Desde junho as refeições deixaram de ser entregues na rua e a distribuição foi concentrada no Alojamento Provisório do Autódromo, no da Ceilândia, nos centros POP e restaurantes comunitários. Nos alojamentos Provisórios são distribuídas três refeições diárias.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






Você pode gostar