Siga o Jornal de Brasília

Brasil

Um crime anunciado na internet

JBr apura que usuário de site deu a entender que sabia do ataque na escola antes de ele ocorrer

Publicado

em

Lucas Neiva com agências
[email protected]

Um adolescente de 17 anos invadiu uma escola e atacou estudantes de 12 a 13 anos da sétima série e um professor no início da tarde de ontem, em Charqueadas, a 39 km de Porto Alegre (RS). O episódio ocorreu no Instituto Estadual Educacional Assis Chateaubriand. Os alunos quebraram o vidro de uma janela para escapar do local. O jovem fugiu, mas foi detido pela Brigada Militar, a PM gaúcha, por volta das 16h20, segundo o vice-governador, Ranolfe Vieira.

Segundo apurou o Jornal de Brasília, tudo leva a crer que o ataque pode ter sido anunciado bem antes, às 9h15, por um usuário de um fórum anônimo na internet, geralmente acessado por extremistas, especialmente de direita.

No post, o usuário, que não se identifica, publicou uma ilustração remetendo ao massacre de Columbine, nos Estados Unidos, dando a entender que já havia feito uma referência prévia ao atentado de ontem em um outro fórum de que participava, referido como “27” e que encontra-se fora do ar. O massacre de Columbine culminou, em 1999, com o assassinato de 13 estudantes da escola americana que leva o nome da cidade.

Na imagem cartunesca, o personagem “Pepe”, frequentemente utilizado em fóruns desse tipo, aparece vestido como um dos jovens que participaram da chacina em Columbine – boné, sobretudo e camisa pretos, óculos escuros e portando uma escopeta. Ao redor, marcas de tiros e sangue.

Outro ataque

O mesmo usuário que teria insinuado conhecimento prévio do atentado em Charqueadas afirma também no post que em breve o site apareceria na mídia e que não anunciaria nada em outros fóruns do tipo (que ele faz referência como 55 e Dogola). O post gerou uma discussão entre os usuários, e um deles chegou a revelar já ter comprado a munição para realizar outro ataque em algum lugar que ele se refere como “um antro de esquerdistas”.

Em um comentário no mesmo post, outro participante faz chacota com o fato de nenhum estudante ter morrido no ataque de Charqueadas. Em dialeto próprio, diz: “scq (sua cara quando) descobre que o anão (autor do atentado) era um underage (menor de idade) e não matou ninguém”.

Ex-aluno

O jovem autor do atentado em Charqueadas é um ex-aluno do próprio Instituto Estadual Educacional Assis Chateaubriand. Segundo informação do site G1-RS, o adolescente tinha a intenção de matar um ex-colega com quem tinha uma desavença, conforme a Polícia Civil. Ele prestou depoimento após ser apreendido horas depois do ataque.

De acordo com o delegado Marco Aurélio Schalmes, o criminoso estudou na escola até 2015. Nesse período, criou-se um desafeto com um ex-colega do quinto ano do ensino fundamental. Depois, quando trocou de escola, pensou em se vingar das agressões que sofria, conta o delegado.

O hospital de Charqueadas atendeu pelo menos seis pessoas, quatro feridos sem gravidade e dois atendimentos por abalo psicológico, segundo Vieira. Nenhuma vítima está em estado grave.

“Foram algumas escoriações superficiais, que ocorreram principalmente quando pularam a janela para fugir”, disse o médico Alan Carlos de Almeida Martins.

O agressor usou uma arma semelhante a um pequeno machado e ameaçou incendiar o local. Segundo o vice-governador Ranolfe Vieira, o jovem usou um lenço no rosto.

Ação rápida de professor evitou o pior

Segundo o primeiro-tenente da PM Alcindo Valente Brasil, o adolescente jogou o machadinho na sala de aula e agrediu um menino de 12 anos e depois cortou outro garoto. “Um professor acabou contendo a ação do indivíduo”, disse o vice-governador Ranolfe Vieira. “Esse professor, com a ação dele, pode ter evitado um ato mais grave”, acrescentou.

Além da polícia, a escola chamou os bombeiros voluntários de Charqueadas. “Fizemos os primeiros atendimentos. Nenhum ferimento foi grave, mas estavam todos muito nervosos”, contou o bombeiro Maurício Naatz.

Vinte bombeiros voluntários trabalham em uma sede provisória cedida por um morador da cidade. Eles contam com ajuda da prefeitura para manter as viaturas que usam “Tudo aquilo que poderá servir como prova no processo foi recolhido. Todas medidas iniciais foram tomadas”, disse o vice-governador. O jovem deixou uma mochila no local, contendo garrafas vazias e uma com substância possivelmente inflamável e um isqueiro.

Em novembro de 2018, um adolescente de 17 anos foi assassinado com golpes de canivete em frente ao mesmo Instituto Estadual Educacional Assis Chateaubriand.


Você pode gostar
Publicidade