Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Blogs e Colunas

Vinícola Morandé: pioneirismo, inovação e qualidade na elaboração de seus vinhos

Conhecida pelo pioneirismo na produção de vinhos no Chile, a Viña Morandé, através do enólogo Ricardo Baetting, nos apresentou três rótulos

A importadora W Blends, junto com a distribuidora de vinhos Due, realizaram, nesta semana, um almoço com os vinhos da premiada vinícola Morandé, do Chile. A Due, sediada em Brasília, será a responsável pela comercialização dos vinhos desta vinícola, tanto na capital federal quanto em Goiás.

Conhecida pelo pioneirismo na produção de vinhos no Chile, bem como por estar sempre à frente na inovação e prezando pelo alto padrão de qualidade de seus vinhos, a Viña Morandé, através de seu enólogo Ricardo Baetting, nos apresentou três rótulos. Com uma longa trajetória vitivinícola no Chile e no exterior, Baettig está na Morandé há 11 anos, e um dos primeiros trabalhos foi relançar o projeto “Aventuras”, que veio para reativar vinhedos de “secano”, ou seja, que não são utlizadas nenhuma técnica de irrigação, no interior de Maule e Itata, regiões localizadas na zona centro-sul do Chile. Essa linha traz castas como Cinsault, Garnacha, País, Portugais Bleu, Romano e Carignan.

Estava também presente no almoço a embaixadora da marca no Brasil, Keli Bergamo, que possui várias certificações e especializações relacionadas ao estudo do vinho. Desde 2020, Keli comanda treinamentos e eventos por todo o país com o intuito de promover os vinhos da Morandé e capacitar os parceiros.
Durante o evento foram degustados os seguintes vinhos:

  • Morandé Terrarum Selected Blocks Chardonnay, que tem 40% fermentado com a casca para obter maior estrutura no vinho final, e a fração restante é prensada diretamente com todo o cacho para obter um mosto de maior qualidade. A fermentação ocorre em barris de 300 e 500 litros e fudres de 4 mil litros de carvalho francês e acácia, onde estagia por 10 meses.
  • Morandé Terrarum Single Estate Sauvignon Blanc. Suas uvas são colhidas manualmente, e após a prensagem, é decantado a baixas temperaturas para obter a máxima clareza. É fermentado com leveduras selecionadas, em tanques de aço inoxidável a temperaturas entre 10 e 12ºC, o que lhe permite desenvolver todo o potencial varietal, com acentuadas notas cítricas. O vinho é mantido em borras finas até o engarrafamento, preservando seu frescor e aumentando o volume na boca.
  • Morandé Adventure Creole, elaborado com as variedades de uvas Cinsault e País. Apesar da Cinsault ser de origem francesa, chegou ao Chile após o terremoto de Chillán em 1939 e encontrou seu lugar na zona centro-sul do país. O Creole resgata a realidade camponesa de sua origem, através das uvas que o compõem, Cinsault e País, duas variedades do interior de Itata e Maule, fortemente enraizadas na cultura e tradição da região, hoje consideradas “cepas patrimoniales” (variedades de uva patrimoniais). A vinificação em maceração carbônica entrega um vinho com características de frutas intensas e vívidas que nos convidam a viver uma experiência agradável e profunda.

Em Brasília e Goiânia, os vinhos da Morandé são representados e distribuídos pela Due, comandada por Francielle Pícolo e Rogério Santos, e podem ser encontrados na Super Adega.

Wines of Chile promove degustação de vinhos premium na Embaixada do Chile

O mercado brasileiro é o número um para os vinhos engarrafados exportados do Chile e o segundo em valor, por isso cada vez mais são realizadas degustações para a divulgação dos vinhos chilenos. Brasília, como grande mercado consumidor desta bebida, não poderia ficar de fora do circuito promocional, e a Embaixada do Chile foi o local escolhido, na última terça-feira (23), para apresentar à imprensa e empresários do setor de lojas, mercados e restaurantes alguns vinhos de alta gama que estão a chegar ao país.

Preciso deixar claro para o consumidor de vinhos que o Chile é muito mais do que Carmérnère e Cabernet Sauvignon. A diversidade de variedades de uvas para a elaboração de vinhos é extensa. Além disso, é preciso atentar para o fato de que o Chile foi o primeiro país na América do Sul a cultivar videiras e consequentemente elaborar vinhos. As mudas de uvas chegaram ao Chile por volta de 1548, trazidas pelo frade espanhol Francisco de Carabantes, depois de descobrir que essa era a terra perfeita para o seu cultivo. O registro da primeira vindima data de 1551 na região de La Serena, ao norte do país.

Desde o início dos anos 2000 o Chile tem apostado em sustentabilidade, buscando identidade para seus vinhos, valorizando os pequenos produtores e as tradições campesinas, bem como investindo em tecnologia e inovação. O resultado podemos ver na garrafa com vinhos de alta qualidade e grande diversidade varietal.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

No evento organizado pela Wines of Chile, agência chilena de promoção de seus vinhos, provamos os seguintes rótulos:

  • Cordillera de Los Andes Vigno Carignan, 2018 da Viña Miguel Torres, com preço médio no mercado de R$ 180,00. Indico a todos a provar a casta Carignan, que, apesar de ser francesa, encontrou no Chile clima e solo para seu cultivo e origina excelentes vinhos;
  • Viu Manent Single Vineyard Loma Blanca Carménère, 2019, Vinã Viu Manent, com preço médio de R$ 220,00;
  • Microterroir de Los Lingues Carménère, 2018, Viña Casa Silva. Preço médio R$ 583,62;
  • Terrunyo Carménère, 2018, Viña Concha y Toro. Preço médio R$ 300,00;
  • Sutil Limited Release Syrah, 2020, Viña Sutil, Valle de Limari.
  • Outer Limits Syrah, 2019, Viña Montes. Preço médio R$ 347,67.
  • La Trampa Private Reserve, 2019, Viña Casas del Bosque. Preço médio R$ 549,00
  • Antiguas Reservas Cabernet Sauvignon, 2019, Viña Cousiño Macul. Preço médio R$ 135,00.

Cada vinho foi apresentado pelo enólogo responsável pela sua elaboração, que nos informou sobre o modo de cultivo do vinhedo, a vinificação, o processo de guarda, entre outros detalhes. Foi uma experiência enriquecedora que demonstra o quanto o Chile valoriza o mercado consumidor brasileiro.

Provei e Aprovei

No “Provei e Aprovei” desta semana, recomendo um vinho super especial: o Teanum Otre Falanghina, 2020, Puglia, trazido pela importadora 4U.wine.

Já ouviu falar na variedade de uva Falanghina? Considerada uma das variedades mais antigas da região da Campania, ao sul da Itália, ela origina vinhos brancos com alta acidez, aromas florais e algumas vezes uma nota de folha verde pungente.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Teanum Otre Falanghina 2020, é da região da Puglia, Itália, da vinícola Cantine Teanum. São 10 hectares plantados dessa variedade com videiras de 20 anos. A colheita é manual, e depois da prensagem e fermentação, a uva passa por uma fase de amadurecimento em tanques de aço inoxidável por cinco meses em contato com lias. O resultado é um vinho fresco, elegante, cremoso, que preenche toda a boca, com aroma floral, bem como de pêssego e nuances de maçã vermelha. Acompanha muito bem peixes e frutos do mar. Um super vinho branco! Onde comprar? Pelo site www.4U.wine, preço médio R$ 224,00.

Foto: Cynthia Malacarne






Você pode gostar