Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Blogs e Colunas

Vinícola Marchesi Antinori: vinhos ícones italianos em Brasília

Importadora Berkmann Brasil, que traz os vinhos da Marchesi Antinori para o país, fez evento de degustação nesta semana em Brasília

Todo apaixonado por vinhos já ouviu pelos menos falar dos vinhos da vinícola italiana Marchesi Antinori. A família Antinori possui tradição na elaboração de vinhos há mais de 26 gerações, desde 1385. Considerada uma das maiores vinícolas da Itália, também tem projetos em outros países, como o Chile, com a Viña Haras de Pirque.

Na Itália, os vinhos da Marchesi Antinori revolucionaram o mercado na Toscana durante a década de 1970 com os vinhos Tignanello e Solaia; os Super Toscanos, que em sua elaboração utilizam variedades de uvas internacionais como Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc, Syrah e Merlot; além da casta autóctone italiana Sangiovese.

No Brasil, os vinhos são trazidos e comercializados pela importadora Berkmann Brasil, que esta semana fez um evento de degustação, em Brasília, para parceiros, jornalistas e compradores. Estiveram presentes o Embaixador da Antinori no Brasil, Matheus Carvalho, e o representante da vinícola na América do Sul, Elia Atzori. Nesta ocasião tive a oportunidade de provar alguns de seus vinhos premiados, inclusive
de outros projetos fora da Itália. Segue a lista:

  • Conte della Vipera, branco, da região da Umbria, castas Savignon Blanc e Semillon, 2020;
  • Kékfrankos Rosé, Hungria, uva Kékfranko, Tűzkő Estate/Marchesi Antinori, 2020;
  • Prunotto, Bric Turot, Barbaresco, Nebbiolo, Piemonte, 2017;
  • Albis, Cabernet Sauvignon e Carmenere, Maipo, Chile, Haras de Pirque/Antinori
    Tignanello, Sangiovese, Cabernet Sauvignon e Cabernet Franc, Toscana, 2018;
  • Vinsanto del Chianti Classico, Trebianno e Malvasia, Toscana.

Os vinhos estão à venda na Super Adega, Rota do Vinho, Dona de Casa e Bellavia.

Casa Romero: um novo Chile vitivinícola

O Chile é mundialmente conhecido como grande produtor de vinhos da América do Sul. Sua história vitivinícola começa por volta de 1548 com a chegada das primeiras videiras no país, trazida pelos colonizadores espanhóis.

Durante todo o seu trajeto de elaboração de vinhos, o Chile passou por diferentes etapas evolutivas que marcaram sua história. Entre 1800 a 1949 ocorreu o surgimento das grandes vinícolas de prestígio, como Viña Concha e Toro, Viña Cousiño Macul, Viña Santa Rita, Viña Errazuriz, dentre outras. No período de 1950 a 1979, houve estagnação na produção de vinhos. A partir dos anos 2000 surgiu um novo Chile com a busca pela identidade de seus vinhos, práticas de produção mais sustentáveis, desenvolvimento de nova áreas vitivinícolas, foco na qualidade das uvas, novas técnicas de viticultura, mudanças na vinificação com foco na fruta e menos na madeira e desenvolvimento do enoturismo.

Com isso, surgiram vinícolas boutiques, familiares, que elaboram seus vinhos com a menor intervenção possível, buscando sempre a qualidade. A Viña Casa Romero nasceu em 2010, idealizada pela sua proprietária Angelica Romero Nuñez, localizada no Valle de Casablanca, com esta filosofia. Toda a colheita é manual, a fermentação dos vinhos é espontânea e o uso da madeira é bastante moderado, onde privilegia-se a fruta, o frescor e a acidez nos vinhos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Para quem não conhece o Chile, preciso comentar sobre o Valle de Casablanca, inicialmente famoso pelo plantio de castas brancas e elaboração de vinhos brancos. Atualmente, este vale está também a se tornar uma zona produtora de vinhos tintos de alta qualidade, em virtude de seu clima e solo. Assim, uvas tintas como a Pinot Noir e Syrah se adaptaram muito bem à região e originam vinhos com estrutura, acidez e elegância.

Os vinhos da Casa Romero são surpreendentes, e acabaram de aterrizar em Brasília! Estão à venda na loja Más Vino, na 306 Sul, e os preços são inacreditáveis. Para quem busca vinhos com ótima qualidade e preço, esses são para você. A linha El Emissario, com curto estágio em madeira, está a ser comercializada por R$ 89,00. Já a linha Viento Puelche que estagia por 18 meses em barricas de carvalho francês custa R$ 199,00. Ontem tive a oportunidade de provar alguns dos seus rótulos:

  • El Emisario Sauvignon Blanc, 2019
  • El Emisario Pinot Noir, 2015
  • El Emisario Carmenère, 2020.
  • Viento Puelche, Pinto Noir, 2013
  • Viento Puelche Syrah, 2018
  • El Infiltrado Carmenére, 2018
Foto: Cynthia Malacarne

Aproveita que hoje é sexta-feira e vamos provar os vinhos da Viña Casa Romero!

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE








Você pode gostar