fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Mídias e Identidade

Princesa Isabel: “Deus nos proteja dos escravocratas”

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

Uma carta da Princesa Isabel destinada ao Visconde Santa Victória, sócio do Barão de Mauá, está sendo amplamente divulgada nas redes sociais.

Na verdade, o documento foi descoberto há mais tempo. O texto foi encontrado em 2007 em meio ao arquivo do Memorial Visconde de Mauá, RJ. A redação traz informações sobre a concepção da Princesa quanto a reparar os escravizados que haviam sido libertados em 13 de maio, de 1888.

Na carta, a princesa se diz informada pelo seu “papai” da doação de uma verba para indenizar os negros recém-libertos. “Com os fundos doados teremos oportunidade de colocar estes ex-escravos, agora livres, em terras suas próprias trabalhando na agricultura e na pecuária e delas tirando seus próprios proventos”.

E prossegue a princesa, “Deus nos proteja dos escravocratas e os militares saibam deste nosso negócio, pois seria o fim do atual governo e mesmo do Império e da Casa de Bragança no Brasil”, reflete.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Nas últimas décadas, sobretudo a partir dos anos 1970, o legado histórico de Princesa Isabel vem sendo contestado, sobretudo o símbolo de “Redentora da Raça Negra”, em prol de uma valorização da trajetória de Zumbi dos Palmares.

O Movimento Social Negro optou por legar a imagem da Princesa Isabel um ostracismo e uma contestação, uma vez que a abolição não se seguiram políticas reparatórias de inserção dos ex-cativos no campo social e econômico.

O conteúdo da carta revela uma monarca com visão progressista e comprometida com essa visão de inserção dos negros na sociedade. Há também uma menção sobre uma concepção feminista da princesa, o que se mostra arrojado para a época.

A fonte do documento é o Memorial Visconde de Mauá RJ e Museu Imperial de Petrópolis RJ. Revista Nossa História, nº 31.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
O culto à Princesa Isabel como "Redentora da Raça Negra" foi comum no século 19 e nas primeiras décadas do século 20.

O culto à Princesa Isabel como “Redentora da Raça Negra” foi comum no século 19 e nas primeiras décadas do século 20.


“11 de agosto de 1889 – Paço Isabel
Corte midi

Caro Senhor Visconde de Santa Victória*

Fui informada por papai que me colocou a par da intenção e do envio dos fundos de seu Banco em forma de doação como indenização aos ex-escravos libertos em 13 de Maio do ano passado, e o sigilo que o Senhor pediu ao presidente do gabinete para não provocar maior reação violenta dos escravocratas.

Deus nos proteja dos escravocratas e os militares saibam deste nosso negócio, pois seria o fim do atual governo e mesmo do Império e da Casa de Bragança no Brasil.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Nosso amigo Nabuco, além dos Srs. Rebouças, Patrocínio e Dantas, poderem dar auxílio a partir do dia 20 de Novembro quando as Câmaras se reunirem para a posse da nova Legislatura. Com o apoio dos novos deputados e os amigos fiéis de papai no Senado será possível realizar as mudanças que sonho para o nosso Brasil!

Com os fundos doados pelo Senhor teremos oportunidade de colocar estes ex-escravos, agora livres, em terras suas próprias trabalhando na agricultura e na pecuária e delas tirando seus próprios proventos, realizando uma grande e verdadeira reforma agrária a quem é de direito.

Fiquei mais sentida ao saber por papai que esta doação significou mais de 2/3 da venda dos seus bens, o que demonstra o amor devotado do Senhor pelo nosso Brasil. Deus proteja o Senhor e todo a sua família para sempre!

Foi comovente a queda do Banco Mauá em 1878 e a forma honrada e proba, porém infeliz, que o Senhor e seu tão estimado sócio, o grande e mui querido Visconde de Mauá aceitaram a derrocada, segundo papai tecida pelos maldosos ingleses de forma desonesta e absolutamente corrupta!

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A queda do Sr. Mauá significou uma grande derrota para o nosso Brasil!

Mas não fiquemos mais no passado, pois o futuro nos será promissor, se os republicanos e escravocratas nos permitirem sonhar e realizar mais um pouco.

Pois as mudanças que tenho em mente, como o senhor já sabe, vão além da liberação dos cativos e que seus sustentos sejam realizados de forma honrosa.

Quero agora me dedicar a libertar as mulheres dos grilhões do cativeiro domestico, e isto será possível através do Sufrágio Feminino!

Se a mulher pode reinar também pode votar!

Agradeço vossa ajuda de todo meu coração e que Deus o abençoe!

Mando minhas saudações a Madame la Vicomtesse de Santa Vitória e toda a família.

Muito de coração
ISABEL”

*Visconde de Santa Victoria era o braço direito de Mauá.


Leia também
Publicidade
Publicidade
Publicidade