Menu
Futebol ETC
Futebol ETC

Por que Neymar escolhe sempre o lado errado da história?

Criticado por investir num projeto que privatiza praias, Neymar já fez muitas escolhas equivocadas em sua carreira

Marcondes Brito

10/06/2024 6h19

Reprodução/Instagram

Um assunto que esses dias ganhou enorme destaque na mídia foi a polêmica sobre as “praias privadas”. A PEC 3/22, conhecida como a PEC das privatizações das praias do Brasil, foi aprovada na Câmara dos Deputados, e encontra-se agora na CCJ do Senado. 

O jogador Neymar entrou na história porque anunciou uma parceria com a DUE Incorporadora para aquilo que estão denominando de o “Caribe brasileiro”, com imóveis de alto padrão à beira-mar, entre os litorais Sul de Pernambuco e Norte de Alagoas.

Neymar está sendo bombardeado nas redes sociais por supostamente apoiar essa “privatização das praias”. Ou seja, é mais um vacilo na vida do famoso astro brasileiro.

Não é apenas uma impressão minha, mas, ao que tudo indica, o camisa 10 da Seleção Brasileira está quase sempre escolhendo o lado errado da história. Pessoas que cometem esse tipo de erro muitas vezes são desafiadas pela vida a aprender valiosas lições. Mas Neymar parece que não está nem aí.

Anotamos a seguir pelo menos outras 7 situações em que o nosso “menino Ney” fez as escolhas equivocadas.

1)- RÉVEILLON NA PANDEMIA – Em 2020, em plena pandemia, o jogador teria promovido uma festa de réveillon de cinco dias, em Mangaratiba-RJ. Nas redes sociais, o craque foi duramente criticado por ter causado aglomeração no auge da epidemia da Covid-19. Ao todo, foram cerca de 500 convidados.

2)- ASSÉDIO SEXUAL – Em 2021, o Wall Street Journal revelou que a Nike encerrou contrato com o jogador após Neymar não colaborar em investigação de um caso de assédio sexual denunciado por uma funcionária. A autora da denúncia afirma que Neymar tentou forçá-la a fazer sexo oral em seu quarto de hotel em uma viagem a Nova York.

3)- HOMOFOBIA – O ativista LGBTQIAPN+ Agripino Magalhães apresentou à Justiça, em 2020, uma queixa contra Neymar por “crime de homofobia, discurso de ódio e ameaça de morte de um LGBTQ+”, por chamar Tiago Ramos, o então namorado da mãe do atleta, de “viadinho” em um áudio vazado pela imprensa.

4) – FESTA NO HOTEL – Em 2016, enquanto a seleção brasileira perdia para o Peru em Boston e dava adeus à Copa América Centenário, Neymar se divertia em uma festa na piscina de um resort em Las Vegas. Em imagens e vídeos, o craque aparece ao lado de modelos e ensaiando um cumprimento a um ‘parça’.

5)- SAIR DO BARÇA – Neymar escolheu o lado errado ao se transferir do Barcelona para o Paris Saint-Gemain, em 2017. Ele estava consolidado como ídolo, ao lado de Messi e Suárez, e foi egoísta ao preferir um time totalmente sem carisma, como o PSG. Anos depois, só faltou implorar para regressar ao Barça, mas ninguém o aceitou de volta.

6)- DANIEL ALVES – Neymar emprestou 150 mil euros (mais de R$ 800 mil) a Daniel Alves, quantia que foi encaminhada à Justiça espanhola como indenização antecipada à moça que foi violentada pelo seu ex-companheiro de Seleção. Pouco tempo depois, Dani Alves voltou a pedir mais dinheiro emprestado, mas a família Neymar – diante da repercussão negativa – decidiu pular “fora do barco”. 

7)- APOIO A BOLSONARO – Um ídolo que se preze não corre o risco de usar seu prestígio e a sua imagem fazer campanha política, como Neymar fez para Bolsonaro no primeiro turno da eleição de 2022. Lógico que ele pode ter a sua preferência política como qualquer cidadão, mas jamais nós veríamos, por exemplo, Lionel Messi ou Cristiano Ronaldo vestirem a camisa de um politico e tentarem influenciar no resultado eleitoral dos seus respectivos países. Esse foi o maior erro de Neymar.

A coluna Futebol Etc na edição impressa do Jornal de Brasília, nesta segunda-feira (10/6))


Acompanhe as atualizações da coluna “Futebol Etc” nas redes sociais, no Twitter e também no Instagram. Mande sugestões para a coluna pelo email [email protected]

    Você também pode gostar

    Assine nossa newsletter e
    mantenha-se bem informado