fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Educar é ação

Qual a responsabilidade do professor na disciplina do aluno?

A disciplina escolar é um assunto quente de debate no mundo da educação.

Philip Ferreira

Publicado

em

PUBLICIDADE

Embora eu compreenda perfeitamente a intenção por trás dessas iniciativas, não tenho certeza de que muitas escolas estão obtendo resultados positivos.

Eu acredito que os professores devem ter voz nessa conversa. Muitas pessoas que tomam decisões sobre a disciplina escolar nunca veem como ela se desenrola nas salas de aula. Então, da perspectiva de um professor, aqui estão algumas das falhas de disciplina escolar que eu já vi várias vezes.

É preciso dizer, a linha entre pai e filho se tornou cada vez mais embaçada nas últimas décadas. Cada vez mais, vemos crianças que estão chegando à escola com maneiras terríveis, atitudes egoístas e comportamentos sociais inadequados. Quando os alunos não aprendem a se comportar adequadamente em casa, esses comportamentos são transferidos para o ambiente escolar. As crianças que ditam o que há para jantar, quando é hora de dormir e quanto tempo elas brincam no computador não terão sucesso na escola ou no mundo real. Chegou a hora dos pais pegarem as rédeas em casa e começarem a ensinar os filhos do certo antes de chegarem à sala de aula.

Sempre há uma pessoa que podemos culpar por seu comportamento. Porque todo mundo está culpando o professor, não o aluno, por mau comportamento? Não estou dizendo que todos os professores são perfeitos ou que o ambiente que criamos não contribui para a má conduta dos alunos.

Mas no final do dia, as crianças precisam ser responsabilizadas por suas ações por professores, administradores e pais. Os professores não podem lidar com todos os comportamentos dos alunos sozinhos; precisamos de apoio e ajuda da administração e dos pais.

Eu respeito as iniciativas que estão trabalhando para usar abordagens mais proativas ao comportamento e à disciplina. Sinceramente, acredito que a maioria são maneiras melhores de trabalhar com nossos filhos. Mas, se não gastarmos tempo e dinheiro para treinar adequadamente nossa equipe educacional, ela se desintegrará.

Os educadores precisam de treinamentos, práticas, projetos e comprometimento aprofundados para trabalhar nesses novos programas proativos. Quando as secretarias de educação ou estados lançam essas iniciativas, eles precisam garantir que os treinamentos estejam acontecendo, que a equipe entenda e que todos estejam trabalhando juntos para tornar os programas bem-sucedidos.

Espero que, com o tempo, educadores, administradores, pais e formuladores de políticas trabalhem juntos para criar melhores políticas de disciplina na educação. Todos nós desempenhamos um papel importante e todos merecemos ser ouvidos. Eles dizem que é preciso uma vila e, no final, todos queremos o mesmo objetivo, criar filhos que sejam compassivos, colaborativos e bem-sucedidos na vida.


Leia também
Publicidade