fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Educar é ação

Chega de histórias negativas sobre escolas

Philip Ferreira

Publicado

em

PUBLICIDADE

Por anos eu tenho ensinado. Durante esses mesmos anos, fui exposto a conversas sobre professores no Brasil. Todos os dias ouço pessoas falando sobre o que os professores são e o que não são. Eu ouço essas palestras de pessoas que não pisam na sala de aula há décadas, que baseiam suas opiniões em notícias sensacionalistas, que usam feeds do Facebook para exibir sua versão da verdade.

Eu gostaria que eles pudessem ver o que eu vi. Pais, políticos, críticos da educação. Desejo que o que vi esteja alinhado com o que os ouvi dizer. Alguns dizem que somos preguiçosos. Alguns dizem que não estamos dispostos a mudar. Alguns dizem que somos fracassos. Mas eu vejo o que eles não veem. E eu vejo isso em todos os lugares.

Eu trabalho com estudantes. Eu colaboro com os professores. Converso com administradores e observo salas de aula. E vejo educadores em todo o Brasil em batalhas diárias para melhorar a vida.

Vejo professores imersos escolas rurais, lutando contra décadas de pobreza e maus-tratos políticos para restaurar, inspirar e capacitar comunidades esquecidas e suas culturas. Eu os vejo preparando estudantes empobrecidos para uma sociedade em constante mudança, preservando séculos de tradição e patrimônio.

Vejo professores nas cidades do interior vivendo vidas de excelência enquanto modelam o caráter de jovens mentes maleáveis. Vejo como eles ainda conseguem motivar os adolescentes a entrar em seus quartos, em vez de negociarem drogas nas ruas que pagam melhor do que seus assentos quebrados na sala de aula.

Vejo professores de algumas cidades reformando prédios inteiros à medida que as populações dobram, se preparando para mais trabalho, mais gerenciamento, mais pressão e sem compensações. Eu os vejo se preparando para o que parece ser o aprendizado quando metade da turma não tem um lugar para sentar.

Vejo professores trabalhando sem contratos, perdendo centenas de reais a cada mês, milhares de reais a cada ano em jogos de poder político, e trabalhando tão duro, apesar de tudo, para lutar pelo que é melhor para seus alunos, seus filhos.

Vejo professores tendo trocas após trocas lançadas em seu caminho por trajes retirados da sala de aula. Vejo educadores profissionais sendo castigados por políticas escritas por políticos que se sentem ansiosos por gratificação instantânea, sem apreciar o tempo, a energia, o investimento necessário para transformar um dos sistemas mais complexos do Brasil. E ainda assim, vejo esses professores aparecerem todos os anos com abertura e ambição para experimentar novas tecnologias e técnicas, novos currículos e conceitos.

Vejo professores deixando a raiva na porta enquanto tentam restaurar a dignidade da profissão, um respeito que se perde toda vez que alguém procura pistas interessantes sobre uma controvérsia de professor. Eu vejo milhares de modelos de integridade tendo que permanecer fortes por trás de sombras de escândalos isolados.

Vejo professores entrando como pais substitutos para crianças sem teto, seja dando ouvidos para ouvir suas histórias, uma refeição para conter a fome ou um abrigo para protegê-los do frio.

Vejo professores reunindo comunidades e salas de aula para superar tragédias sem sentido, enquanto seus alunos e ex-alunos são mortos a tiros em cinemas ou silenciados por suicídio. Eu os vejo fortes para se concentrar na pouca esperança que seus filhos ainda têm, ajudando-os a aproveitar um propósito de perseverança.

Eu vejo o Brasil ensinando.

Para aqueles que veem os professores como fracassos, como fraudes, como desperdícios em excesso e mal pagos, olhe novamente. Olhe além dos seus feeds de notícias e memórias desanexadas. Porque o Brasil está ensinando. O Brasil está lutando para corrigir problemas além de nossas paredes de 12 x 12. O Brasil está lutando por todas as crianças, todos os dias, de todas as maneiras possíveis.

Olhe a sua volta. E você verá. Você verá educadores desafiando o desrespeito que recebem a cada dia. Você verá paixão e persistência, talento e tenacidade. Você verá o Brasil ensinando.

 


Leia também
Publicidade