Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Educar é ação

Apoiando Alunos no Modelo Híbrido com Necessidades Especiais

Por Philip Ferreira 03/03/2021 9h25

Não é segredo que muitas escolas estão adotando o modelo híbrido na tentativa de manter os alunos conectados com seus professores durante esta revolução do aprendizado virtual. Se nunca experimentou isso antes, o modelo de educação híbrido envolve a alternância de alunos entre aulas online e aulas presenciais ao longo da semana.  

Embora isso seja frustrante e confuso para qualquer pessoa, desde professores a pais, pode ser especialmente desgastante para os alunos com deficiência. 

Como o modelo híbrido afeta alunos com necessidades especiais

Dificuldades de aprendizagem são distúrbios neurológicos que afetam a capacidade do aluno de compreender ou processar informações. Algumas formas comuns que os distúrbios de aprendizagem assumem incluem distúrbios do processamento auditivo, dislexia, disgrafia, discalculia e dispraxia. Também é comum que crianças com Transtorno de Déficit de Atenção / Hiperatividade (TDAH) tenham outras comorbidades de aprendizagem.

Como professor, você deve considerar quais acomodações você pode implementar para melhorar o ambiente de aprendizagem híbrido para alunos afetados por dificuldades de aprendizagem. Você terá que abordar seus planos de ensino de forma diferente para esses alunos, pois nem todos aprendem da mesma maneira.

A maioria dos alunos enfrenta dificuldade para se adaptar a um novo esquema de aprendizagem. No entanto, essa transição representa um desafio ainda mais assustador para muitos dos mais de sete milhões de alunos com deficiência de aprendizagem nas escolas públicas americanas. A situação é pior para esses alunos com necessidades especiais porque eles não têm acesso a apoio acadêmico, fisioterapia ou aconselhamento presencial.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A princípio, apoiar alunos com necessidades especiais em ambientes de aprendizagem combinada pode parecer uma tarefa difícil para a maioria dos educadores e professores. No entanto, você pode fazer muitas considerações instrucionais, técnicas e educacionais para apoiar os alunos afetados por deficiências.

5 maneiras de ajudar

Para a maioria dos alunos com necessidades especiais, o aprendizado híbrido pode ser uma excelente oportunidade para acessar os estudos e os apoios necessários para o desempenho educacional. Aqui estão algumas dicas sobre como você pode melhorar e fornecer suporte para alunos de modelo híbrido com necessidades especiais.

1. Revise as metas do Programa de Educação Individualizada do Aluno (IEP)

Os educadores devem revisar os IEPs para identificar e adotar metas de aprendizagem no modelo híbrido de seu distrito ou escola. A maioria dos alunos com necessidades especiais tem suporte de serviço relacionado. Esses serviços podem incluir aconselhamento, terapia ocupacional, terapia da fala ou da linguagem.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Faça um esforço para revisar cada um dos IEPs de seus alunos. Isso ajudará a determinar com quais especialistas você deve colaborar para oferecer suporte individualizado a alunos com necessidades especiais. Como educador ou professor, você pode achar necessário trabalhar em estreita colaboração com fonoaudiólogos, psicólogos escolares ou assistentes sociais para melhor atender às metas de IEP de seu aluno.

Equipe de apoio, educação especial e professores gerais devem colaborar estreitamente na conclusão desta revisão para alunos com necessidades especiais. Isso pode ajudar os diferentes educadores a compreender quais objetivos do IEP estão sob sua responsabilidade direta.

2. Faça considerações sobre seu bem-estar emocional

O impacto dessa transição improvisada é significativo. Sem dúvida, afetará e alterará as trajetórias de aprendizagem de muitos alunos. É por isso que você deve pedir regularmente feedback e sugestões dos alunos. Como professor, você pode perguntar de que apoio eles precisam e atender a esses pedidos. Isso pode ajudar muito no fornecimento da ajuda que os alunos desejam e precisam.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Não presuma que você está ciente das necessidades de todos os seus alunos. Afinal, ninguém nunca esteve nessa crise antes. Os alunos com necessidades especiais só podem realizar tarefas específicas com o suporte disponível apenas em sala de aula. Evite pedir a seus alunos que se envolvam nesses tipos de tarefas quando estiverem em casa ou fora da sala de aula.

3. Comunique-se cedo e frequentemente com cuidadores e alunos

Mantenha linhas de comunicação separadas para seus alunos e seus responsáveis. Ambos exigirão diferentes tipos de garantias de sua parte.

Alunos

Diga à sua classe como você espera que eles se comportem com você e o nível de esforço que você espera quando trabalham e entregam as tarefas. Essa transparência pode ser útil para alunos afetados por dificuldades de aprendizagem.

Nos dias em que você não se encontra pessoalmente, você pode optar por interagir com os alunos por telefone ou online para fornecer suporte instrucional ou tópicos de pré-ensino com os quais eles estão lutando. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cuidadores

A maioria dos pais de alunos com necessidades especiais provavelmente ficará preocupada com a possibilidade de o modelo de aprendizagem híbrido negar a seus filhos o apoio e o serviço de que precisam para ter sucesso. Comunicar seu compromisso com a prosperidade dos filhos pode ajudar a deixá-los à vontade.

Ofereça a eles maneiras de entrar em contato com você, se as crianças tiverem dificuldades com os estudos em casa. Assegure-os de que seus filhos receberão as tecnologias assistivas e as acomodações do programa de aprendizagem combinada. Explique que existem expectativas razoáveis ​​tanto para a comunicação quanto para o aprendizado.

4. Oferecer suporte técnico

Você provavelmente precisará ensinar todos os seus alunos (e às vezes os pais também) como usar as ferramentas e tecnologias de aprendizagem digital de forma eficiente. A maioria das plataformas de aprendizagem digital tem tecnologia assistiva, como legenda oculta e leitores de tela para alunos com dificuldades de aprendizagem. É por isso que esses alunos podem precisar de suporte adicional para navegar e lançar a tecnologia de aprendizagem.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Em sala de aula, você também pode incorporar a tecnologia ao seu currículo. À medida que os alunos aprendem o conteúdo normal do curso, eles também podem desenvolver proficiência digital. Por exemplo, se você ensina história, pode pedir aos alunos que criem um vídeo ou uma apresentação em PowerPoint de um evento específico, como a Guerra Revolucionária. Existem muitos recursos online que os alunos podem usar com uma abordagem de aprendizagem baseada em projetos.

Para alunos com necessidades especiais, tal abordagem pode criar uma excelente oportunidade para enriquecer sua experiência sem a pressão de estar fisicamente presente com seus colegas. Os alunos com deficiência muitas vezes podem se sentir excluídos e marginalizados nas aulas.

5. Incentive o tempo limitado de uso do aluno

Embora a aprendizagem híbrida possa ser nossa opção mais segura no momento, ela apresenta riscos para o bem-estar social, físico e acadêmico das crianças. O aprendizado híbrido integra o aprendizado online à educação tradicional em sala de aula. Isso aumenta significativamente a quantidade de tempo que os alunos passam sentados na frente de um computador ou olhando para a tela de um dispositivo digital.

O tempo prolongado de tela pode se traduzir em insônia e padrões e qualidade de sono ruins. Como educador, você deve encorajar os responsáveis, pais e até mesmo os alunos a usar o tempo de tela com cautela. Eduque os pais sobre estratégias para limitar o tempo de tela de seus filhos quando eles estão aprendendo em casa.

Gerenciar uma programação híbrida para alunos com necessidades especiais tem seus obstáculos, mas pode ser feito. Com um pouco de criatividade e uma atitude positiva, você tem a capacidade de proporcionar a esses alunos uma experiência agradável, apesar dos desafios que enfrentam. 






Você pode gostar