Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Do Alto da Torre

Universidade

Primeira em âmbito distrital a ser administrada pelo GDF e segunda de ensino superior gratuita e pública do DF, ao lado da UnB

Claudio Abrantes. Foto: CLDF

Hylda Cavalcanti e Catarina Lima
[email protected]

A sanção da lei que cria a Universidade do Distrito Federal (UnDF), ontem, deixou particularmente satisfeitos vários deputados distritais, dentre eles Claudio Abrantes (PDT/foto), que há anos atuava por essa instituição. Será a primeira em âmbito distrital a ser administrada pelo GDF e a segunda de ensino superior gratuita e pública do DF, ao lado da UnB.

Fila – “O DF enfim caminha para sanar uma situação que o deixava no final da fila do desenvolvimento, da educação. Hoje, praticamente todas as Unidades Federativas possuem universidades estaduais. Muitos estados, inclusive, têm braços de suas instituições em mais de um município”, disse Abrantes.

Grupo de trabalho – Ele lembrou que em 2016 chegou a falar na Câmara Legislativa do DF (CLDF) sobre a criação de grupo de trabalho no governo para discutir essa universidade. “É um tema extremamente importante que, não só por parte do nosso mandato, mas de tantos outros, também tomou uma proporção muito grande”, disse.

Destaque – Relator do projeto da universidade na Câmara, também o deputado Jorge Vianna (Podemos) destacou a sanção da lei no Palácio do Buriti. Ele não pôde comparecer à solenidade porque se recupera de uma cirurgia ortopédica, mas chamou a atenção em suas redes sociais para a importância do ato.

Mudança – “Sinto-me orgulhoso de deixar meu nome na história como alguém que apoiou e participou ativamente para que esta universidade viesse a fazer parte da mudança de vida dos nossos jovens através da educação”, frisou. Segundo Vianna, “a universidade é, em essência, a reunião entre os que sabem e os que desejam aprender”.

Campanha

Os Núcleos de Direitos Humanos (NDH), do MPDFT iniciaram domingo (25) a campanha “Mulheres que Fizeram História”. A iniciativa tem o objetivo de dar visibilidade a mulheres brasileiras que foram figuras históricas importantes, inclusive na luta pela igualdade racial e de gênero no país.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Trajetórias – Por meio de postagens nas redes sociais do MPDFT serão divulgadas as trajetórias de personalidades como Nísia Floresta, Bertha Lutz, Laudelina de Campos Melo, Lélia González entre outras. O início da campanha faz alusão ao Dia da Mulher Negra, cuja data, no Brasil, homenageia Tereza de Benguela, líder quilombola do século 18.

Resgate – Para a promotora de justiça Cíntia Costa, “a luta pela real igualdade de direitos entre mulheres e homens passa por muitos caminhos”. Segundo ela, um desses é “o próprio resgate de grandes personalidades históricas femininas que, por vezes, a despeito de sua enorme contribuição para o país, sequer são mencionadas nos livros de história”.

Apagão

A saída do ar, durante quatro dias, da plataforma Lattes, do CNPq, foi criticada amplamente pela deputada federal Eriak Kokay (PT-DF). Erika qualificou o fato como um “apagão” e disse que representa uma “síntese do governo Bolsonaro”.

Perdas – “Sucessivos cortes orçamentários e desprezo para com o desenvolvimento científico e tecnológico estão levando a perdas irreparáveis no Lattes e em trabalhos acadêmicos. É um verdadeiro absurdo”, protestou a parlamentar.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Aprovação

O deputado distrital Hermeto (MDB) comemorou a aprovação em concurso, pela Câmara Legislativa do DF (CLDF) de 96 cargos efetivos para técnico em assistência social.

Melhor atendimento – Segundo ele, que atuou para que isto acontecesse, a aprovação vai ajudar no atendimento da população. “O Assistente Social atua no planejamento, gestão e execução de políticas, programas e serviços no sentido de ampliar o acesso aos direitos sociais. Esta novidade é boa para o DF como um todo”, afirmou.

Cadastro

A Vara de Execuções das Penas em Regime Aberto do DF – VEPERA iniciou ontem o trabalho de atualização cadastral e reinício das apresentações periódicas de pessoas que cumprem pena em regime aberto ou prisão domiciliar, beneficiários de livramento condicional ou com suspensão condicional da pena, com idade entre 53 e 55 anos.

Covid – A medida foi estabelecida por meio de uma portaria do TJDFT que estabeleceu calendário de convocação por grupos de faixa etária. O objetivo, segundo coordenadores da Vara, é evitar aglomerações desnecessárias ou exageradas e minimizar os riscos de eventuais contaminações pela covid-19.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Capacitação

O MPDFT está com inscrições abertas até 8 de agosto para capacitar mediadores comunitários voluntários em São Sebastião. O curso gratuito, em formato telepresencial, terá início no próximo dia 12. Estão sendo oferecidas 35 vagas. A capacitação tem 40 horas de duração e as aulas serão realizadas às segundas-feiras e quintas-feiras.

Negociação – No conteúdo programático estão temas como análise e formas de abordagens de conflitos; cooperação e competição; comunicação não violenta; fundamentos da negociação; o processo de mediação e as ferramentas procedimentais da mediação de conflitos.

Compromisso – Os participantes com pelo menos 75% de presença terão direito a certificado de conclusão. Após a formação, o mediador comunitário firmará termo de adesão no qual se compromete a desempenhar, de forma gratuita e voluntária, as atividades de educação para os direitos, mediação comunitária e animação de redes sociais locais.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Leilão

O TRT-10 realiza hoje, de forma virtual, seu tradicional leilão unificado, que acontecerá a partir das 10h. Desta vez, fazem parte dos produtos oferecidos aparelhos eletrodomésticos diversos, entre lavadoras, refrigeradores, fornos, lavadoras de alta pressão e ventiladores.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Pagamentos – Segundo o tribunal, tais leilões consistem em oportunidades tanto para empresários e pessoas físicas adquirirem bens e produtos de qualidade por preços abaixo do valor de mercado como também garantir a empregados lesados o pagamento de verbas reconhecidas por decisão judicial, mas inadimplidas pelos empregadores.

Lembrança

A nova reforma ministerial promovida pelo presidente Bolsonaro fez vários políticos de Brasília lembrarem do ex-deputado Alberto Fraga (DEM-DF), que desde 2018 vinha sendo cotado para uma vaga no primeiro escalão do governo federal sem nunca ter sido chamado.

Mágoa – Nos bastidores, o que se diz é que Fraga, amigo de Bolsonaro há 40 anos, não tem mais qualquer relação com o presidente e seus familiares, mas não esconde a mágoa. Ele costuma dizer, em rodas de conversas que o ditado “eu sou amigo dos meus amigos” não se enquadra no perfil de Bolsonaro.






Você pode gostar