Siga o Jornal de Brasília

Do Alto da Torre

Tá na disney?

Publicado

em

A ideia de um parque temático da Walt Disney em Brasília gerou burburinho após o governador Ibaneis Rocha (MDB) revelar, ontem, que tem encontro marcado com um representante da atração norte-americana esta semana. Não é a primeira vez, contudo, que esse tipo de ambição surge para a capital. Desde 2013 a ideia ronda os corredores da Fecomercio-DF.

Pateta & Cia.
Em 2016, um executivo da Disney chegou ao ponto de se encontrar com empresários e o ex-governador Rodrigo Rollemberg para discutir a ideia, mas ficou por isso mesmo. O assunto ressurgiu na plataforma política de Joaquim Roriz Neto (Pros), candidato a deputado federal em 2018. O herdeiro do clã Roriz foi além.

Outros mais

Roriz, atual Subsecretário de Ações Comunitárias, ligado à pasta de Atendimento à Comunidade, conversou com o Jornal de Brasília durante a campanha e revelou intenção de trazer a Disney e outros planos ambiciosos, como a instalação de uma atração fixa do Cirque du Soleil. Apesar das ideias parecidas, Joaquim negou que tivesse debatido o tema com Ibaneis e revelou desconhecimento sobre a fala do chefe do Executivo. Os dois apenas pensam parecido.

Briga de foice (e martelo)

As eleições para a presidência da Câmara dos Deputados, que reconduziram Rodrigo Maia (DEM-RJ) ao cargo, transcorrerram tranquilas, ainda mais em comparação ao pleito no Senado. Houve um porém. O deputado Ivan Valente (PSOL-SP), antes mesmo de a votação começar, levantou uma questão de ordem contra a chancela da incorporação do PRP pelo Patriota, do PHS pelo Podemos e do PPL pelo PCdoB. A justificativa do PSOL para tal foi que Rodrigo Maia, que presidia a sessão, “patrocinou de forma artificial as alianças” sem observar a lei.

Escreveu não leu, PSOL comeu
Faltou, porém, explicar que focinho de porco não é tomada aos parlamentares do PCdoB. O partido lançou uma nota para expressar sua “indignada surpresa” e acusar os colegas socialistas de quererem a extinção do PCdoB. A resposta veio a cavalo, com o PSOL colocando o dedo na ferida do PCdoB, que votou com a direita na matéria sobre a cláusula de barreira e, justamente por conta dela, foi obrigado a se rebolar para não perder tempo de televisão e recursos para as próximas eleições.

Tão perto, tão longe
Até aí, tirando o fato de tudo isso ter acontecido em Brasília, não envolve tanto a política local. Mas os presidentes regionais de ambos os partidos não apenas parecem desinteressados no assunto como ignoram qualquer tipo de repercussão regional que ele possa ter nas relações. Augusto Madeira, mandatário do PCdoB-DF, afirmou que o atrito foi pontual e negou qualquer tipo de reunião ou convocação no DF para debater o assunto. “Temos uma pauta mais importante que é combater o governo Bolsonaro e sua retirada de direitos”, minimizou.

Cabeça em outro lugar
Já o presidente do PSOL-DF, o deputado distrital Fábio Félix, afirmou que fazer oposição ao governo Ibaneis já dá trabalho demais para ficar pensando em repercussão das picuinhas da Executiva Nacional. Os dois partidos não têm muito diálogo em Brasília. Houve até tentativa de unidade durante as eleições do ano passado, mas não passou disso. O PSOL se coligou com o inexpressivo PCB enquanto o PCdoB foi compor a chapa de Rollemberg. Pelo visto, continua cada um no seu cantinho.

Fitness em alta nas lojas
Nos primeiros 35 dias de 2019, as vendas de roupas esportivas e material esportivo em lojas do DF cresceram 8% contra 4,5% do mesmo período no ano passado. A causa: o excessivo calor com temperaturas beirando os 36 graus. O Sindivarejista – Sindicato do Comércio Varejista do Distrito Federal – informou a maior procura foi por roupas leves femininas.

Para viajar ou para ficar
O presidente do Sindivarejista, Edson de Castro, disse que “muita gente foi às compras para viajar ou para permanecer em Brasília no início do ano, o que acabou impulsionando as vendas. O Parque da Cidade, o TaguaPark, clubes e academias ficaram cheios em janeiro por força do calor e da baixa umidade relativa do ar”. Levantamento do Sindivarejista indica que, em janeiro, saíram do DF cerca de 280 mil pessoas contra 340 mil de janeiro de 2018. “A redução é atribuída à troca de governo, o que manteve muita gente na cidade e, por isso, além do calor, o faturamento das lojas cresceu”, disse.

Visitantes de todo o País
Presidentes das Caixas de Assistência dos Advogados de todo o País estiveram em Brasília para participar da posse dos integrantes do novo Conselho Federal da OAB e aproveitaram para conhecer os serviços instalados no prédio da Caixa de Assistência do Distrito Federal, bem como os projetos da nova gestão, que tem à frente Eduardo Uchôa Athayde.

Ecumênico tucano

O senador Izalci Lucas (PSDB) recebeu a visita do bispo-auxiliar de Brasília, Dom Marcony Vinícius, na manhã de ontem, no Senado. Abençoou o parlamentar e a equipe do gabinete. O tucano sempre caminhou em sintonia com lideranças religiosas. Na eleição de 2018, recebeu o apoio do Frente Cristã, formada por centenas de templos, sendo grande parte evangélicos. A aliança foi estratégica para a vitória nas urnas. Amém.

Vai acabar em pizza
Quem nunca torceu o nariz quando ao pedir uma pizza de dois sabores e foi obrigado a pagar o valor cheio do sabor mais caro? Pois bem, Rodrigo Delmasso tem um peculiar projeto de lei no forno. Segundo o texto, o valor de uma pizza mista será calculado pela média aritmética dos sabores escolhidos.


Você pode gostar
Publicidade