Siga o Jornal de Brasília

Do Alto da Torre

Sadio Mané

Publicado

em

O TCDF enfim encontrou motivos para liberar a Parceria Público-Privada (PPP) do ArenaPlex, que envolve o Estádio Mané Garrincha, o ginásio Nilson Nelson e o complexo Cláudio Coutinho (leia mais na página 5). A única empresa no páreo é a RNGD Consultoria de Negócios Ltda, que deverá explorar o espaço por 35 anos e pagar cerca de R$ 5 milhões por ano ao GDF. A Terracap estima que a PPP, quando concluída, poderá movimentar até R$ 387 milhões anuais.

Bônus e prós

Ainda conforme a Terracap, a empresa pública deixará de gastar R$ 370 milhões durante a concessão e o GDF poderá arrecadar até R$ 700 milhões em impostos.

Bulevar de sonhos quebrados

O governo prevê a construção de sala de cinema, teatro, restaurantes e clínicas, compondo um bulevar – ou centro comercial, como se preferir. O consórcio vencedor da licitação também ficará responsável pela realização de eventos no estádio e no ginásio e terá a missão de reconstruir o Cláudio Coutinho. Existe a garantia de que as iniciativas no complexo aquático continuarão administradas pelo serão Buriti e voltadas à comunidade.

Vem nome aí

O governador Ibaneis Rocha (MDB) determinou a nomeação de 234 orientadores educacionais aprovados em um concurso público de 2014. As convocações deverão ser oficializadas até o final do mês, quando também serão chamados mais 54 professores aprovados em um concurso de 2016.

E mais!

Outros 234 orientadores educacionais – profissionais com a função de dar suporte pedagógico aos estudantes nas escolas – aprovados naquele exame deverão ser convocados até maio de 2019, data em que caduca o certame. O anúncio atende alguns dos pleitos da categoria e faz parte do SOS DF Educação, plano de ações da pasta que será anunciado nos próximos dias.

Primeiro a dama

A primeira-dama do DF, Mayara Noronha, seguirá a tradição das últimas ocupantes do cargo no DF e desenvolverá atividades sociais. Ontem, Mayara foi escolhida madrinha do programa DF Criança, que promoverá ações educativas voltadas à saúde bucal, nutricional, assim como atividades lúdicas e cognitivas.

Casa de ferreiro…

Outra atitude mantida pelo governo Ibaneis, essa um pouco mais recente, é não ocupar a Residência Oficial de Águas Claras. O espaço de 60 hectares, adjacente ao Parque de Águas Claras, já foi usado para visitação de escolas, exposições, e agora servirá como centro de apoio a mulheres vítimas de violência e a crianças e adolescentes. É mais um projeto que a primeira-dama deve ajudar a tocar.

Primeiro rugido

Ontem foi um dia especial para a deputada federal Celina Leão (PP, foto). Foi a primeira vez que a ex-distrital e ex-presidente da Câmara Legislativa assumiu o púlpito do plenário da Câmara dos Deputados para discursar. Como era de se esperar, ela relembrou seu passado político recente e ainda explicou que no DF não temos Assembleia.

Muito ainda é pouco

Depois das formalidades, porém, ela aproveitou para cutucar a deputada Joice Hasselman (PSL-SP), que já se tornou persona non grata no partido de Bolsonaro. A parlamentar paulista teria criticado o “excesso de gastos” em educação e inferido que o Brasil investe R$ 1 bilhão ao dia no setor. “Fico preocupada quando ouço que não precisamos mais investir em educação. Queria corrigir os dados da deputada Joice: isso não é verídico, gastamos R$ 307 milhões ao dia, um total por ano R$ 107 bilhões, com a correção R$ 112,2. É pouco para 54 milhões de estudantes”, rebateu com luva de pelica.

Celina do Sul

A Leoa ainda prosseguiu sobre a importância do tema e citou uma visita à Coreia. Ela não especificou, mas entende-se que foi na do Sul. “Um país devastado pela guerra, mas que levantou duas bandeiras: educação e saúde”, argumentou. A representante brasiliense ainda soltou um “as pessoas esperam mais desse parlamento” antes de encerrar sua fala.

Base aberta

Dos deputados distritais mais ativos neste começo de legislatura, os oposicionistas Leandro Grass (Rede) e Fábio Félix (PSOL) certamente se destacam. Todos os dias estão repudiando, denunciando ou protocolando alguma coisa. Ontem, contudo, Grass apenas jogou no ar algumas informações, e importantes, bom dizer. O deputado disponibilizou dados sobre Instituto Hospital de Base, com gastos por área, listagem de fornecedores, de CNPJ, data do pagamento e outros.

Interativo

O gráfico criado pelo deputado é bem simples de entender e vem com filtros específicos. Segundo os dados compilados, compreendidos entre 28 de fevereiro de 2018 e 28 de dezembro de 2018, o instituto gastou R$ 113,4 milhões com fornecedores. “O maior gasto foi com pagamento de celetistas, cerca de R$ 30 milhões ao longo do ano”, afirma o deputado, por meio de nota.


Você pode gostar
Publicidade