Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Blogs e Colunas

Neta de Prestes pode virar candidata a vice de Leandro Grass

A segunda hipótese é a escolha de Ana Prestes, também militante do partido, onde milita há quase 25 anos

Por Eduardo Brito 01/07/2022 5h00

Deve ficar para a semana que vem a escolha de candidata a vice-governador – muito mais provavelmente vice-governadora – na chapa da federação PT-PV-PCdoB ao Palácio do Buriti, que tem Leandro Grass como nome para o governo. A federação decidiu que a vaga caberá ao PCdoB e, preferencialmente, será ocupada por uma mulher. Caso essa tendência se confirme, deve colocar a indicação entre duas favoritas. A primeira delas é a professora Olgamir Amância, que já foi secretária da Mulher do Distrito Federal e hoje é decana de Extensão da Universidade de Brasília. Extremamente forte no PCdoB brasiliense, ela sai muito à frente nessa corrida. Tem contra si a falta de votos: já concorreu a eleições parlamentares sem empolgar. A segunda hipótese é a escolha de Ana Prestes, também militante do partido, onde milita há quase 25 anos. Foi candidata a deputada federal na eleição passada e também não teve uma boa performance. Foi a mais votada do PCdoB, mas não passou dos 5.497 votos. Na eleição anterior, Olgacir disputou cadeira de distrital. Ficou nos 5.224 votos. Mas Ana Prestes (foto) tem um trunfo. É neta do comandante histórico do comunismo brasileiro, Luiz Carlos Prestes.

Ramos familiares

A herdeira mais conhecida de Luiz Carlos Prestes, sua filha Anita Leocádia Prestes, historiadora respeitada, vem de outro ramo da família. É filha de Olga Benario, primeira mulher do líder, que foi presa junto com o marido, torturada pela polícia política da ditadura Vargas e, alemã, entregue grávida para o governo nazista. Anita Leocádia nasceu no exílio e Olga morreu pouco depois, em um campo de concentração. Já Ana Prestes é neta de Maria, segunda mulher de Luiz Carlos Prestes, que se exilou com ele na União Soviética. Os dois ramos da família mantêm certa rivalidade. Ana nasceu em Moscou, em 1977, e só chegou ao Brasil depois da liberalização do regime. Sempre acompanhou política, na casa do avô. Já no Brasil, participou do movimento estudantil, integrou a UNE, completou a pós-graduação e escreveu o livro Mirela e o Dia Internacional da Mulher, infanto-juvenil, mas de temática feminista.

Sem o PSB

A decisão de entregar a vice ao PCdoB foi tomada pela cúpula da federação após malograr a tentativa de um acordo com o PSB. O candidato do PSB ao governo, Rafael Parente, está muito mais próximo do campo ligado ao senador José Antonio Reguffe, que deve disputar o Buriti pelo União Brasil. À frente de Grass nas pesquisas, Parente não aceitaria a vice. A federação desistiu de acordo alegando que, embora pertencendo a um partido aliado no plano nacional, Parente negociava também com partidos que não têm Lula como sua opção para o Planalto.

Ibaneis e Flávia turbinam dobradinha

O governador Ibaneis Rocha e a ex-ministra Flávia Arruda aceleraram as aparições conjuntas em eventos de repercussão política. Em menos de 24 horas, estiveram ambos em duas festas. Ao lado de Flávia, Ibaneis entregou o conjunto habitacional batizado de Itapoã Parque, com 12 mil imóveis, previsto para abrigar 50 mil famílias no Itapoã, uma das cidades de menor renda do Distrito Federal. Os apartamentos serão entregues ao ritmo de 600 por mês. Até a eleição, portanto, haverá ao menos cinco lotes aos novos ocupantes, todos da lista da Codhab. Já na tarde desta quinta-feira, 30, Ibaneis e Flávia se encontraram novamente na formatura do Qualifica-DF, voltado para cursos profissionalizantes.

Madrinha

De lá Flávia Arruda seguiu para a formatura de praças da Polícia Militar. Foi escolhida como madrinha do curso de preparo dos praças, o CFP VIII. Também tem um sentido político: desde o início de seu mandato de deputada federal Flávia tem trabalhado pela convocação dos praças e, inclusive, conseguiu na Comissão Mista de Orçamento a inclusão de recursos federais para isso. Na verdade, existe uma relação histórica com a Polícia Militar, desde os tempos do governo do marido, José Roberto Arruda.

Queimada vira esporte

A deputada brasiliense Celina Leão conseguiu aprovar na Comissão de Esportes da Câmara projeto de lei que reconhece o jogo de queimada como modalidade esportiva no Brasil. Apesar de sua extrema popularidade de que goza há décadas entre adolescentes, a queimada nunca foi considerada um esporte. Mas o reconhecimento não constitui apenas uma questão formal, pois inclui um aspecto financeiro. A medida permite a profissionalização da queimada, a organização de entidades como federações e, mais importante, o acesso a recursos e incentivos com recursos públicos. Celina já trabalhava em favor da queimada, desde os tempos em que foi secretária dos Esportes, no atual governo. Em outubro do ano passado houve até o 1º Campeonato Brasiliense de Queimada, a primeira competição oficial do novo esporte, com a participação de 360 jogadores. Havia até um outro projeto nesse sentido, mas Celina conseguiu do relator que o seu prevalecesse. Agora falta só a aprovação pela Comissão de Constituição e Justiça.

Guerra interna no Serviço de Limpeza Urbana

Uma luta antiga para definir a carreira dos trabalhadores do Serviço de Limpeza Urbana levou a uma degola dos associados da entidade representativa da categoria, a ASLU. Tudo começou quando, no governo Agnelo, a carreira dos servidores de limpeza urbana deixou a Gestão de Resíduos Sólidos, integrando-se à genérica PPGG. Só que uma ação do Ministério Público tornou essa ação inconstitucional. Isso levou a uma redução de vencimentos já no governo Rollemberg. Os servidores rebelaram-se e conseguiram, no governo Ibaneis, retornar à PPGG. A associação, porém, preferem a antiga categoria de gestão de resíduos sólidos. Não aceita a posição dos servidores que optaram pela PPGG e que argumentam que a carreira de resíduos está envelhecida, pois hoje o SLU é só um órgão fiscalizador dos contratos das firmas terceirizadas. Assim, na PPGG os servidores têm mais condições de se enquadrarem, por ser uma carreira de Estado. Diante disso, a direção da Associação passou a expulsar os dissidentes, ignorando os recursos e enviando imediatamente ao departamento de pessoal do SLU para exclusão do desconto em folha do associado. Tudo a ver com a eleição da nova diretoria da entidade, em agosto.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

À busca de charutos

Após ser internada para tratar uma pneumonia, a ex-ministra Damares Alves enviou por meio de seu comitê de pré-campanha ao Senado um vídeo em que revela sua vontade de viajar para Cuba. O objetivo seria buscar parte dos charutos dados como garantia para um empréstimo bilionário do BNDES durante o governo do PT. Damares garante que seu objetivo seria “montar uma banquinha lá em frente do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, para dar o dinheiro aos conselhos tutelares.








Você pode gostar