Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Blogs e Colunas

Na campanha do MDB

Policial civil, Wellington aposta nos votos da categoria e, agora, também do segmento da habitação, que já elegeu distritais anteriormente

Por Eduardo Brito 29/06/2022 5h00

Ibaneis Rocha já está arregaçando as mangas na campanha do MDB. Compareceu na noite desta segunda-feira, 27, ao lançamento da pré-candidatura do ex-distrital Wellington Luiz, diretor da Codhab no atual governo, que tenta retornar à Câmara Legislativa. É uma das esperanças de Ibaneis para formar uma bancada ampla de apoio desde o início do próximo governo. Na eleição passada, Wellington Luiz teve perto de 12 mil votos, mais do que na anterior, em que se elegeu com as sobras. Embora tenha ficado entre os 24 mais votados, não se reelegeu, pois seu MDB só conseguiu emplacar um distrital, Rafael Prudente. Hoje presidente regional do partido e candidato a deputado federal, Rafael foi ao lançamento do antigo colega. Também apareceu por lá a deputada Celina Leão, que preside o PP, do mesmo espectro político. Policial civil, Wellington aposta nos votos da categoria e, agora, também do segmento da habitação, que já elegeu distritais anteriormente.

Em busca do voto evangélico

O governador se reuniu nesta terça-feira, 28, com dirigentes evangélicos da Convenção Nacional das Assembleias de Deus Madureira, a Conamad, na Catedral Baleia, na 910 Sul. Defendeu o trabalho de acolhimento às famílias que todas as religiões fazem no Distrito Federal e reforçou o carinho por todas elas. Ibaneis foi recebido pelo bispo primaz Manoel Ferreira, presidente da Convenção, além de outros pastores e bispos do Distrito Federal e do Entorno. “Temos respeito pelas igrejas, basta ver o relacionamento que temos com todas as crenças no DF. Recriamos o Escritório de Assuntos Religiosos, atualizamos a legislação para regularização de templos religiosos, onde avançamos muito, e tornamos as igrejas como atividades essenciais para que não fossem fechadas durante a pandemia”, lembrou o governador durante o encontro. A regularização mencionada por Ibaneis é um dos marcos da gestão. Entre 2019 – ano em que foi lançado o programa Igreja Legal – e 2022, o GDF regularizou 248 imóveis ocupados por lideranças religiosas. A quantidade é superior à alcançada entre 2009 e 2018, quando foram firmados 190 acordos. O segmento evangélico é um dos maiores campos eleitorais: mais de 800 mil evangélicos vivem no Distrito Federal, o que equivale a 30,8% da população.

Universidade recorde

A abertura do primeiro campus da Universidade do Distrito Federal Jorge Amaury foi avaliada pelo governador Ibaneis Rocha como a entrega de um espaço destinado a atender principalmente a população mais carente, “que poderá ter acesso a uma educação de qualidade”. A previsão é de que 1.500 estudantes frequentem esse campus. O governador comemorou também a rapidez com que conseguiu cumprir sua palavra. “Assumi o compromisso de criar uma universidade pública para o Distrito Federal e tive o prazer de entregar esse primeiro campus apenas 11 meses após a sanção do projeto de lei”, comentou.

Agenda identitária

Candidata a governadora pelo PSOL, a assistente social Keka Bagno aposta na pauta identitária e, cada vez mais, investe em temas como a proteção aos direitos das mulheres, a reação a investidas misóginas e a defesa dos temas LGBTQIA+. Nesta terça-feira, Dia do Orgulho, acordou cedo para ser fotografada com uma imensa bandeira na Esplanada dos Ministérios.

Colorindo

Não foi só ela. Também Rosilene Corrêa aposta no arco-íris. Construiu uma imagem parecida e prometeu, no decorrer da campanha, “colorir as ruas”. De quebra, deu um jeito de alfinetar as concorrentes para o Senado, entre os quais estão ao menos três outras mulheres. “Quantas pré-candidatas ao Senado você verá na sua time line hoje comemorando o Dia do Orgulho LGBT? É disso que é feita a nossa luta: de coragem”, perguntou.

Partido fechado

Na costura de apoios para garantir o comando da federação PSDB-Cidadania no Distrito Federal, a deputada Paula Belmonte levou ontem outros três dirigentes regionais de partidos para uma conversa com o presidente nacional do Cidadania, Roberto Freire. Comandantes locais do União Brasil, Podemos e PSC ouviram de Freire que o partido está fechado com a candidatura majoritária de Paula Belmonte, tanto por conta do previsto no estatuto da Federação quanto pelo cenário da política local, em que a dirigente local do Cidadania reúne o apoio de outros cinco partidos e já tem candidato definido ao Buriti, o senador José Antonio Reguffe , do União Brasil.

Operário Padrão

Mesmo em campanha eleitoral, o senador brasiliense Izalci Lucas precisou correr ao Senado na manhã desta terça-feira, 28, para presidir uma sessão solene do Senado a pedido do presidente Rodrigo Pacheco, que só chegaria a cidade mais tarde. Sessões solenes são costumeiramente evitadas pelos senadores e, em geral, a elas só comparecem o presidente e o autor do pedido, além dos convidados, é claro. Ibaneis, porém, costuma comparecer não só a essas sessões, mas também de todas as reuniões de comissões, mesmo quando despertam pouca atenção. Recebeu até um título gozador do colega Esperidião Amin, que passou a chamá-lo de “senador-operário-padrão”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Guerra interna no Serviço de Limpeza Urbana

Uma luta antiga para definir a carreira dos trabalhadores do Serviço de Limpeza Urbana levou a uma degola dos associados da entidade representativa da categoria, a ASLU. Tudo começou quando, no governo Agnelo, a carreira dos servidores de limpeza urbana deixou a Gestão de Resíduos Sólidos, integrando-se à genérica PPGG. Só que uma ação do Ministério Público tornou essa ação inconstitucional. Isso levou a uma redução de vencimentos já no governo Rollemberg. Os servidores rebelaram-se e conseguiram, no governo Ibaneis, retornar à PPGG. A associação, porém, preferem a antiga categoria de gestão de resíduos sólidos. Não aceita a posição dos servidores que optaram pela PPGG e que argumentam que a carreira de resíduos está envelhecida, pois hoje o SLU é só um órgão fiscalizador dos contratos das firmas terceirizadas. Assim, na PPGG os servidores têm mais condições de se enquadrarem, por ser uma carreira de Estado. Diante disso, a direção da Associação passou a expulsar os dissidentes, ignorando os recursos e enviando imediatamente ao departamento de pessoal do SLU para exclusão do desconto em folha do associado. Tudo a ver com a eleição da nova diretoria da entidade, em agosto.

Ação social na Capital Moto Week

A primeira-dama e secretária de Desenvolvimento Social do Distrito Federal, Mayara Noronha, recebeu de Juliana Jacinto, organizadora da 17ª edição da Capital Moto Week, um convite para participar do evento. Juliana aproveitou para alinhar os serviços sociais que serão oferecidos à população, de 21 a 30 de julho, no Parque de Exposição da Granja do Torto. De exames médicos à emissão de documentos pessoais, uma série de ações devem estar presentes no CMW 2022, em parceria com órgãos do próprio GDF e da iniciativa privada. Durante as atividades sociais, a entrada será liberada para curtir o festival e ter acesso a serviços de utilidade pública.

Inflexão na Justiça Eleitoral

Uma decisão do Tribunal Superior Eleitoral em caso de potencial inelegibilidade pode constituir indicador de flexibilização das decisões da Justiça Eleitoral sobre o que é e o que não é propaganda irregular nas eleições presidenciais deste ano. Referindo-se ao relator do processo, um dos advogados do caso, Robson Halley, afirma que “o ministro Ricardo Lewandowski corrigiu uma injustiça e indicou parâmetros contrários ao punitivismo que vinha crescendo em alguns setores da Justiça Eleitoral”. No caso, Ricardo Lewandowski derrubou a condenação de ex-prefeito de Caucaia, Naumi Gomes de Amorim, punido por suposto abuso de poder político e propaganda eleitoral antecipada nas eleições de 2020. Para Lewandowski, Naumi apenas divulgou informações de sua gestão dentro dos prazos permitidos por lei. A prática não poderia, portanto, ser classificada como propaganda eleitoral. Caucaia é o segundo município com maior número de eleitores no Ceará.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE








Você pode gostar