Siga o Jornal de Brasília

Do Alto da Torre

MDBaneis

Publicado

em

A primeira sessão ordinária da Câmara Legislativa do DF (CLDF), ontem, foi bem tranquila, ainda mais em comparação com a sessão extraordinária que expandiu o modelo do Hospital de Base. Em meio ao clima ameno, com direito a discurso motivador do governador Ibaneis Rocha (MDB), houve espaço para um recado: o MDB será reconstruído.

Se você é jovem ainda
Em dado momento, Ibaneis usou exatamente essa expressão para dar a entender que terá mais influência no partido. Quem pode se beneficiar disso é o correligionário e presidente da Casa, deputado Rafael Prudente (MDB/foto), alvo de vários elogios do chefe do Executivo durante sua fala. “Esse emedebista jovem que vai me ajudar a reconstruir esse partido com muita moral, muita ética, combate a corrupção, muito trabalho pela sociedade brasileira”, endereçou.

Escadinha de importância
Na época da pré-campanha ao Buriti, Ibaneis acompanhava de longe o desenrolar dos acontecimentos. Foi cotado como vice de Jofran Frejat (PR) e convidado para ser vice de Alberto Fraga (DEM) posteriormente, quando Frejat desistiu. Recusou a proposta, com direito a atritos, e foi alçado à posição principal da chapa composta com Avante, PP, PSL e PPL. Contrariando alguns prognósticos, foi eleito e isso aumentou sua relevância na sigla.

Governador e presidente
O status do atual governador cresceu absurdamente dentro do partido em questão de semanas e hoje ele é cotado – e favorito – para se tornar o novo presidente nacional do MDB. Ao seu lado estão Michel Temer e José Sarney. Nesse contexto, ter maior ingerência no braço local não é apenas natural como esperado. Desde a campanha, Ibaneis ignorava o passado controverso do MDB para defender que ele podia ser revolucionário na relação candidato-legenda. Ao que tudo indica, está empenhado em cumprir a previsão.

Voto militar
A ideia de militarização de quatro escolas no DF gerou aplausos e narizes torcidos praticamente na mesma medida. Os defensores acreditam em maior segurança para os estudantes, enquanto os detratores reclamam da intervenção. A Secretaria de Educação do DF vai tentar reduzir a controvérsia promovendo votações nas unidades de ensino envolvidas.

Opinião e discussão
As escolas que devem ser contempladas pelo novo modelo são: CEDs 308 do Recanto das Emas, CED 7 de Ceilândia, CED 1 da Estrutural e CED 3 de Sobradinho. Na unidade de Ceilândia, a votação para definir se haverá militarização acontece já amanhã, com participação dos alunos maiores de 18 anos, todos os pais ou responsáveis com filhos matriculados na escola (um voto por família), professores e servidores.

(Des)militarização
Por outro lado, o deputado distrital Leandro Grass (Rede) protocolou uma proposta de decreto legislativo para suspender o projeto de militarização de quatro escolas públicas, defendido pelo governo Ibaneis (MDB). “Este tema deve ser amplamente debatido com a sociedade. Não é por força de uma portaria, sem escutar as representações democráticas, que se institui um modelo como este”, escreveu o parlamentar em nota.

Tendência mundial

Para Grass, tão importante quanto a melhoria dos ambientes são ações para diminuir a desigualdade social, a violência, bem como aprimorar o ambiente familiar. “Mundialmente, a tendência é fortalecer a autonomia dos alunos na educação e não militarizar o ensino dentro das nossas escolas”, concluiu.

Educação é progresso
Cristovam Buarque perdeu a batalha nas urnas na tentativa de reeleição para o Senado, mas não jogou a toalha na guerra pela educação. “Educação é progresso. Essa é a minha bandeira”, afirmou o educador. O ex-governador do Distrito Federal quer seguir na luta pela construção de um sistema de ensino público de qualidade mesmo sem um mandato. Afinal de contas, as redes sociais são a tribuna popular do momento.

Rôney Nemer

O presidente regional do PP e ex-deputado federal Rôney Nemer esteve presente na sessão ordinária para a abertura oficial dos trabalhos da Câmara Legislativa. Discreto, acompanhou os discursos do presidente da Casa, Rafael Prudente (MDB) e do governador Ibaneis Rocha (MDB). Nemer foi um dos principais aliados de campanha de Ibaneis e possui fortes ligações com diferentes categorias de servidores públicos.

Novo encontro

O empresário e ex-candidato ao Governo de Brasília, Alexandre Guerra (Novo, foto), já havia falado que se afastaria um pouco da política para tocar ações sobre micro e pequeno empreendedorismo. Em sua nova jornada, o herdeiro e conselheiro do grupo Giraffas se encontrou com o ex-secretário de Economia, Desenvolvimento, Inovação, Ciência e Tecnologia, Valdir Oliveira, atual superintendente do Sebrae no DF.

Diferenças à parte
Apesar das diferenças políticas do passado, uma vez que Guerra foi um ferrenho crítico do governo Rollemberg e Valdir um integrante dele, a conversa rendeu e foi boa, ao que tudo indica. “Conversa boa sobre Brasília de quem se preocupa com a cidade”, elogiou Valdir.

Sai da frente
A primeira sessão da CLDF teve um protocolar aceno do governo à nova legislatura, mas também serviu para demonstrar que a atual gestão pensa bem diferente da antecessora. Pelo menos 20 projetos enviados pelo Executivo anterior, alguns com pedido de urgência, foram retirados da pauta, provavelmente em caráter definitivo.

Minha vez
Dentre os projetos retirados, estão o que permitira a renegociação de dívidas do governo anteriores a 2014, a instituição do Plano pela Superação da Extrema Pobreza do DF, o DF Sem Miséria, e a desafetação de áreas públicas para igrejas. Em alguns casos, o novo Executivo quer formular as próprias medidas sobre os temas retirados.

CPI?

As investigações da operação Circus Maximus, que apura um suposto esquema de propina no BRB, com envolvimento de diretores e do presidente licenciado Vasco Cunha Gonçalves, estão sendo usadas como sal e pimenta para salgar uma CPI sobre o tema e colocá-la no forno. Os deputados distritais ainda divergem sobre o tema. Ontem, até o ex-parlamentar Wasny de Roure (PT), sem mandato desde janeiro deste ano, emitiu uma nota para cobrar a realização da CPI. Não vai ser isso que definirá os rumos do caso, mas demonstra que existe mais disposição do que se pensava a princípio.

Extraordinária, mas nem tanto
A Comissão de Educação, Saúde e Cultura (CESC) da CLDF marcou na agenda da Casa uma sessão extraordinária para hoje, a partir das 14h. Esse tipo de convocação costuma ensejar algo urgente ou, como o nome diz, extraordinário, mas a assessoria do presidente da comissão, Jorge Vianna (Podemos) disse que a intenção é apenas revelar o cronograma de trabalhos. OK.

Conectada
A descrição da deputada federal Flávia Arruda (PR) na enciclopédia virtual Wikipedia foi alterada a partir de um computador da Câmara dos Deputados, onde ela trabalha desde 1º de fevereiro. Somente em 2019, conforme o histórico de edição da página, houve cinco alterações somente este ano.

Curriculum vitae
As principais modificações foram nas qualificações e passado profissional da deputada. Além de mudar o status de seu mandato de “a tomar posse” para “2019-2022”, o editor acrescentou o passado de Flávia como apresentadora de TV e o projeto Mãezinha Brasiliense, de quando ela foi primeira-dama do DF. Já dizia o sábio, Wikipedia é o LinkedIn das pessoas públicas.


Você pode gostar
Publicidade