fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Do Alto da Torre

Laudo complica Jaqueline Silva

Um perito passou uma semana investigando e saiu com um resultado que pode complicar mais o atual mandato da distrital Jaqueline Silva

Lucas Valença

Publicado

em

PUBLICIDADE

O presidente do PTB à época das eleições de 2018, Alírio Neto, chegou a contratar um perito particular (técnico de informática) para produzir um laudo a fim de identificar um problema no atraso no cadastramento da lista de filiação do partido. O especialista passou uma semana no local e saiu com um resultado que pode complicar mais o atual mandato da distrital Jaqueline Silva.

Sem backup

A conclusão do perito deu negativo para a entrega dos nomes dentro do prazo legal. Ou seja, o documento aponta que nenhum computador vinculado ao PTB chegou a cadastrar os escolhidos pela legenda no Sistema de Filiação Partidária do TSE antes de 13 de abril, data limite das inscrições. Informações da coluna mostram que Alírio evitou entregar o relatório à justiça para não produzir prova contra si mesmo.

Sem registro

No PTB, no entanto, não há registro formal de pagamento do perito que atuou no local. A falta de um “canhoto” pode demonstrar que a remuneração do serviço prestado pode ter sido feita pelos próprios integrantes da liderança do partido no ano das eleições.

Defesa da Jaqueline

A assessoria de imprensa da deputada Jaqueline Silva reforçou que o TSE se apoiou em um documento próprio do tribunal. “A decisão levou em consideração a certidão emitida pelo próprio tribunal atestando a filiação da deputada em abril de 2018”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Entra um novo secretário

Nas mãos do secretário de Justiça, Gustavo Rocha, a Secretaria da Pessoa com Deficiência deve voltar a ter um secretário próprio. O Buriti já trabalha com um nome, mas a escolha, que deve sair nas próximas semanas, ainda deve ser confirmada. Hoje, o distrital Iolando Almeida (PSC/foto), primeiro a chefiar a pasta, deve se encontrar com o governador Ibaneis Rocha (MDB) e o assunto deve ser tratado.

Ponte com a Esplanada

Mesmo com um nome já cotado no governo, o distrital deve oferecer um “novo vínculo” entre o governo local e o nacional. A ideia será colocar uma pessoa da confiança da ministra dos Direitos Humanos, Damares Alves, chefiando a pasta. Esta indicação, no entanto, também seria do agrado de Iolando.

Mantendo a previdência

Por enquanto não está no horizonte do GDF enviar uma mudança previdenciária ao Legislativo local. O modelo do DF é deficitário, mas entendido por técnicos como “aceitável”. Hoje, o Buriti segue o mínimo constitucional (de 11%), já que nenhum ente federativo pode reter uma alíquota menor do que a estabelecida pela união. Por enquanto, alterar a Lei Complementar 769 (da previdência) está fora de análise.

Transação acordada I

A troca do mega terreno da CEB no Noroeste (estimado em centenas de milhões) por lotes menores da Terracap, como trazido por esta coluna, já está adiantado e deve acontecer agora em fevereiro.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Transação acordada II

Os 12 terrenos que serão cedidos pela Terracap já foram avaliados e listados para a permuta. A soma dessas localidades, no entanto, representa 70% do valor do acordo, cerca de R$ 223 milhões. Os demais 30% do valor negociado serão pagos com recebíveis que a CEB deve vir a monetizar.

Almoço fraterno

O Centrão da Câmara Legislativa se reuniu para um almoço ontem e decidiu a postura que terá com relação ao GDF neste próximo bimestre. Primeiro, acordaram que vão manter a “união”, ou seja, manter a coesão do bloco. Também conversaram sobre as insatisfações junto ao Buriti, que já não escondem nos rostos. No plenário, um dos parlamentares do bloco já resumia: “somos independentes”.

Weintraub reprovado

Os inexplicáveis erros no Enem e no Sisu, a ausência de políticas de alfabetização e a falta de decoro e transparência no Ministério da Educação levaram parlamentares federais a entrarem com um pedido de impeachment na Suprema Corte contra o representante da pasta, Abraham Weintraub. Um dos líderes desse movimento foi o deputado federal Israel Batista (PV).


Leia também
Publicidade
Publicidade
Publicidade