fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Do Alto da Torre

Esforço concentrado

CLDF teve, na quarta (10), uma sessão marcada por um ambiente de solidariedade para com os transportadores autônomos, embora com discussões

Avatar

Publicado

em

Foto: Myke Sena/Jornal de Brasilia
PUBLICIDADE

Hylda Cavalcanti e Catarina Lima
redacao@grupojbr.com

A CLDF teve ontem uma sessão diferente da de terça-feira. Enquanto a anterior foi marcada pela insatisfação dos distritais com o governador, ontem imperou um ambiente de solidariedade para com os transportadores autônomos, embora com discussões entre eles. Os distritais também atuaram em união com o Buriti sobre o tema. 

Emergência

Todos se esforçaram para trocar a ordem da pauta e iniciar a votação do projeto de auxílio emergencial a estes profissionais. Não foram poucas as manifestações emocionadas com a situação difícil vivida por eles, neste período de pandemia.

Novos biônicos

Irritado com a Medida Provisória publicada ontem, por Bolsonaro, que instituiu a figura dos reitores pro tempore (temporários) para universidades federais, o deputado Fábio Félix (Psol/foto) pediu apoio aos colegas e à comunidade acadêmica contra o texto.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Intervenção grave

Félix destacou que a MP é uma “intervenção gravíssima” nas universidades brasileiras. Ele conclamou alunos, estudantes e servidores da UnB para se manifestarem. “Vamos às ruas. Não podemos aceitar, nestes tempos, a figura do reitor biônico”, afirmou.

Pela lógica

O deputado Chico Vigilante (PT) reclamou que não está entendendo a lógica das medidas de isolamento social do GDF depois da determinação de abrir o Eixão e transformar a avenida W3 Sul em área de lazer nos feriados e fins de semana.

Fiscalização

“Tenho apoiado as medidas de prevenção adotadas pelo governador, mas essa eu não posso apoiar ”, disse. Segundo Vigilante “não dá para dizer que haverá fiscalização para quem frequentar estas áreas porque sabemos que não há estrutura para isso”.

Testagens

O deputado citou como exemplo os shopping centers, abertos na última semana. De acordo com ele, estes centros comerciais já deveriam estar realizando a segunda etapa de testagem dos trabalhadores. Apesar disso, nem todos se mexeram neste sentido.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Ibaneis chorou

Um dos principais interlocutores das negociações entre os transportadores autônomos e o Executivo do DF, que resultaram no projeto de lei enviado à CLDF, o deputado distrital Martins Machado (Republicanos), ao citar trechos da reunião, contou que o governador Ibaneis Rocha chegou a chorar, ontem, junto aos transportadores.

´Pra ninguém’

Ibaneis se comoveu ao ver o choro de um deles que, ao saber da possibilidade de auxílio, pediu para fazer uma oração. “Conto isso para mostrar como tem sido a pressão de todos neste momento de pandemia. Não está fácil para ninguém”, relatou Machado.

Covid-19?

O deputado distrital Hermeto (MDB) apareceu na sessão legislativa da CLDF de ontem com o olho vermelho e sintomas que podem ser tanto de gripe como de covid-19. Ele relatou sua indisposição aos pares e disse que ainda não sabia o que tinha, mas estava tomando os cuidados necessários.

Presença virtual

Como a sessão foi realizada remotamente e Hermeto estava recluso em casa, o distrital fez questão de participar das votações mais importantes, em atendimento a um pedido feito pelo vice-presidente da Casa, Rodrigo Delmasso (Republicanos).

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Ciclovia

Preocupado com o trecho da BR-020 que vai do Balão do Colorado até o balão de acesso à Avenida Independência, em Planaltina, o deputado distrital Claudio Abrantes (PDT) protocolou uma indicação para a construção de uma ciclovia na área.

‘Mais frágil’

De acordo com Abrantes, o trecho possui grande tráfego e as bicicletas têm de disputar espaço com veículos de grande porte, como caminhões e ônibus. “Infelizmente, muitas vezes essa disputa acaba sendo fatal para a parte mais frágil, que é o ciclista”, ressaltou.

Feirantes

O deputado distrital João Cardoso (Avante) chamou a atenção para cerca de 300 famílias que organizam e vivem da feira Empório Rural, no Lago Oeste. Segundo Cardoso, eles são alvo de uma ação judicial para que deixem o local.

Percalços

Cardoso disse que os feirantes estão na área há anos, contribuem com os moradores e já passaram por vários percalços, como um incêndio que destruiu suas barracas, anos atrás. “Precisamos ajudar ajudar também essas famílias”, apelou ele.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Parceria

A Secretaria de Atendimento à Comunidade do DF está negociando uma parceria com o programa “Todos pela Saúde”, do Itaú Unibanco, para ações
integradas contra a covid-19 em instituições de longa permanência para idosos localizadas no Distrito Federal.

Idosos

O objetivo é somar forças, em paralelo aos trabalhos em andamento pelo GDF, e auxiliar 324 idosos das sete instituições onde são acolhidos, com fornecimento de EPIs e outros produtos e a realização de ações para melhor atendimento deles.

Novos caminhos

Foram prorrogadas até o dia 14, pela Secretaria de Educação do DF, as inscrições para cursos online dentro do programa “Novos Caminhos”, destinado a estudantes a partir de 16 anos e comunidade em geral.

Vagas

No total, estão sendo oferecidas 500 vagas em 11 cursos diversos, como os de formação para administrador de banco de dados, agente comunitário de saúde, balconista de farmácia, assistente administrativo e desenvolvedor de aplicativos de mídias digitais.

Demandas do MP

A preocupação com a covid-19 é real nos documentos do MPDFT. Balanço recente constatou que mais de um terço das manifestações de cidadãos que
chegaram ao órgão nos últimos dois meses estão relacionadas à pandemia. Foram registradas, no período, um total de 2.090 demandas.

Medidas

O número corresponde a 35% a mais que as demandas do mesmo período do ano passado. Conforme esse balanço, entre 6 de março e 31 de maio a ouvidoria do MPDFT recebeu 682 manifestações relacionadas à doença e às medidas que vêm sendo tomadas para contê-la.

Trabalho infantil

Falando em MPDFT, o órgão deu início ao seu engajamento na campanha nacional contra o trabalho infantil, que este ano tem como slogan “Covid-19: agora mais do que nunca, protejam crianças e adolescentes do trabalho infantil”.

Mais proteção

Segundo os procuradores, o objetivo é conscientizar a sociedade e o Estado sobre a necessidade de maior proteção a esta parcela da população, com o aprimoramento de medidas de prevenção e de combate, diante da vulnerabilidade socioeconômica.

Interrupção e doenças

Para o diretor do escritório da OIT no Brasil, Martin Georg Hahn, a pandemia e a consequente crise econômica e social representam, para muitas crianças, “educação interrompida, doenças, a potencial perda de renda familiar e o trabalho infantil”.


Leia também
Publicidade
Publicidade
Publicidade