fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Conta Giros

Não importa qual é o seu carro, ele pode ser seu escape no “novo normal”

Nesse momento de incertezas, olhe para onde seu carro pode te levar, desde um fim de tarde no gramadão no eixo monumental até uma cachoeira mais isolada ao redor da cidade.

Aurélio Araújo

Publicado

em

PUBLICIDADE

A pandemia da COVID-19 tem mudado nosso comportamento em vários aspectos. O medo do vírus, por exemplo, tem feito o brasileiro utilizar mais seu carro em detrimento do transporte coletivo. Mesmo aqueles que haviam optado por não ter carrro e utilizar plataformas como Uber e 99Taxi, começaram a mudar de ideia e voltar a ter o desejo de um carro em nome da segurança.

Hoje, minha rota mais comum é mercado, farmácia e outras coisas essenciais. Acredito que muita gente está assim. Saímos apenas para o necessário nos expondo menos aos riscos da pandemia. Ficamos no básico. Só que o básico cansa, mas esse é o nosso cotidiano recente com toda essa loucura. Mas e se o seu carro pudesse ser visto de outra forma?

Em tempos de quarentena com home office, para além do simples meio de transporte, nosso carro pode se tornar uma ferramenta de escape para destinos próximos e mais isolados. Em outras palavras, para muitas pessoas, o carro foi e será ressignificado ao longo desse processo intenso  que vivemos. Para além do “ir e vir” do dia a dia ele pode ajudar no o “ir e viver” fora do enclaustro que vivemos em nossas casas.

O carro pode ser um escape para a realidade imposta pelo novo normal. Foto: ilustração.

Nesse momento, ressignificar o carro é enxergar além. É pensar nas rotas que ele pode te levar para que você possa fugir um pouco desse “novo normal” com segurança para você e para sua família. Sair do confinamento de nossas casas para respirar um ar puro por aí. Sobre essas rotas, recomendo a coluna De Passagem, dos meus amigos André Perotto e Alfredo Moreira (vale a pena leitura!). 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

No fundo, não interessa qual é o seu carro. Caro ou barato, básico ou sofisticado.  Olhe além, olhe para onde ele pode ter levar, desde um fim de tarde no gramadão qualquer até uma cachoeira mais isolada ao redor da cidade. Não pense apenas no carro como transporte, pense nas possibilidades que ele te proporciona, seja sozinho, ou com sua família nesse momento de incertezas.




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade