fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Conta Giros

A incrível marca de Lewis Hamilton

Com 91 vitórias, o inglês alcançou o que antes parecia impossível, o recorde do multicampeão Michael Schumacher.

Aurélio Araújo

Publicado

em

PUBLICIDADE

Lewis Hamilton mais uma vez alcançou um número histórico. Ele não é apenas um vencedor na Fórmula 1, ele não é apenas um ativista, nem apenas o único piloto  negro no  gride. Ele está no topo, no capítulo dos maiores de todos os tempos e, se continuar, será o maior. Com seis títulos mundiais (indo para o sétimo em 2020), o piloto inglês alcançou uma façanha, que para nós que somos fãs do esporte a motor, até então, parecia impossível.

Assim como Hamilton, Schumacher foi dominante. O multicampeão entre 2000 e 2004 foi absoluto pela Ferrari. Além do que, seus títulos de 1994 e 1995 pela Benetton foram uma bela carta de apresentação para o piloto que chegou em 1991 com um tímido décimo quarto lugar. Mas o início dos anos 2000 realmente foi quando marcou seu nome nas páginas das lendas do automobilismo, quebrando recordes e ganhando cinco títulos consecutivos. Mesmo após sua aposentadoria, alguns de seus recordes eram tão absurdos que pareciam inalcançáveis.

O próprio Hamilton postou em suas redes sociais que a conquista foi “surreal”. E ele tem razão, se o recorde de Schumacher de 91 vitórias era absurdo, alcançar esse número é realmente surreal. Ainda mais que o feito aconteceu no GP de Eifel, na Alemanha, país natal de Schumi. 

Mick Schumacher entrega a Hamilton o capacete de seu pai após o GP de Eifel, Alemanha. Foto: Divulgação.

Infelizmente, o estado de saúde de Schumacher, não permitiu que ele pudesse presenciar o feito do piloto inglês. Mas seu filho, Mick Schumacher, estava e entregou a Hamilton o capacete do pai, como prêmio pelo feito. Mick, parabenizou o piloto da equipe Mercedes e disse: “os recordes estão lá para serem quebrados”. Não podíamos esperar outras palavras do filho de Schumacher, afinal competir está no sangue, assim como o desejo por quebrar recordes e a sabedoria de que eles sempre serão quebrados. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Hamilton com a réplica do capacete de 1987 de Ayrton Senna no GP de Montreal de 2017. Foto: Divulgação.

Essa não é a primeira vez que Hamilton recebe um capacete simbólico de um outro grande piloto em sua carreira. Em 2017 em Montreal, ao alcançar o número de poles de Ayrton Senna, ele ganhou a réplica de 1987 do capacete do ídolo brasileiro, de quem é abertamente fã desde os 5 anos de idade.

Acredito que não existam mais muitos recordes a serem batidos pelo piloto inglês, mas tenho certeza que ele tem condições de bater todos os possíveis. Lewis sem dúvidas já é e será um dos maiores campeões e esportistas da história, mas o maior piloto de todos os tempos eu e ele sabemos que usava capacete amarelo com faixas horizontais em verde e azul escuro.

Parabéns Hamilton!




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade