Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Esplanada

Maioria quer escolha por meritocracia para o STF, sem indicação política

82,8% dos entrevistados responderam que o STF “deveria ser formado somente por juízes de carreira, através de concurso

Por Leandro Mazzini 03/05/2021 12h54
Foto: Agência Brasil

Sondagem nacional revela que povo pede alteração no processo e também reprova decisões recentes da Corte

A grande maioria da população brasileira é a favor da mudança do processo de escolha de ministros para o Supremo Tribunal Federal, sem passar pela mesa dos presidentes da República e indicação política, como é feito no Brasil.

Sondagem nacional inédita da Paraná Pesquisas/Coluna Esplanada revela que 82,8% dos entrevistados responderam que o STF “deveria ser formado somente por juízes de carreira, através de concurso, sem intervenção política”. Outros 10% disseram que o modelo não deve ser alterado, e o percentual dos que “não sabe/não opinou” ficou em 7.2.

Dos entrevistados, 53,6% discordam das decisões recentes dos ministros da Suprema Corte; 26,4% concordam e 19,9% não souberam opinar. A Paraná ouviu 2.416 pessoas de 200 cidades nos 26 Estados e DF de quinta-feira a ontem, em pesquisas pessoais telefônicas não robotizadas.  

Em edições passadas, a Coluna já citou como é o processo de escolha em outros países. Em alguns deles os ministros são escolhidos por entidades de classe ou conselho de notáveis da sociedade. Em outros, pelo Parlamento. Algumas nações impõem mandato.

O Brasil segue o modelo americano, cuja escolha é do presidente e avalizada, ou não, pelo Congresso. Veja exemplos de outros países no link https://bit.ly/3aUNCNd

Sentenças

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A despeito de ministros seguirem a Constituição e suas interpretações sobre os Códigos de Processo Penal e Civil, decisões polêmicas recentes dividiram a opinião popular.

Entre as que mexeram com o clamor popular – evidenciado nas redes sociais – a absolvição do ex-presidente Lula; a soltura, em decisão monocrática, de um traficante perigoso; e o inquérito contra supostos ataques ao STF criticado por cercear liberdade de expressão.

Esses exemplos supracitados, com ampla e notória repercussão midiática, podem ter afetado diretamente a resposta dos entrevistados pela Paraná nesta sondagem.

ATUALIZAÇÃO 04/05/2021, às 14h27 – Um dado interessante da sondagem nacional da Paraná Pesquisas sobre a maioria (mais de 82%) pedir novo processo de escolha para ministro do STF, por mérito, e não por indicação política: o índice a favor da mudança do modelo é aprovado por todas as faixas etárias dos entrevistados, em todas as escolaridades e nas cinco regiões do País, mostram os recortes da pesquisa.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






Você pode gostar