Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Blogs e Colunas

Cortes no orçamento atingem hospitais universitários e Fiocruz

Por Leandro Mazzini 28/01/2022 10h53
Foto: Reprodução/Fiocruz

Na linha de frente do combate à pandemia provocada pelo coronavírus, os hospitais ligados às universidades federais – que já agonizam – foram alvos da tesourada no orçamento para este ano. Os vetos do presidente Jair Bolsonaro (PL) preveem corte de R$ 100 milhões da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), responsável pela administração das 50 unidades vinculadas a 35 universidades federais. Outra instituição imprescindível no combate à pandemia, a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) também foi atingida pela tesourada com corte de R$ 11 milhões. 

Deputados e senadores que integram frentes parlamentares repudiam os cortes orçamentários e vão priorizar, na volta dos trabalhos legislativos em 2 de fevereiro, a cobrança por verbas suplementares para as áreas atingidas. 

Presidente da Frente Parlamentar Mista de Ciência, Tecnologia, Pesquisa e Inovação, o senador Izalci Lucas (PSDB-DF) classifica o corte como absurdo: “Falta de sensibilidade. Ciência é prioridade e a vacina está aí para provar”.








Você pode gostar