Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Analice Nicolau

Adaggio fecha parceria com Toni Garrido

Empresa faz diligência em 60 catálogos que, juntos, valem cerca de R$250 milhões, e aposta no streaming para aumentar as receitas de seus parceiros

Por Analice Nicolau 15/09/2021 3h00
Empresa faz diligência em 60 catálogos que, juntos, valem cerca de R$250 milhões, e aposta no streaming para aumentar as receitas de seus parceiros

A gestoral musical Adaggio está intensificando o jogo no crescente mundo de aquisição de catálogos musicais e acaba de fechar mais duas grandes parcerias, desta vez com Toni Garrido, compositor e vocalista da banda de reggae Cidade Negra e Danilo Caymmi, caçula de Dorival Caymmi e da cantora Stella Maris, brilhante flautista que fez participações em diversos discos clássicos da música brasileira e acompanhou por muitos anos Tom Jobim, como integrante da Banda Nova.

“Entramos de sócios com participação em todas as músicas autorais do Toni, tanto nos clássicos do Cidade Negra quanto naquelas da carreira solo do compositor. Já a parceria com Danilo Caymmi nos mantém na missão de empoderar autores, perpetuar seu legado, eternizar e ressignificar canções e, assim, potencializar os ganhos dessas obras, para que todos ganhemos juntos”, destaca João Luccas Caracas, CEO da Adaggio.

Recentemente, a Adaggio também assinou com Paulinho Rezende, que em parceria com Paulo Debétio compôs Nuvem de Lágrimas, gravada por grandes nomes como Chitãozinho e Xororó, Fafá de Belém e Marília Mendonça, e com herdeiros do Dinho, compositor e vocalista da banda Mamonas Assassinas, uma das mais icônicas do país.

“Seguimos fechando parcerias e esse é o propósito da Adaggio: formar cooperação com artistas, compositores e produtores, a fim de adquirir catálogos, aumentar seus rendimentos e passar a receber parte dos royalties. Parte da operação é uma antecipação dos recebíveis. Ou seja, o artista cede o direito de receber os royalties futuros em troca de uma liquidez imediata e ainda tem a certeza de que suas obras serão trabalhada para ter lucros potencializados, e seu legado perpetuado”, ressalta o CEO.

Em 2021, a Adaggio alocou 40% do capital levantado e está fazendo diligência em 60 catálogos que, juntos, valem cerca de R$250 milhões. Com foco nos direitos autorais, para empoderar músicos e compositores, tem a premissa de que canções são ativos de longo prazo e não são afetadas por ciclos econômicos. Além disso, aposta no mercado de streaming musical, que cresce todos os anos. “Isso dá aos nossos investidores a chance de obter acesso ao portfólio da Adaggio, bem como um pipeline compreendendo alguns dos mais importantes e bem-sucedidos investimentos no segmento musical de todos os tempos, considerando o crescimento explosivo e contínuo das plataformas de streaming, o que aumentará consideravelmente as receitas futuras dos nossos parceiros”, comenta João.

Também fazem parte da lista de parceiros da Adaggio o Haroldo Lobo, sambista e compositor de clássicos do samba, Ronaldo Barcellos, compositor de grandes sucessos como “Cilada” e “Marrom Bombom” gravados por artistas como Molejo e Os Morenos, e Ed Nobre e compositor da música “Contatinho”, gravada por Léo Santana e Anitta.

O catálogo ainda conta com Bruno César, um dos autores de “Paradigmas”, interpretada por Jorge & Mateus; Wilson Prateado, compositor e produtor de canções interpretadas por Thiaguinho, Belo, Os Travessos, Jeito Moleque, Exaltasamba e Sensação; Rodrigo Reys, compositor sertanejo que escreveu músicas para Tarcísio do Acordeon, Barões da Pisadinha, Zé Vaqueiro e Matheus Fernandes e criador do hit “Baby Me Atende”, atualmente Top 5 Brasil no Spotify, entre outros.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






Você pode gostar