Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Blogs e Colunas

Terapia tântrica, com Talita Góis, ajuda paciente idoso a superar depressão e resgatar relacionamento amoroso

Juvenal Ribeiro, de 68 anos, aprendeu a se amar e resgatou o casamento

Por Analice Nicolau 20/09/2021 8h00
Juvenal Ribeiro, de 68 anos, aprendeu a se amar e resgatou o casamento

Quebrando os tabus, Talita Góis é uma grande referência em terapia tântrica em São Paulo. A sexóloga que trabalha há seis anos é responsável pelo tratamento do aposentado Juvenal Ribeiro Pinto, de 68 anos que sofria de depressão e outros problemas no relacionamento. Na terapia, há quase três meses, o aposentado que viaja três horas do interior até a capital do estado, tem percebido grandes mudanças no dia a dia.


Juvenal Ribeiro contou que conheceu a sexóloga e a massagem tântrica através de uma entrevista. “Foi através de uma entrevista na televisão que conheci a Talita. Eu estava vivendo um momento de muita tensão na minha vida, aos 68 anos. Já não sentia mais vontade de viver e estava vivendo momentos de muita tensão no meu casamento. Estava realmente perdido”, contou Juvenal.


Mas, após a primeira sessão, Juvenal já descobriu uma nova perspectiva de vida. “Aqui, aprendi mais sobre meus sentimentos, sobre autoconhecimento e energias. As sessões, que acontecem uma vez na semana, são a base de conversas, massagem estratégica e reflexões. Consigo agora ter uma nova visão da vida. Dos meus objetivos e do que é necessário mudar”, comentou.


Talita Góis contou que a terapia tântrica é uma filosofia comportamental, usada como medicina alternativa de cura, mas hoje ela vulgarizada e as pessoas não sabem o que realmente significa.


“Ela trabalha o reequilíbrio e energia da pessoa, além de trabalhar na disfunção sexual masculina e feminina, depressão, ansiedade, traumas e muito mais. Na melhor idade, ela funciona como autoconhecimento e também uma maneira de trabalhar os prazeres da vida. Quando você envelhece, a sociedade dita que você não tem mais direito ao prazer, mas é uma metodologia errada. Prazer de tudo, desde tomar um café de manhã, caminhar e ficar com as pessoas que você gosta”, explicou.


Juvenal Ribeiro ainda contou que desde o início da terapia tem percebido uma grande melhora no casamento. “Temos conversado mais e caminhado para um relacionamento saudável. A terapia tântrica realmente mudou a minha vida e me trouxe mais conhecimento de quem eu sou, amor próprio e mais vontade de viver e aproveitar as coisas boas da vida”, encerra.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE








Você pode gostar