Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Analice Nicolau

Pela comunidade LGBTQIA+: o poder de Saulo Macalós e Lu Sibemberg

Por Analice Nicolau 02/08/2021 8h45
Advogado e militante da causa LGBTQIA+ se torna embaixador da linha Amor é Amor, da joalheira Lu Sibemberg

A joalheira pessoal, Luciane Sibemberg, convidou o advogado Saulo Macalos para representar sua linha de joias, “Amor é Amor”. Por intermédio da ex-desembargadora e advogada Maria Berenice Dias, Saulo e Lu se conheceram e fecharam uma parceria linda em nome da causa LGBTQIA+. Saulo, que é advogado e membro da Comissão Especial da Diversidade Sexual e Gênero da OAB, foi convidado para ser embaixador da linha “Amor é Amor”, expansão do projeto Amor by Lu Sibemberg, criado como forma de homenagear as relações mais importantes de nossas vidas e começou com o coração afetivo. Saulo e Lu deram as mãos e se aproximaram por terem os mesmos valores, crenças, visões e causas em comum.

”Acredito que, apesar do coração afetivo se aplicar a qualquer tipo de amor, seria importante demarcar espaço para os relacionamentos dentro da comunidade LGBTQIA+. Amor é sempre algo a ser celebrado, independente de quem a gente ama, e as peças buscam traduzir meu respeito a todo tipo de amor! A todas as formas de amor”, diz a joalheira.

Para o advogado Saulo, a linha é um marco pela de coragem. ”Ela foi a primeira a fazer uma linha para a comunidade LGBTQIA+. Ela disse ‘não me importa se é arriscado, é mostrar a sociedade que todos são iguais’. Essa mulher é fantástica”.

As peças são trabalhadas em outro 18 kilates e gemas (pedras) preciosas nas cores que representam a comunidade LGBTQIA+. ”É minha homenagem e forma de mostrar o respeito a máxima que diz ‘qualquer maneira de amor vale a pena, qualquer maneira de amor vale amar’”, conta Luciane.

A coleção foi lançada no dia 28 em junho em comemoração ao mês do orgulho LGBTQIA+ e destina 5% das vendas a ONG Nuances, que completa 30 anos de forte atuação no Rio Grande do Sul em defesa dos direitos e no combate ao preconceito em relação a comunidade.

_”Foi uma ousadia e estou muito feliz com o feedback que venho recebendo. Meu trabalho não tem só objetivo mercantil. Viso sempre o lado social e estou constantemente pensando no que posso fazer para melhorar o mundo. Sei que muitos podem estar me criticando, mas não me importo em dar a cara a tapa. Odeio qualquer tipo de injustiça e preconceito e essa coleção foi uma forma de apoiar as tantas instituições e grupos que lutam diariamente pelos direitos de igualdade e não discriminação”_, finaliza Lu Sibemberg.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






Você pode gostar