Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Blogs e Colunas

Se Cuida Gramado, “Rota da Linguiça” é o novo sucesso do Vale Europeu em Santa Catarina

A rota foi criada para potencializar a cultura e culinária regional tipicamente alemã e atualmente conta com nove municípios do Vale Europeu

Por Analice Nicolau 31/03/2021 12h30
A Rota da Linguiça foi criada para potencializar a cultura e culinária regional tipicamente alemã e atualmente conta com nove municípios do Vale Europeu

Um movimento criado para divulgar e evidenciar as empresas do segmento de turismo, gastronomia e lazer, situado em nove municípios do sul do país, com a mesma matéria prima: linguiça. Essa é a Rota da Linguiça, iniciativa que começou em 2019, no Vale Europeu, em Santa Catarina, que hoje é referência geográfica.

O patrimônio começou de forma inusitada. Silvio Scheidt, idealizador do projeto, contou que, “costumava visitar alguns amigos, e como descendentes de imigrantes alemães, sou um apreciador de linguiças dos mais diversos tipos, e eles sempre pediam para trazer mais desses produtos. E foi assim que, juntamente com meu sócio, Ricardo Silveira, criamos a “Rota da Linguiça”, para oferecer essas iguarias para mais pessoas, dentro e fora da nossa região”.

“No meu caderno, comecei a anotar quem eram os produtores. E em 2019, o evento oficial foi realizado num shopping da região, e para mostrar para todos o nosso “maior tesouro”, colocamos a linguiça numa moldura e foi um sucesso. Isso criou um orgulho pelo nosso produto, principalmente, entre os produtores e mais pessoas foram chegando, ao ponto de isso tudo se transformar em identificação geográfica”, contou Silvio.

Os organizadores da Rota da Linguiça em Santa Catarina, focados cada vez mais em fomentar a cultura regional e transformar em uma grande atração turística internacional
Os organizadores da Rota da Linguiça em Santa Catarina, focados cada vez mais em fomentar a cultura regional e transformar em uma grande atração turística internacional

A rota foi criada para potencializar a cultura e culinária regional tipicamente alemã e atualmente conta com nove municípios do Vale Europeu, 31 produtores que utilizam a linguiça como matéria prima e contempla todas as empresas fabricantes de embutidos e defumados, “tipo linguiça Blumenau”. Também estão incluídos no percurso estabelecimentos, como, restaurantes, confeitarias, padarias, bistrôs, hotéis e várias opções de lazer que abrange toda família.

“Cada produtor tem uma identificação, que são os temperos. Eles usam a linguiça e dão o toque especial. A maioria é feita de forma artesanal, defumada na fumaça, assim como era feito antigamente e esse processo pode levar de dois a sete dias até ficar pronta”, contou.

O plano era de expandir as iguarias nos municípios, mas com a pandemia, eles tiveram que se reinventar. Agora, o ponto da rota é em Pomerode, a cidade mais alemã do Brasil, em um casarão de 1868 no centro da cidade. No site oficial, o turista tem acesso a um itinerário com todos os pontos da rota, além de zoológicos, empresas familiares, restaurantes e mais.

Os turistas podem se deliciar com as mais diversas iguarias artesanais, como, salsichas, salame, bacon, banha, lombinho, mortadela, torresmo, calabresa e a famosa linguiça Blumenau.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Mas o sucesso não ficou apenas no sul do país. Em breve a “Rota da Linguiça” vai se tornar uma franquia, para o Brasil inteiro, e o projeto já está em execução.








Você pode gostar