Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Blogs e Colunas

Projeto “Ana Por Elas” ajuda mulheres amazonenses que sofreram abuso sexual

Projeto “Ana Por Elas” possui dez anos de atuação e conta com ajuda de psicólogos, médicos e advogados

Por Analice Nicolau 19/10/2021 4h00
Projeto “Ana Por Elas” possui dez anos de atuação e conta com ajuda de psicólogos, médicos e advogados

De acordo com Ministério da Saúde, mais de 7 milhões de mulheres brasileiras já sofreram violência sexual. O projeto “Ana Por Elas”, fundado pela amazonense Ana Brito, vem sendo fundamental na vida de diversas mulheres que já foram vítimas de violência sexual. Aos 14 anos de idade, Ana foi abusada sexualmente e isso trouxe traumas em sua vida.

Ainda adolescente, assustada, coagida e sem saber a quem recorrer, ela trilhou um caminho de desafios, traumas psicológicos e preconceito. Após identificar sua paixão profissional, ela encontrou uma forma de prestar apoio a outras vítimas, proporcionando uma transformação de autoestima, com uma conversa amiga, apoio e um atendimento totalmente gratuito em seu próprio salão de beleza. Com mais de 20 anos trabalhando no ramo da beleza e estética, ela pode prestar diversos serviços, sem custo algum, sempre como forma de apoio.

“É um trabalho diário e muito gratificante poder ajudar uma vítima de abuso sexual. Após o primeiro contato por nossas redes sociais, converso diretamente com as vítimas e, dentro dos nossos alcances, encaminhamos para voluntários do projeto. Temos psicólogos, advogados, assistentes sociais, entre outros”, disse ela.

As ações vêm sendo realizadas há 10 anos de forma anônima. Entretanto, como uma forma de mostrar a importância da defesa dessa bandeira, Ana criou uma equipe para compartilhar de forma pública as histórias das amazonenses vítimas de abuso sexual que procuram o Projeto.

“Temos depoimentos de mulheres que buscaram o projeto, e tiveram sua autoestima transformada. Fazemos uma seleção com as histórias mais impactantes e convidamos para um café e um dia de beleza, totalmente gratuito, no salão mais você”, explicou.

A violência sexual é uma pauta que merece atenção da sociedade. Com muitas meninas sendo vítimas de abusadores dentro da própria família, Ana Brito diz que é importante que a escola e o sistema de saúde consigam identificar de forma precoce essas mulheres e crianças que estejam sendo vítimas.

“É preciso propiciar o encaminhamento para apoio e até medidas protetivas contra o agressor, se for o caso. E para quem foi vítima, busque ter uma pessoa em quem você confia para recorrer. Pode ser uma amiga, um amigo, um familiar, vizinha(o), alguém que você tenha como referência e possa se manter conectada por internet ou telefone. Sempre mantenha essa pessoa informada do que acontece no interior da sua casa e alerta sobre possíveis agressões. Peça ajuda em qualquer momento que achar necessário”, explicou.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Fundamental na vida de centenas de mulheres que possuem traumas psicológicos e irreversíveis, o “Ana Por Elas” precisa continuar auxiliando e dando suporte à vítimas de abuso sexual. Para isso, é necessário a ajuda financeira e contribuições para que a iniciativa consiga trazer um alento e esperança a mais pessoas. Caso você precise de ajuda ou tem o desejo de contribuir com o projeto, entre em contato via redes sociais, principalmente por meio do Instagram, que já conta com mais de 10 mil seguidores

“Temos também um grupo no WhatsApp, com colaboradoras que apoiam ou já passaram por nosso projeto. Se não puder falar, escreva para alguém por WhatsApp, SMS, ou denuncie para autoridades nos canais disponíveis”, finalizou Ana Brito

Conheça o projeto Ana Por Elas: https://www.instagram.com/anaporelas_/

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE








Você pode gostar