Menu
Analice Nicolau
Analice Nicolau

Paraná pode proibir peeling de fenol sem a presença de médico habilitado

Casos recentes de complicações graves impulsionam projeto de lei. Deputado Leprevost destaca importância da regulamentação

Analice Nicolau

19/06/2024 12h00

Regulamentação do peeling de fenol avança na ALEP

Nas últimas semanas, o Brasil foi bombardeado por casos graves relacionados ao “Peeling de Fenol”, um tratamento estético que resultou em complicações sérias e até na morte de um paciente devido à falta de regulamentação. Diante desta situação alarmante, o deputado estadual Ney Leprevost (União Brasil), coordenador da Frente Parlamentar da Medicina, apresentou um projeto na Assembleia Legislativa do Paraná (ALEP) que visa proibir a realização desse procedimento estético sem supervisão médica no estado.

Nos últimos dias, diversos casos de uso irregular do fenol vieram à tona. Em São Paulo, Henrique Chagas, de 27 anos, faleceu após realizar o procedimento em uma clínica de estética. Em Curitiba, a Polícia Civil investiga uma esteticista que se identifica como biomédica por realizar o procedimento em uma paciente de 64 anos, resultando em queimaduras de segundo e terceiro graus.

O “Peeling de Fenol” é um procedimento dermatológico invasivo que utiliza uma solução química à base de ácido fenol para promover a renovação da pele. Devido aos riscos envolvidos e a necessidade de conhecimento técnico especializado, é imprescindível que apenas profissionais médicos devidamente capacitados realizem o tratamento.

O projeto de lei, que começou a tramitar na ALEP na semana passada, propõe a proibição do “Peeling de Fenol” sem a presença de um profissional médico habilitado. “O projeto foi apresentado visando a proteção da saúde da população e o respeito aos princípios éticos e legais estabelecidos, em conformidade com a competência constitucional estadual para legislar sobre proteção e defesa da saúde”, destacou o deputado Leprevost.

Com a determinação de que apenas médicos habilitados possam realizar o “Peeling de Fenol”, o projeto busca garantir a segurança dos pacientes, prevenindo complicações decorrentes de procedimentos realizados por indivíduos não qualificados. “Temos que reforçar o papel do Estado na promoção da qualidade e integridade dos serviços de saúde oferecidos à população paranaense”, completou o deputado.

A tramitação deste projeto representa um passo importante para a regulamentação dos procedimentos estéticos no Paraná, promovendo a segurança e o bem-estar dos pacientes e prevenindo tragédias como as recentemente registradas. A expectativa é que a iniciativa inspire outras regiões do Brasil a adotar medidas semelhantes, assegurando que a prática do “Peeling de Fenol” seja realizada com a devida supervisão médica.

    Você também pode gostar

    Assine nossa newsletter e
    mantenha-se bem informado