Menu
Analice Nicolau
Analice Nicolau

Lula quebra o silêncio sobre ato bolsonarista: ‘Grande, mas foi um protesto contra a democracia

Em análise franca, Lula reconhece magnitude do evento na Paulista, mas critica duramente suas motivações antidemocráticas_Entrevista foi concedida nesta terça, 27, no programa ‘É Notícia’, ao jornalista Kennedy Alencar, exibida pela RedeTV!

Analice Nicolau

28/02/2024 16h00

Quase três dias depois do ato liderado por Jair Bolsonaro (PL) na Avenida Paulista, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) finalmente expressou sua visão sobre o evento. Em uma entrevista concedida ao jornalista Kennedy Alencar, exibida pela RedeTV! na noite de terça-feira (27), Lula admitiu que a manifestação reuniu um número significativo de apoiadores. No entanto, lamentou profundamente a motivação por trás dessa mobilização.

“Essa manifestação foi grande, sem dúvida. Mas precisamos olhar além dos números e entender as razões que movem essas pessoas. E, infelizmente, o que vimos foi um ato em defesa de ideias que atentam contra os princípios democráticos”, comentou Lula.

Durante a conversa, o presidente criticou não apenas a natureza do ato, mas também a presença de figuras políticas como o governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos), e o prefeito da cidade, Ricardo Nunes (MDB), sugerindo que foram coagidos a participar devido às suas alianças com Bolsonaro.

“Essa gente toda sentiu a pressão, o medo de se distanciar. Está claro que o medo e a cautela dominaram o evento, um sinal de que temos que ficar de olhos bem abertos. Eles demonstraram não estar para brincadeira”, acrescentou o presidente.

O ponto mais contundente da entrevista veio quando Lula abordou o pedido de anistia para os envolvidos nos atos golpistas de 8 de Janeiro, uma proposta que Bolsonaro defendeu abertamente. Para Lula, esse pedido é uma confissão implícita dos crimes cometidos.

“Quando alguém clama por anistia para golpistas, está, na verdade, admitindo a culpa. Não podemos simplesmente perdoar e esquecer atos que ameaçam a estrutura da nossa democracia”, afirmou ele, enfatizando a importância de continuar as investigações e garantir que a justiça seja feita.

A manifestação de Bolsonaro, descrita por Lula como “grande”, levanta questões sobre a mobilização política e o uso da coação entre aliados. A entrevista destaca a complexidade da situação política atual, onde o respeito pelas instituições democráticas se torna um campo de batalha ideológico.

O presidente reiterou sua posição contra a anistia aos golpistas e a importância de manter o país atento e vigilante. “Estamos lidando com forças que mostraram não ter escrúpulos em desafiar nossa democracia. É nosso dever como cidadãos e como nação defender os princípios que nos unem”, finalizou Lula.

    Você também pode gostar

    Assine nossa newsletter e
    mantenha-se bem informado