Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Analice Nicolau

Letícia Bufoni explica polêmica com Kelvin Hoefler nas redes sociais

Por Analice Nicolau 26/07/2021 3h00
A skatista brasileira Leticia Bufoni contou porque não parabenizou a prata de Kelvin Hoefler em suas redes sociais e tentou minimizar a polêmica nos story

Após a conquista de Kelvin Hoefler da medalha de prata no street skate masculino, nas Olimpíadas de Tóquio, no Japão, a atleta e skatista Letícia Bufoni foi questionada por internautas por não ter publicado nenhuma parabenizarão ao skatista. Nos stories do Instagram, a brasileira explicou que “não é próxima de Kevin, mas disse que o respeita e que ele mereceu a medalha na disputa”.

“O Kelvin, pelo que vocês perceberam, nunca está com a gente nos ‘rolês’, ele nunca faz parte das nossas atividades por uma opção dele”, disse Letícia. “Ninguém tem nada contra ele, pelo contrário, está todo mundo aqui comemorando que o Brasil ganhou uma medalha”, comentou.

A skatista ainda argumentou que Kelvin “não gosta de estar com a gente”. Um exemplo grande é que a CBSK, que é a confederação de skate, não pode nem marcar ele, porque ele bloqueou a CBSK”, disse Bufoni.

Brasileira preferiu não comemorar a medalha de prata do compatriota nas redes sociais. Segundo ela, eles não são próximos

Horas depois da prova, Kelvin postou um stories com outras pessoas da equipe com a legenda: “Jantando com a família”, marcando a conta da CBSK.

Kelvin bloqueou a CBSK no Instagram após se irritar com o veto da Confederação ao credenciamento da esposa Ana Paula Negrão. Assim como Gabriel Medina, o skatista queria a presença da companheira em Tóquio alegando que ela tem função técnica e é essencial para a sua performance em competições.

Após a prova onde conquistou a prata olímpica, Kelvin falou sobre a situação com Letícia Bufoni. Ele admitiu que era próximo da skatista, mas que eles se afastaram com o tempo.

“Eu cresci junto com a Letícia também, a tia dela morava na rua da minha casa. Um tempo depois a gente era muito próximo, ela foi para os Estados Unidos e eu fiquei no Brasil. A gente perdeu um pouco do contato, e quando a gente se encontrou de novo, a gente perdeu um pouco do contato”, disse o primeiro brasileiro a conquistar uma medalha em Tóquio.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Ele ainda explicou que é mais reservado. “É a mesma família, sou mais pacato, mais no meu canto, bem quieto na minha, não gosto muito de ficar extrovertido, extravasando tudo, sou mais quieto, gosto de analisar as coisas”, afirmou.






Você pode gostar