Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Blogs e Colunas

Léo Áquilla fala sobre coragem para se assumir como mulher trans em ‘Broadway’, projeto confidencial de Antonia Fontenelle

Com o passar dos anos, a jornalista passou a ter maior identificação com o gênero feminino, até que em 1998 decidiu se assumir como uma mulher transexual

Por Analice Nicolau 13/10/2021 5h00
Com o passar dos anos, a jornalista passou a ter maior identificação com o gênero feminino, até que em 1998 decidiu se assumir como uma mulher transexual

A jornalista Léo Áquilla foi a responsável por atuar no monólogo da abertura do primeiro dia de gravações de um projeto confidencial da apresentadora Antonia Fontenelle. Em um emocionante desabafo, ela questionou se o auditório presente teria coragem o suficiente para ser feliz e se assumir como realmente é, sem ter medo do julgamento alheio. “É preciso coragem para ser feliz. Não existe nesse mundo uma pessoa que tenha se reinventado e vencido sem ter coragem”, pontuou.

“Tem gente aqui que não sabe quem eu sou. Mas você sabe quem você é? Para uma pessoa ser assumida, ela precisa ser corajosa. Mas tem um momento em que a vida chama. Em que horas você sairá da plateia para ser protagonista da sua vida? Nesse momento é que você tem que se preocupar: eu tenho coragem?”, questionou a jornalista, arrancando aplausos dos convidados.

“Vocês vão sair daqui muito diferentes do que entraram. Esse espetáculo vai servir para que vocês saiam renovados para uma vida melhor. É melhor você ser odiado pelo que você é de verdade do que ser amado pelo que você é de mentira”, sentenciou ela.

Léo Áquilla se assumiu homossexual no final de sua adolescência, ainda nos anos 1980. Ainda naquela época, ela começou a se montar como drag queen. Com o passar dos anos, a jornalista passou a ter maior identificação com o gênero feminino, até que em 1998 decidiu se assumir como uma mulher transexual. Ela, porém, optou por não fazer a cirurgia de redesignação sexual, já que sempre aceitou o seu corpo.

Dez anos depois, em 2008, a comunicadora foi oficialmente reconhecida pela Justiça como uma mulher, e conseguiu o direito de retificar todos os seus documentos oficiais. Em 2016, Léo se casou com o professor de artes marciais Chico Campadello, com quem continua até hoje.








Você pode gostar