Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Blogs e Colunas

“Eu já queimei uma Bíblia”, afirma Alexandre Frota

Por Analice Nicolau 14/10/2021 8h41

O político contou que já trocou televisão e bicicleta na boca de fumo, e até conversou com um sapo

Em uma entrevista sincera para o quadro ‘Mais que 8 Minutos’, de Rafinha Bastos, o ator e político Alexandre Frota falou sobre a época em que se perdeu nas drogas. Ele tinha aproximadamente 18 anos e chegou a queimar uma bíblia por conta do vício, além de ter trocado itens de valor por entorpecentes.

“Era pra eu ter morrido”, afirma Frota


Os vícios do ator começaram quando ele se mudou para Garopaba-SP, onde gravou um filme. Ele afirma que na época era considerado o “careta” da turma, mas isso mudou quando tomou a primeira cerveja. “Em uma noite eu saí com a galera e fui em um bar. Os caras falaram para eu beber e eu tomei um gole de cerveja. Aquilo bateu e eu achei muito maneiro, tomei mais uma e no dia seguinte eu falei que queria tomar de novo”, lembra o político.


O álcool foi a porta de entrada para a maconha, cocaína, chá de cogumelo e ácidos na vida de Alexandre. Ele contou que uma vez, ao tomar o chá pela primeira vez, ele pegou uma prancha e foi para o mar no intuito de chegar até o sol. “O sol estava morrendo e eu fui remando até que o sol sumiu. Eu comecei a olhar para água e ver um monte de vulto preto, quando eu olhei para trás eu vi a distância que eu estava da praia, a galera estava pequenininha”.


Quando começou a usar ácidos, Frota conta que teve uma vez que deixou de sair com os amigos porque tinha completa certeza de que um sapo estava falando com ele. “Eu juntei a galera na beira do lago que tinha atrás da casa e eu fazia [som de sapo]. Eu falei que eles podiam ir que eu podia ficar lá conversando com o sapo”.


Apesar de rir ao relembrar desses momentos, o ator afirmou que foi uma fase bem difícil, que ele se sentia muito mal e viciado. “Eu arranquei televisão da parede e entreguei na boca, peguei bicicleta e entreguei na boca, fui forte na parada”, afirmou o político.

O político é Deputado Federal pelo estado de São Paulo


Depois de anos no mundo das drogas, Alexandre se sentia cada vez mais sozinho e começou a culpar Deus por tudo que estava acontecendo. “Fui rico, fiz sucesso, fui para o fracasso, fiquei pobre (…) Eu chorava, cheguei a queimar uma bíblia”. Frota contou que estava com uma faca na mão, queimando o item religioso e dizendo que Deus não existe, momento em que um amigo o encontrou.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE


O político afirma que está há 15 anos limpo, sem usar nenhum tipo de drogas. “Eu sou um sobrevivente, era para eu ter morrido. Era para ter acontecido comigo o que aconteceu com o Chorão”, disse.








Você pode gostar