Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Blogs e Colunas

Empresa familiar é referência no mercado de queijo de búfala

Laticínio do interior de São Paulo começou vendendo queijos na feira e hoje produz mais de 100 toneladas por mês

Por Analice Nicolau 05/07/2022 6h30
Laticínio do interior de São Paulo começou vendendo queijos na feira e hoje produz mais de 100 toneladas por mês

Conhecida nacionalmente, a Levitare é referência na produção de laticínios derivados do leite de búfala, com mais de 40 itens em sua linha de comercialização, que somam mais de 100 toneladas de queijo por mês, em uma área de produção com mais de 3.200m² de extensão. A empresa fundada em 2000, mas com o nome atual desde 2004, conta ainda com cerca de 400 profissionais, dentre funcionários, produtores e representantes de venda. Mas para que o patamar atual de sucesso no mercado fosse alcançado, uma história que envolve coragem, pioneirismo e até futebol, precisa ser contada.

Tudo começou em 1994, quando o agrônomo José Nakid saiu de São Paulo para morar em um sítio no Vale do Ribeira, que fica a 170 quilômetros da capital. A ideia original era conquistar alguma renda, mas sem danificar a mata local. A primeira ideia foi criar pinto de galinha caipira, o que acabou não dando certo. José e a família também vendiam cabo de enxada e produtos agrícolas.

A empresa fundada em 2000, mas com o nome atual desde 2004, conta ainda com cerca de 400 profissionais, dentre funcionários, produtores e representantes de venda

Mais tarde, José decidiu apostar na comercialização de queijos, aproveitando a pequena criação de vacas que ele adquiriu quando comprou o sítio. A comercialização era feita em uma feira local, e os produtos cozinhados na própria cozinha de casa. Um negócio simples e familiar, que contava também com a ajuda dos filhos Denise, administradora de empresas, e Jorge, ex-jogador de futebol.

Leite de búfala e montagem do laticínio

Após três anos comercializando queijos de vaca na feira, surgiu a ideia de modificar a produção. Em conversas com parceiros comerciais, donos de pizzaria, a família Nakid decidiu apostar na ainda desconhecida criação de búfula.

Para que desse certo, a infraestrutura também precisaria melhorar. O queijo de búfala começava a fazer sucesso com as pizzarias locais, e serviços de entrega em São Paulo aumentavam. Com as inspeções e um trabalho mais profissional, a família precisou se adequar e migrar a produção da cozinha para o laticínio montado dentro do sítio.

Muito menor do que o atual, com 180 m² de extensão, o laticínio tinha uma produção inicial de 500 litros por dia, e o que se tornou a Levitare nos dias atuais começava a ganhar uma forma mais robusta. Jorge conta que mesmo já aposentado do futebol profissional para se dedicar ao negócio da família, após passagens por Palmeiras e Fluminense, pôde ajudar com pequenas quantias que recebia atuando em equipes amadoras locais, no crescimento da produção.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Atualmente, a empresa é dirigida pelos filhos de Nakid, Jorge e Denise, que apostaram no sucesso do negócio que não para de crescer. “Estamos em franca expansão e podemos afirmar que é um dos melhores momentos no que diz respeito às nossas expectativas. Estamos muito seguros e felizes com a percepção que os consumidores possuem da nossa linha de produtos. Nosso posicionamento premium conversa perfeitamente com a qualidade dos nossos produtos e reforça que estamos no caminho certo. Tudo isso atrelado a um dos momentos onde estamos realizando mais investimentos. Acreditamos na força da nossa marca, mesmo com o cenário econômico atual”, comenta Jorge.

Um negócio simples e familiar, que contava também com a ajuda dos filhos Denise, administradora de empresas, e Jorge, ex-jogador de futebol.

A criação de búfalas atualmente é a terceira atividade econômica do Vale do Ribeira, região que concentra o menor PIB (produto interno bruto) do estado de São Paulo. A Levitare, que conta com os serviços de aproximadamente 200 micro produtores, estima que consegue impactar direta e indiretamente a vida de cerca de 5 mil pessoas.

“O respeito aos nossos colaboradores e seus familiares é um dos alicerces da Levitare. Alguns residem na vila dentro da propriedade e todos recebem treinamento. Aqueles que trabalham diretamente com a produção recebem treinamento técnico do nosso consultor italiano. Alguns colaboradores viajam até a região de Caserta, na Itália, terra da melhor “mozzarella di bufala” para presenciarem in loco as melhores práticas e técnicas de produção de queijos finos”, explica Denise.

Neste ano, a Levitare aposta no conceito To go , uma linha de queijos 100% feita do leite de búfala que se diferencia pela capacidade de ficar até cinco horas fora da geladeira. É recomendada para crianças, para quem precisa levar um lanche para o trabalho e até para atletas, devido ao baixo teor de colesterol em sua composição. Denise revela que a proposta era oferecer ao mercado um produto completo: “saboroso, saudável e prático”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE








Você pode gostar