Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Blogs e Colunas

90 anos do Cristo Redentor: Itália é eternizada com instalação de busto de cientista que o iluminou direto da Roma

Representação em bronze de Guglielmo Marconi foi colocada no Santuário Cristo Redentor ao lado dos bustos do mentor e do construtor da estátua

Por Analice Nicolau 18/10/2021 11h00
Representação em bronze de Guglielmo Marconi foi colocada no Santuário Cristo Redentor ao lado dos bustos do mentor e do construtor da estátua crédito: Consulado-Geral da Itália no RJ/Divulgação

A participação da Itália na história do Cristo Redentor foi eternizada neste sábado (16) durante evento em comemoração ao seu 90º aniversário. O santuário aos seus pés ganhou um busto em bronze do cientista italiano Guglielmo Marconi que acionou, diretamente de Roma, a iluminação do símbolo carioca na noite em que foi inaugurado, em 12 de outubro de 1931.

O evento, restrito a convidados, foi promovido pelo Consulado-Geral da Itália no Rio de Janeiro juntamente com a Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro e o Santuário Cristo Redentor. Batizado “Dia da Itália”, ele contou com uma reedição do feito histórico de Marconi – mais uma vez o cartão postal da Cidade Maravilhosa foi iluminado a partir de um sinal elétrico disparado na capital italiana, distante mais de 10 mil km da Baía de Guanabara.

Ganhador de um Nobel de física, Guglielmo Marconi é considerado o inventor do rádio. Foi ele quem descobriu, em 1896, o primeiro sistema prático de telegrafia sem fios (TSF) a partir do qual, 35 anos depois, serviu de base para disparar de Roma ao Rio de Janeiro o impulso elétrico para acionar as luzes do Cristo Redentor.

“Aquele momento construiu uma ponte entre a Itália e o Brasil, fortalecendo os profundos laços de amizade e colaboração entre os dois países e contribuindo, justamente em virtude das novas tecnologias que se desenvolveram a partir do legado científico de Marconi, na difusão dos valores universais representados pelo Cristo”, disse o cônsul-geral da Itália no Rio de Janeiro, Paolo Miraglia del Giudice.

A representação em bronze de Marconi foi instalada ao lado dos bustos do Cardeal Dom Sebastião Leme, arcebispo do Rio de Janeiro que foi o mentor da proposta de erguer a estátua de um Cristo sobre o Corcovado, e do engenheiro Heitor da Silva Costa, autor do projeto e construtor do monumento que veio a se tornar uma das Sete Maravilhas do Mundo Moderno.

O reitor do Santuário Cristo Redentor, Padre Omar Raposo, lembrou que o legado de Marconi chegou ao Corcovado antes da inauguração do Cristo Redentor. “Sabem onde aconteceu a primeira transmissão radiofônica no Brasil. Aqui, no lugar onde estamos, quando ainda nem existia o Cristo Redentor”, destacou.

O busto do cientista italiano foi doado ao Santuário Cristo Redentor pela prefeitura de Sasso Marconi, cidade natal do cientista, localizada na região de Emília-Romanha, na província de Bolonha. A obra foi inaugurada durante o evento pelo prefeito Roberto Parmeggiani e pelo arcebispo do Rio de Janeiro Dom Orani Tempesta que, juntos, retiraram o pano que a cobria.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Iluminação do Cristo acionada em Roma

O feito histórico de Marconi foi reeditado após inauguração de seu busto no Santuário Cristo Redentor. Desta vez ele foi realizado pela princesa Elettra Marconi Giovanelli, filha do cientista italiano que tinha apenas um ano de idade quando o pai participou da inauguração do Cristo Redentor.

O palco Elettra foi um dos estúdios da emissora de TV italiana Rai, em Roma, que transmitiu o evento ao vivo para toda a Itália. A princesa estava acompanhada pelo filho Guglielmo Giovannelli Marconi, e pelo embaixador do Brasil em Roma, Hélio Vitor Ramos Filho. Ao lado deles, um telão exibia a imagem do Cristo Redentor ao vivo, em cuja capela acontecia a cerimônia promovida pelo Consulado-Geral da Itália no Rio de Janeiro em comemoração aos 90 anos do monumento.

Foi por volta das 18h20 (horário de Brasília), que a princesa entoou, junto ao filho e o embaixador, a contagem regressiva que antecedeu o acionamento, por meio de um smartphone, das luzes sobre o símbolo carioca. O público italiano pode ver os fortes feixes de luzes nas cores verde, branca e vermelha, que compõem a bandeira da Itália, cortando as nuvens que encobriam a estátua. Minutos depois, com a melhora da nebulosidade, foi possível ver a silhueta do Cristo iluminado com as três cores.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE








Você pode gostar