Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Blogs e Colunas

Após reclamar de banheiro unissex, Joana Prado nega ter sido transfóbica e diz que não deve satisfação a ninguém

A empresária disse que tem amigos gays e que não teve a intenção de questionar a escolha sexual de ninguém

Por Analice Nicolau 22/10/2021 10h00
A empresária disse que tem amigos gays e que não teve a intenção de questionar a escolha sexual de ninguém

A empresária e ex-modelo brasileira, Joana Prado, foi criticada nas últimas semanas por ter publicado um vídeo reclamando de um banheiro unissex nos Estados Unidos. Alguns sites afirmam que ela perdeu vários patrocínios por conta disso. Nesta quarta-feira, 20, a empreendedora falou nas redes sociais sobre o assunto.


Sem pedir desculpas em momento algum, Joana começa o vídeo dizendo que não deve satisfações a ninguém. “Aprendi que é muito mais importante viver de valores do que preferências”, disse ela. A empresária afirmou que a mensagem dela em momento algum teve cunho transfóbico ou homofóbico, pois ela não questionou a opção sexual de ninguém.


“Não posso admitir que a minha mensagem seja distorcida. A minha empresa é uma companhia inclusiva, uma das minhas coachs favoritas é gay, tenho diversos amigos gays e, inclusive, tenho na minha família um trans que amo de paixão”, disse.


Sobre o que quis dizer com o vídeo, Joana afirma que estava preocupada com a segurança das filhas, de 12 e 13 anos, e disse que está lutando contra a violência sexual, pedofilia e o tráfico de pessoas. “Elas [as filhas] podem estar dividindo o banheiro público com um homem e correndo risco de serem molestadas ou até mesmo estupradas. Eu tenho pelo menos três amigas que foram abusadas sexualmente quando eram pequenas, inclusive uma delas é gay. Eu não posso mais admitir isso”.


De acordo com o jornal O Dia, Joana e o marido perderam alguns patrocínios após a publicação do vídeo no banheiro unissex. Nas imagens, Joana disse que se essas empresas estão mais preocupadas com o meio-ambiente do que com o cuidado e proteção do ser humano, então ela e a família que não querem estar com essas marcas.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE








Você pode gostar