Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Blogs e Colunas

Alok leva as vozes ancestrais dos povos indígenas ao mundo, no Global Citizen Live

Show vai ser transmitido diretamente da Amazônia onde o DJ mostrou parte de seu trabalho junto aos povos indígenas brasileiros

Por Analice Nicolau 23/09/2021 6h00
Show vai ser transmitido diretamente da Amazônia onde o DJ mostrou parte de seu trabalho junto aos povos indígenas brasileiros

Alok vem ampliando sua trajetória junto à causa indígena. Além do trabalho musical com os indígenas para seu primeiro álbum, Alok anunciou também a realização de documentário com a produtora Maria Farinha Filmes, que joga luz sobre a importância de ressignificar o passado e entender como as tecnologias ancestrais vindas do conhecimento e da conexão dos povos indígenas com a natureza, é o caminho para a humanidade alcançar um futuro sustentável, o artista foi a Brasília apoiar a mobilização “Marcha pela Vida”, ocorrida em agosto.


Por sua vez, o Instituto Alok apoia e desenvolve projetos para a preservação da cultura indígena e desenvolvimento de negócios sustentáveis para as aldeias.


Confirmado como headliner do Global Citizen Live (evento global, transmitido simultaneamente em 100 países) que objetiva alertar os líderes mundiais, a sociedade e corporações na prioridade das questões relativas as mudanças climáticas, fome e inclusão, o DJ mostra, mais uma vez ao mundo, a importância de honrarmos as nossas origens.


Diretamente da Amazônia, Alok percorre as vozes ancestrais indígenas e traz ao evento neste sábado seu trabalho musical com os povos Yawanawá, Huni Kuin e Guarani. O DJ atenta para o aprendizado que devemos ter junto aos indígenas no trato com a natureza e mãe Terra.


“Aprendi que os cantos indígenas são as vozes ancestrais da floresta e diante o momento urgente que vivemos devido às mudanças climáticas, é preciso ouvir o que a floresta tem a nos dizer. Sirvo apenas como uma ferramenta para ajudar a levar as vozes indígenas para além da aldeia, como parte de um compromisso em retribuição ao que esses povos fazem historicamente para preservar as florestas. Respeitá-los não é uma opção, mas uma reparação histórica necessária. Como aprendi com Célia Xakriabá, uma das roteiristas do documentário e hoje minha amiga, “antes do Brasil da coroa, existia um Brasil do cocar”, diz Alok.


A apresentação ocorre no sábado, 25, a partir das 23h e será transmitido no Brasil pelo canal Bis com entradas no Multishow e Globo. Mundialmente será transmitido pelos canais: BBC, ABC, ABC News Live, Australia’s Channel 9, Brazil’s Multishow and Bis, France’s TF1/TMC, Singapore’s Mediacorp, ABC, ABC News Live, BBC, FX, iHeartRadio, Hulu, The Roku Channel, YouTube, TIME, Twitter e outros.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE








Você pode gostar