Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Viva

Instituto Cervantes apresenta Festival Carlos Saura

Por Arquivo Geral 18/03/2014 6h00

O Instituto Cervantes Brasília apresenta do dia 19 ao dia 23 de março o “Festival Carlos Saura”, mostra que reúne filme de um dos diretores mais influentes da sétima arte espanhola contemporânea. Serão exibidos ao público, cinco produções de diferentes épocas do artista. No dia de estreia, a gestora cultural da Embaixada da Espanha, Elena Cordero, apresentará biografia do cineastra e comentará as obras selecionadas para a mostra.

Primeiro longa a ser exibido, A prima Angélica (1974) narra a história de Luis, que ao se hospedar na casa da tia depara-se com a prima Angélica, por sua vez casada e com uma filha. Este reencontro faz reacender as lembranças de infância naquele lugar durante a Guerra Civil Espanhola.

No segundo dia do festival, Elisa, minha vida (1977), aborda um drama entre pai e filha que não se falam há muito tempo e moram distante um do outro. A filha, Elisa, fica sabendo que o pai está doente e decide ir passar um tempo com ele. Aos poucos, com a convivência, ambos se reaproximam melhorando a relação.  

Ganhador do Prêmio Especial no Festival de San Sebastian, do Prêmio da Crítica do Festival de Bruxelas e indicado ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro, Mamãe faz cem anos (1979) é uma obra que analisa a sociedade espanhola durante o Regime de Franco. Conta a história de uma família que aproveita a reunião de aniversário de 100 anos da matriarca para planejar sua morte e apoderar-se de sua herança.

Em Tango (1998), o diretor teatral Mario Suarez está com a carreira em crise. Abandonado pela mulher, ele se refugia nos ensaios de um espetáculo que prepara sobre tango. Ângelo Larroca, o mafioso produtor e também bailarino frustrado sugere a Mario que dê o papel principal à sua protegida, Mía Maestro. Impressionado com o talento e beleza da jovem, Mario se torna seu amante.

Para encerrar, Goya (1999) – a cinebiografia de um dos gênios da pintura espanhola, mostra o período em que o artista viveu em Buerdos, no fim de sua vida. Enquanto ficava claro que na Espanha os dias de absolutismo sob as novas pressões do iluminismo chegavam ao fim, Francisco de Goya descobre um novo mundo criativo por meio das próprias pinturas.

Os trabalhos do diretor Carlos Saura são caracterizados pelas influências do neo-realismo e, em algumas etapas, do grande diretor Luis Buñuel, abrangendo a evolução da sociedade espanhola de forma magistral. Este ciclo traz ao público brasiliense uma enriquecedora visão sobre o trabalho cinematográfico e a íntima relação do diretor com a história e a cultura espanhola.  

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Sobre o diretor

Prestigiado internacionalmente entre os principais ícones da cinematografia espanhola, Carlos Saura nasceu em Huesca, no dia 04 de janeiro de 1932. Deu início à carreira de fotógrafo no Instituto de pesquisas e experiências cinematográficas de Madrid, onde obteve o Diploma of Management, abandonando assim o curso de engenharia industrial na faculdade. Além de fotógrafo, ele possui importante trabalho como autor de romances traduzidos em mais de 20 idiomas, como a Luz, Elisa, minha vida ou Pajarico Sozinho.

Entre as principais premiações estão Medalha de Outro que recebeu da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas da Espanha; decorações por parte dos governos francês (em agosto de 1993 impostas pela Ordem das Arte e Letras da França) e italiano (Grande Oficial da Ordem do Mérito da República Italiana), bem como mais altas horárias concedidas pelo Estado Espanhol.

Saura é casado com a atriz Eulalia Ramón, desde 2006, com quem tem uma filha chamada Anna. Ele é irmão do pintor Antonio Saura.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Quem é Elena Cordero

Elena Cordero (Madri, Espanha), Estudou Jornalismo e Comunicação Audiovisual na Universidade Rey Juan Carlos de Madr onde também realizou o Mestrado em Cinema Espanhol. Trabalhou em diversos meios de comunicação da Espana como Sogecable, Europa Press e La Cadena Ser. Atualmente é a gestora cultural da Embaixada da Espanha no Brasil e participa no blog de crítica cinematográfica com perspectiva de gênero chamado “24 Reflejos por Segundo” (24reflejos.blogspot.com).

 PROGRAMAÇÃO:

19/03, quarta-feira, 19h

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A Prima Angélica

1974, 107 min. Classificação indicativa : 18 anos

 20/03, quinta-feira, 19h

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Elisa, minha vida

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

1977, 125 min. Classificação indicativa : 13 anos

 21/03, sexta-feira, 19h

Mamãe faz cem anos

1979, 92 min. Classificação indicativa: 18 anos

 22/03, sábado, 19h

Tango

1998,115 min. Classificação indicativa: 16 anos

 23/03, domingo, 19h

Goya

1999, 107 min. Classificação indicativa: 7 anos

 Serviço:

Ciclo de cinema destaca filmografia de Carlos Saura

Data: 19 a 23/03

Horário: sempre às 19h

Local: Espaço Cultural Instituto Cervantes – SEPS 707/907 Sul

Classificação Indicativa: Observar os dias de exibição

Entrada Franca

Informações: 3242-0603 

Site: http://brasilia.cervantes.es








Você pode gostar



Viva

Instituto Cervantes apresenta Festival Carlos Saura

Por Arquivo Geral 17/03/2014 6h06

O Instituto Cervantes Brasília apresenta do dia 19 ao dia 23 de março o “Festival Carlos Saura”, mostra que reúne filme de um dos diretores mais influentes da sétima arte espanhola contemporânea. Serão exibidos ao público, cinco produções de diferentes épocas do artista.

Na estreia, A prima Angélica (1974) narra a história de Luis, que ao se hospedar na casa da tia depara-se com a prima Angélica, por sua vez casada e com uma filha. Este reencontro faz reacender as lembranças de infância naquele lugar durante a Guerra Civil Espanhola.

Elisa, minha vida (1977), segundo longa a ser exibido, narra a história sobre pai e filha que não se falam há muito tempo e moram distante um do outro. A filha, Elisa, fica sabendo que o pai está doente e decide ir passar um tempo com ele. Aos poucos, com a convivência, ambos se reaproximam melhorando a relação.  

Ganhador do Prêmio Especial no Festival de San Sebastian, do Prêmio da Crítica do Festival de Bruxelas e indicado ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro, Mamãe faz cem anos (1979) é uma obra que analisa a sociedade espanhola durante o Regime de Franco. Conta a história de uma família que aproveita a reunião de aniversário de 100 anos da matriarca para planejar sua morte e apoderar-se de sua herança.

Em Tango (1998), o diretor teatral Mario Suarez está com a carreira em crise. Abandonado pela mulher, ele se refugia nos ensaios de um espetáculo que prepara sobre tango. Ângelo Larroca, o mafioso produtor e também bailarino frustrado sugere a Mario que dê o papel principal à sua protegida, Mía Maestro. Impressionado com o talento e beleza da jovem, Mario se torna seu amante.

Para encerrar, Goya (1999) – a cinebiografia de um dos gênios da pintura espanhola, mostra o período em que o artista viveu em Buerdos, no fim de sua vida. Enquanto ficava claro que na Espanha os dias de absolutismo sob as novas pressões do iluminismo chegavam ao fim, Francisco de Goya descobre um novo mundo criativo por meio das próprias pinturas.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Os trabalhos do diretor Carlos Saura são caracterizados pelas influências do neo-realismo e, em algumas etapas, do grande diretor Luis Buñuel, abrangendo a evolução da sociedade espanhola de forma magistral. Este ciclo traz ao público brasiliense uma enriquecedora visão sobre o trabalho cinematográfico e a íntima relação do diretor com a história e a cultura espanhola.  

Sobre o diretor

Prestigiado internacionalmente entre os principais ícones da cinematografia espanhola, Carlos Saura nasceu em Huesca, no dia 04 de janeiro de 1932. Deu início à carreira de fotógrafo no Instituto de pesquisas e experiências cinematográficas de Madrid, onde obteve o Diploma of Management, abandonando assim o curso de engenharia industrial na faculdade. Além de fotógrafo, ele possui importante trabalho como autor de romances traduzidos em mais de 20 idiomas, como a Luz, Elisa, minha vida ou Pajarico Sozinho.

Entre as principais premiações estão Medalha de Outro que recebeu da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas da Espanha; decorações por parte dos governos francês (em agosto de 1993 impostas pela Ordem das Arte e Letras da França) e italiano (Grande Oficial da Ordem do Mérito da República Italiana), bem como mais altas horárias concedidas pelo Estado Espanhol.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Saura é casado com a atriz Eulalia Ramón, desde 2006, com quem tem uma filha chamada Anna. Ele é irmão do pintor Antonio Saura.

PROGRAMAÇÃO:

19/03, quarta-feira, 19h

A Prima Angélica

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

1974, 107 min. Classificação indicativa : 18 anos

 

20/03, quinta-feira, 19h

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Elisa, minha vida

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

1977, 125 min. Classificação indicativa : 13 anos

 

21/03, sexta-feira, 19h

Mamãe faz cem anos

1979, 92 min. Classificação indicativa: 18 anos

 

22/03, sábado, 19h

Tango

1998,115 min. Classificação indicativa: 16 anos

 

23/03, domingo, 19h

Goya

1999, 107 min. Classificação indicativa: 7 anos

 

Serviço:

Ciclo de cinema destaca filmografia de Carlos Saura

Data: 19 a 23/03

Horário: sempre às 19h

Local: Espaço Cultural Instituto Cervantes – SEPS 707/907 Sul

CI : Observar os dias de exibição

 Entrada Franca


Informações: 3242-0603 

Site: http://brasilia.cervantes.es








Você pode gostar



Viva

Instituto Cervantes apresenta: Festival Carlos Saura

O Instituto Cervantes Brasília apresenta do dia 19 ao dia 23 de março o “Festival Carlos Saura”, mostra que reúne filme de um dos diretores mais influentes da sétima arte espanhola contemporânea. Serão exibidos ao público, cinco produções de diferentes épocas do artista. No dia de estreia, a gestora cultural da Embaixada da Espanha, Elena Cordero, apresentará biografia do cineastra e comentará as obras selecionadas para a mostra.

Primeiro longa a ser exibido, A prima Angélica (1974) narra a história de Luis, que ao se hospedar na casa da tia depara-se com a prima Angélica, por sua vez casada e com uma filha. Este reencontro faz reacender as lembranças de infância naquele lugar durante a Guerra Civil Espanhola.

No segundo dia do festival, Elisa, minha vida (1977), aborda um drama entre pai e filha que não se falam há muito tempo e moram distante um do outro. A filha, Elisa, fica sabendo que o pai está doente e decide ir passar um tempo com ele. Aos poucos, com a convivência, ambos se reaproximam melhorando a relação.  

Ganhador do Prêmio Especial no Festival de San Sebastian, do Prêmio da Crítica do Festival de Bruxelas e indicado ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro, Mamãe faz cem anos (1979) é uma obra que analisa a sociedade espanhola durante o Regime de Franco. Conta a história de uma família que aproveita a reunião de aniversário de 100 anos da matriarca para planejar sua morte e apoderar-se de sua herança.

Em Tango (1998), o diretor teatral Mario Suarez está com a carreira em crise. Abandonado pela mulher, ele se refugia nos ensaios de um espetáculo que prepara sobre tango. Ângelo Larroca, o mafioso produtor e também bailarino frustrado sugere a Mario que dê o papel principal à sua protegida, Mía Maestro. Impressionado com o talento e beleza da jovem, Mario se torna seu amante.

Para encerrar, Goya (1999) – a cinebiografia de um dos gênios da pintura espanhola, mostra o período em que o artista viveu em Buerdos, no fim de sua vida. Enquanto ficava claro que na Espanha os dias de absolutismo sob as novas pressões do iluminismo chegavam ao fim, Francisco de Goya descobre um novo mundo criativo por meio das próprias pinturas.

Os trabalhos do diretor Carlos Saura são caracterizados pelas influências do neo-realismo e, em algumas etapas, do grande diretor Luis Buñuel, abrangendo a evolução da sociedade espanhola de forma magistral. Este ciclo traz ao público brasiliense uma enriquecedora visão sobre o trabalho cinematográfico e a íntima relação do diretor com a história e a cultura espanhola.  

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Sobre o diretor

Prestigiado internacionalmente entre os principais ícones da cinematografia espanhola, Carlos Saura nasceu em Huesca, no dia 04 de janeiro de 1932. Deu início à carreira de fotógrafo no Instituto de pesquisas e experiências cinematográficas de Madrid, onde obteve o Diploma of Management, abandonando assim o curso de engenharia industrial na faculdade. Além de fotógrafo, ele possui importante trabalho como autor de romances traduzidos em mais de 20 idiomas, como a Luz, Elisa, minha vida ou Pajarico Sozinho.

Entre as principais premiações estão Medalha de Outro que recebeu da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas da Espanha; decorações por parte dos governos francês (em agosto de 1993 impostas pela Ordem das Arte e Letras da França) e italiano (Grande Oficial da Ordem do Mérito da República Italiana), bem como mais altas horárias concedidas pelo Estado Espanhol.

Saura é casado com a atriz Eulalia Ramón, desde 2006, com quem tem uma filha chamada Anna. Ele é irmão do pintor Antonio Saura.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Quem é Elena Cordero

Elena Cordero (Madri, Espanha), Estudou Jornalismo e Comunicação Audiovisual na Universidade Rey Juan Carlos de Madr onde também realizou o Mestrado em Cinema Espanhol. Trabalhou em diversos meios de comunicação da Espana como Sogecable, Europa Press e La Cadena Ser. Atualmente é a gestora cultural da Embaixada da Espanha no Brasil e participa no blog de crítica cinematográfica com perspectiva de gênero chamado “24 Reflejos por Segundo” (24reflejos.blogspot.com).

 

PROGRAMAÇÃO:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

19/03, quarta-feira, 19h

A Prima Angélica

1974, 107 min. Classificação indicativa : 18 anos

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

20/03, quinta-feira, 19h

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Elisa, minha vida

1977, 125 min. Classificação indicativa : 13 anos

21/03, sexta-feira, 19h

Mamãe faz cem anos

1979, 92 min. Classificação indicativa: 18 anos

22/03, sábado, 19h

Tango

1998,115 min. Classificação indicativa: 16 anos

23/03, domingo, 19h

Goya

1999, 107 min. Classificação indicativa: 7 anos

Serviço:

Ciclo de cinema destaca filmografia de Carlos Saura

Data: 19 a 23/03

Horário: sempre às 19h

Local: Espaço Cultural Instituto Cervantes – SEPS 707/907 Sul

CI : Observar os dias de exibição

Entrada Franca

Informações: 3242-0603 

Site: http://brasilia.cervantes.es








Você pode gostar



Viva

Instituto Cervantes apresenta: Festival Carlos Saura

O Instituto Cervantes Brasília apresenta do dia 19 ao dia 23 de março o “Festival Carlos Saura”, mostra que reúne filme de um dos diretores mais influentes da sétima arte espanhola contemporânea. Serão exibidos ao público, cinco produções de diferentes épocas do artista. No dia de estreia, a gestora cultural da Embaixada da Espanha, Elena Cordero, apresentará biografia do cineastra e comentará as obras selecionadas para a mostra.

Primeiro longa a ser exibido, A prima Angélica (1974) narra a história de Luis, que ao se hospedar na casa da tia depara-se com a prima Angélica, por sua vez casada e com uma filha. Este reencontro faz reacender as lembranças de infância naquele lugar durante a Guerra Civil Espanhola.

No segundo dia do festival, Elisa, minha vida (1977), aborda um drama entre pai e filha que não se falam há muito tempo e moram distante um do outro. A filha, Elisa, fica sabendo que o pai está doente e decide ir passar um tempo com ele. Aos poucos, com a convivência, ambos se reaproximam melhorando a relação.  

Ganhador do Prêmio Especial no Festival de San Sebastian, do Prêmio da Crítica do Festival de Bruxelas e indicado ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro, Mamãe faz cem anos (1979) é uma obra que analisa a sociedade espanhola durante o Regime de Franco. Conta a história de uma família que aproveita a reunião de aniversário de 100 anos da matriarca para planejar sua morte e apoderar-se de sua herança.

Em Tango (1998), o diretor teatral Mario Suarez está com a carreira em crise. Abandonado pela mulher, ele se refugia nos ensaios de um espetáculo que prepara sobre tango. Ângelo Larroca, o mafioso produtor e também bailarino frustrado sugere a Mario que dê o papel principal à sua protegida, Mía Maestro. Impressionado com o talento e beleza da jovem, Mario se torna seu amante.

Para encerrar, Goya (1999) – a cinebiografia de um dos gênios da pintura espanhola, mostra o período em que o artista viveu em Buerdos, no fim de sua vida. Enquanto ficava claro que na Espanha os dias de absolutismo sob as novas pressões do iluminismo chegavam ao fim, Francisco de Goya descobre um novo mundo criativo por meio das próprias pinturas.

Os trabalhos do diretor Carlos Saura são caracterizados pelas influências do neo-realismo e, em algumas etapas, do grande diretor Luis Buñuel, abrangendo a evolução da sociedade espanhola de forma magistral. Este ciclo traz ao público brasiliense uma enriquecedora visão sobre o trabalho cinematográfico e a íntima relação do diretor com a história e a cultura espanhola.  

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Sobre o diretor

Prestigiado internacionalmente entre os principais ícones da cinematografia espanhola, Carlos Saura nasceu em Huesca, no dia 04 de janeiro de 1932. Deu início à carreira de fotógrafo no Instituto de pesquisas e experiências cinematográficas de Madrid, onde obteve o Diploma of Management, abandonando assim o curso de engenharia industrial na faculdade. Além de fotógrafo, ele possui importante trabalho como autor de romances traduzidos em mais de 20 idiomas, como a Luz, Elisa, minha vida ou Pajarico Sozinho.

Entre as principais premiações estão Medalha de Outro que recebeu da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas da Espanha; decorações por parte dos governos francês (em agosto de 1993 impostas pela Ordem das Arte e Letras da França) e italiano (Grande Oficial da Ordem do Mérito da República Italiana), bem como mais altas horárias concedidas pelo Estado Espanhol.

Saura é casado com a atriz Eulalia Ramón, desde 2006, com quem tem uma filha chamada Anna. Ele é irmão do pintor Antonio Saura.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Quem é Elena Cordero

Elena Cordero (Madri, Espanha), Estudou Jornalismo e Comunicação Audiovisual na Universidade Rey Juan Carlos de Madr onde também realizou o Mestrado em Cinema Espanhol. Trabalhou em diversos meios de comunicação da Espana como Sogecable, Europa Press e La Cadena Ser. Atualmente é a gestora cultural da Embaixada da Espanha no Brasil e participa no blog de crítica cinematográfica com perspectiva de gênero chamado “24 Reflejos por Segundo” (24reflejos.blogspot.com).

 

PROGRAMAÇÃO:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

19/03, quarta-feira, 19h

A Prima Angélica

1974, 107 min. Classificação indicativa : 18 anos

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

20/03, quinta-feira, 19h

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Elisa, minha vida

1977, 125 min. Classificação indicativa : 13 anos

21/03, sexta-feira, 19h

Mamãe faz cem anos

1979, 92 min. Classificação indicativa: 18 anos

22/03, sábado, 19h

Tango

1998,115 min. Classificação indicativa: 16 anos

23/03, domingo, 19h

Goya

1999, 107 min. Classificação indicativa: 7 anos

Serviço:

Ciclo de cinema destaca filmografia de Carlos Saura

Data: 19 a 23/03

Horário: sempre às 19h

Local: Espaço Cultural Instituto Cervantes – SEPS 707/907 Sul

CI : Observar os dias de exibição

Entrada Franca

Informações: 3242-0603 

Site: http://brasilia.cervantes.es








Você pode gostar



Viva

Instituto Cervantes apresenta: Festival Carlos Saura

O Instituto Cervantes Brasília apresenta do dia 19 ao dia 23 de março o “Festival Carlos Saura”, mostra que reúne filme de um dos diretores mais influentes da sétima arte espanhola contemporânea. Serão exibidos ao público, cinco produções de diferentes épocas do artista. No dia de estreia, a gestora cultural da Embaixada da Espanha, Elena Cordero, apresentará biografia do cineastra e comentará as obras selecionadas para a mostra.

Primeiro longa a ser exibido, A prima Angélica (1974) narra a história de Luis, que ao se hospedar na casa da tia depara-se com a prima Angélica, por sua vez casada e com uma filha. Este reencontro faz reacender as lembranças de infância naquele lugar durante a Guerra Civil Espanhola.

No segundo dia do festival, Elisa, minha vida (1977), aborda um drama entre pai e filha que não se falam há muito tempo e moram distante um do outro. A filha, Elisa, fica sabendo que o pai está doente e decide ir passar um tempo com ele. Aos poucos, com a convivência, ambos se reaproximam melhorando a relação.  

Ganhador do Prêmio Especial no Festival de San Sebastian, do Prêmio da Crítica do Festival de Bruxelas e indicado ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro, Mamãe faz cem anos (1979) é uma obra que analisa a sociedade espanhola durante o Regime de Franco. Conta a história de uma família que aproveita a reunião de aniversário de 100 anos da matriarca para planejar sua morte e apoderar-se de sua herança.

Em Tango (1998), o diretor teatral Mario Suarez está com a carreira em crise. Abandonado pela mulher, ele se refugia nos ensaios de um espetáculo que prepara sobre tango. Ângelo Larroca, o mafioso produtor e também bailarino frustrado sugere a Mario que dê o papel principal à sua protegida, Mía Maestro. Impressionado com o talento e beleza da jovem, Mario se torna seu amante.

Para encerrar, Goya (1999) – a cinebiografia de um dos gênios da pintura espanhola, mostra o período em que o artista viveu em Buerdos, no fim de sua vida. Enquanto ficava claro que na Espanha os dias de absolutismo sob as novas pressões do iluminismo chegavam ao fim, Francisco de Goya descobre um novo mundo criativo por meio das próprias pinturas.

Os trabalhos do diretor Carlos Saura são caracterizados pelas influências do neo-realismo e, em algumas etapas, do grande diretor Luis Buñuel, abrangendo a evolução da sociedade espanhola de forma magistral. Este ciclo traz ao público brasiliense uma enriquecedora visão sobre o trabalho cinematográfico e a íntima relação do diretor com a história e a cultura espanhola.  

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Sobre o diretor

Prestigiado internacionalmente entre os principais ícones da cinematografia espanhola, Carlos Saura nasceu em Huesca, no dia 04 de janeiro de 1932. Deu início à carreira de fotógrafo no Instituto de pesquisas e experiências cinematográficas de Madrid, onde obteve o Diploma of Management, abandonando assim o curso de engenharia industrial na faculdade. Além de fotógrafo, ele possui importante trabalho como autor de romances traduzidos em mais de 20 idiomas, como a Luz, Elisa, minha vida ou Pajarico Sozinho.

Entre as principais premiações estão Medalha de Outro que recebeu da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas da Espanha; decorações por parte dos governos francês (em agosto de 1993 impostas pela Ordem das Arte e Letras da França) e italiano (Grande Oficial da Ordem do Mérito da República Italiana), bem como mais altas horárias concedidas pelo Estado Espanhol.

Saura é casado com a atriz Eulalia Ramón, desde 2006, com quem tem uma filha chamada Anna. Ele é irmão do pintor Antonio Saura.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Quem é Elena Cordero

Elena Cordero (Madri, Espanha), Estudou Jornalismo e Comunicação Audiovisual na Universidade Rey Juan Carlos de Madr onde também realizou o Mestrado em Cinema Espanhol. Trabalhou em diversos meios de comunicação da Espana como Sogecable, Europa Press e La Cadena Ser. Atualmente é a gestora cultural da Embaixada da Espanha no Brasil e participa no blog de crítica cinematográfica com perspectiva de gênero chamado “24 Reflejos por Segundo” (24reflejos.blogspot.com).

PROGRAMAÇÃO:

19/03, quarta-feira, 19h

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A Prima Angélica

1974, 107 min. Classificação indicativa : 18 anos

20/03, quinta-feira, 19h

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Elisa, minha vida

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

1977, 125 min. Classificação indicativa : 13 anos

21/03, sexta-feira, 19h

Mamãe faz cem anos

1979, 92 min. Classificação indicativa: 18 anos

22/03, sábado, 19h

Tango

1998,115 min. Classificação indicativa: 16 anos

23/03, domingo, 19h

Goya

1999, 107 min. Classificação indicativa: 7 anos

Serviço:

Ciclo de cinema destaca filmografia de Carlos Saura

Data: 19 a 23/03

Horário: sempre às 19h

Local: Espaço Cultural Instituto Cervantes – SEPS 707/907 Sul

CI : Observar os dias de exibição

Entrada Franca

Informações: 3242-0603 

Site: http://brasilia.cervantes.es








Você pode gostar